Consumidor

Covid-19 impulsiona digitalização dos meios de pagamento centrada nos cartões, no telemóvel e no abandono do numerário, segundo a Minsait Payments

X Relatório Anual de Tendências de Meios de Pagamento da Minsait Payments

  • Relatório da Minsait Payments revela que a sociedade vive um momento de transição que se caracteriza por uma maior convivência de múltiplos meios de pagamento, sendo que os mais digitais registaram um forte impulso.  Quase 6 em cada 10 portugueses consideram o cartão como o seu principal meio de pagamento, 13,6% mais do que no período anterior
  • Portugal é de entre os países europeus o que regista maior aversão a pagamentos em numerário e ao toque físico em terminais de pagamento automático (TPA) (60% dos inquiridos). Mais de 7 em cada 10 portugueses afirmam ter reduzido ou abandonado a utilização de notas e moedas
  • O cartão bancário continua a ser o meio de pagamento preferencial para a realização de compras, tanto online como presenciais, estando a generalizar-se o uso da tecnologia contactless nos pagamentos em terminais de pagamento automático (TPA). Mais de 8 em cada 10 portugueses preferem comprar online com cartão bancário e 56% utilizam a funcionalidade contactless na loja
  •  Portugal é o país que mais utiliza o computador pessoal para efetuar compras online, ao contrário dos outros países analisados onde o smartphone é o dispositivo dominante neste tipo de compra. Ainda assim, Portugal regista um crescimento de 6 p.p nas compras com smartphone
  • 65% dos gestores e executivos entrevistados consideram que a pandemia afetou de forma positiva o uso dos meios de pagamento ao acelerar a sua digitalização
Photo taken in Bangkok, Thailand

A acelerada digitalização provocada pela pandemia está a consolidar o uso dos meios de pagamento eletrónicos e a impulsionar o progresso em direção a uma sociedade sem pagamentos em numerário (cashless). Esta transição reflete-se na maior convivência ou multiplicidade de diferentes meios de pagamento em uso pela população, num ano em que os meios digitais registaram um impulso face aos meios de pagamento mais físicos ou materiais.

De acordo com o X Relatório de Tendências de Meios de Pagamento, apresentado pela Minsait Payments, a filial de meios de pagamento da Minsait, mais de 50% da população adulta bancarizada internauta de todos os países analisados reduziu ou abandonou o pagamento com numerário, um dado que em Portugal sobe para 73,9%.

O estudo foi realizado com a colaboração de Analistas Financeiros Internacionais (AFI) e incluiu as opiniões de mais de 80 executivos do sector bancário e mais de 4.400 inquéritos a clientes bancários de Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido e América Latina, além dos números oficiais publicados pelos diferentes reguladores.

O relatório está disponível em (link): https://mediosdepago.minsait.com/es

As perspetivas dos inquiridos são coerentes com as dos especialistas entrevistados no estudo, uma vez que 8 em cada 10 concordam que o processo de abandono do pagamento em numerário acelerou, embora 3 em cada 10 vejam um risco de reversão assim que a pandemia termine. A aversão a “mexer” no dinheiro (inclusive nos TPA) condicionou a mudança de hábitos observada, em particular em Portugal, onde quase 6 em cada 10 inquiridos manifestou esse receio.

Além disso, 9 em cada 10 executivos concordam que o impacto da pandemia no uso de meios de pagamentos digitais foi positivo, já que acelerou a sua digitalização. Contudo, 1 em cada 4 diz que ainda há alguma dificuldade de acesso a estes meios de pagamento e cobrança digitais, em particular na América Latina.

Cartão é o principal meio de pagamento, mas sofre alterações

Neste contexto de transição, o cartão continua a ser o principal meio de pagamento para compras em todos os países, enquanto continuam a crescer os pagamentos móveis, as carteiras digitais e os pagamentos a partir da conta. Portugal registou uma considerável subida na preferência pelo pagamento com cartão (58,8% em 2020 vs 47,7% em 2019) face a outros meios.

