Quarteira

VILAMOURA | “Ainda vamos a tempo de mudar os nossos hábitos e dar valor ao que mais importa: à nossa saúde, à nossa vida e à nossa água”, Ruy de Carvalho

Vilamoura

Assumindo o compromisso alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas, e de acordo com a Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas de Loulé (EMAAC de Loulé) a Inframoura, na qualidade de responsável pela gestão das infraestruturas e espaços públicos de Vilamoura e Vila Sol, tem vindo a desenvolver um conjunto de projetos, ações e iniciativas no domínio da água, com vista ao uso mais racional e eficiente deste recurso escasso.

Plano de Comunicação: A implementação do Plano de Comunicação para a Água conheceu um momento alto em 2020 com a divulgação do vídeo de sensibilização protagonizado pelo ator Ruy de Carvalho, com mais de 260 mil visualizações nas várias plataformas em que foi disponibilizado. Mas os avanços registados em 2020 não se circunscrevem apenas às ações de comunicação e sensibilização da população. ( Ver Vídeo)

Valor histórico alcançado na água não faturada: Desde logo, foi atingido o valor de 9,08% para o indicador de água não faturada para o ano de 2020, estabelecendo-se como mínimo histórico para a Inframoura, que se posiciona no lote das entidades gestoras com melhores registos neste sector a nível nacional.   

Boa gestão dos consumos de água em espaços públicos: Acompanhando esta descida de perdas, também os consumos próprios conheceram uma forte descida, designadamente no que se refere ao volume de água gasto na rega dos espaços públicos, com uma redução de 30% face ao ano de 2019, resultado conseguido pela valorização do capital humano da empresa por via de diversas ações de sensibilização, formação e capacitação das suas áreas técnicas e operacionais.

Sistema de telegestão de rega:  Encontra-se, em fase de conclusão a implementação de um sistema de telegestão de rega que inclui uma estação meteorológica para monitorização de vários parâmetros que abrangerá, nesta primeira fase, cerca de um terço da área de espaços verdes, com cerca de 400 controladores e 70 contadores, permitindo através de uma gestão remota, controlo e parametrização total do processo de rega, entre outros aspetos.

Redução dos consumos de água associada à rega: Adicionalmente, a Inframoura implementou um projeto piloto que consiste num sistema inovador para a redução dos consumos de água em espaços verdes pela aplicação de tecnologia que combina o arejamento dos solos com a injeção de poliacrilato de potássio, polímero de retenção de água ao nível da raiz, que permite a disponibilização de água à medida das necessidades das plantas, estimando-se reduções na ordem dos 50% dos consumos de água para rega.

Uso de água não potável para rega: A Inframoura tem igualmente em curso, o desenvolvimento de outros processos com vista à utilização de água não potável para usos urbanos, como sejam, a rega de espaços públicos, lavagem de ruas e a desobstrução de coletores de águas residuais, destacando-se dois projetos em particular. O segundo processo, numa fase ainda inicial de estudo e avaliação, incide sobre a utilização de água residual tratada para a rega estimando-se uma redução do consumo de água potável em cerca de 133.000m³.

Categories: Quarteira