Além disso, os novos hábitos de consumo adotados fizeram com que o uso de cartões contactless na maioria dos países fosse maior do que o uso através da inserção no terminal. Desta forma 56% dos portugueses utiliza cartões contactless para efetuar os pagamentos nos terminais de ponto de venda (POS). Paralelamente, os portugueses também aumentaram o volume de pagamentos com cartão de crédito em quase 14 p.p. (20,7% em 2019 para 34,5% em 2020) para compras de baixo valor, onde antes reinava o pagamento em numerário.

A crise económica associada à pandemia produziu um declínio generalizado no número de cartões de crédito em quase todos os países analisados. No entanto, Portugal foge à regra ao registar um aumento de 1,7 p.p. para 63%.

Portugal está na vanguarda da utilização de múltiplos meios de pagamento. Os portugueses registaram a maior subida no número médio de diferentes meios de pagamento utilizados no mês anterior à realização do inquérito: de 2,8 em 2019 para 3,3 em 2020. Portugal é também o país que mais pagamentos faz a partir da conta bancária (84,3%).

No que se refere a cartões, a modalidade de débito continua a ser a principal protagonista em termos de utilização por parte da população na maioria dos países. Em Portugal 32,4% da população bancária possuiu dois ou mais cartões de débito.

Por outro lado, o cartão pré-pago revela um aumento de 7 p.p. na população (16,1%) com mais do que um cartão. A exceção é a Itália, onde quase 8 em cada 10 têm cartão pré-pago, e a América do Sul, por constituir um instrumento fundamental para a distribuição de ajuda governamental no decorrer da pandemia.

Compras transferem-se para o e-commerce

Outro dos efeitos da Covid-19 é a transferência das compras para o ambiente de comércio eletrónico, uma tendência reforçada pelos períodos de confinamento e visível na frequência das operações entre os consumidores que já compravam produtos online antes da pandemia. Portugal lidera a lista dos países europeus, com 46,9% dos portugueses a assumir fazer compras online com mais frequência. Itália (46%), Reino Unido (44%) e Espanha (42%) seguem atrás.

Os portugueses são os que mais utilizam o computador pessoal (81,4% dos inquiridos) para fazer as suas compras online. Na maioria dos outros países analisados, o smartphone assume a liderança. Apesar disso, em Portugal o smartphone é o dispositivo que mais cresceu, passando dos 50,7% em 2019 para 56,7% em 2020. O tablet é usado por 12,1% dos portugueses. Portugal e o México são os únicos dois países onde as compras através deste dispositivo aumentaram.

O cartão continua a ser o meio de pagamento mais utilizado nas compras online para 83,2% dos portugueses. No entanto Portugal é quem mais utiliza o cartão virtual dentro de todos os países inquiridos, com 31,5%.

O pagamento móvel em todas as modalidades é outra tendência que continua a crescer na Europa. Portugal é um dos países que mais utiliza aplicações de pagamento entre particulares através do telefone (29,3%), somente atrás da Colômbia (46,5%) e Espanha (46,3%). Os portugueses são também um dos países que mais utiliza o dispositivo móvel em lojas. De acordo com o relatório Portugal 54,9% dos portugueses efetuada compras com recurso ao NFC (Near Field Communication).

Por fim, há um consenso sobre a aplicação do fator da dupla autenticação nos pagamentos online, mas com intensidades diferentes. Cerca de 45% da população bancarizada portuguesa solicita sempre uma segunda autenticação; 17,8% solicita quando é obrigatório; 33,2% espera que o próprio dispositivo peça a autenticação; e 3,9% não pede em nenhum caso, o que faz de Portugal o país europeu com maior percentagem nesta última variante.

Quanto à escolha dos mecanismos de dupla autenticação, Portugal é o país que mais opta pela combinação do PIN com um código via SMS (49,9%).

Sobre a Minsait Payments

Minsait Payments (https://mediosdepago.minsait.com/pt) é a filial de meios de pagamento da Minsait que oferece capacidades em processamento e soluções inovadoras de pagamentos digitais. Os serviços especializados da Minsait Payments são transversais a todos os mercados, incluindo soluções específicas para entidades financeiras, Fintech, Retail, companhias aéreas e empresas do setor de Oil&Gás.

A filial da Minsait conta com mais de 25 anos de experiência e uma equipa de mais de 1000 profissionais especializados em pagamentos. Atualmente, oferece serviços em mais de 15 países e processa mais de 220 milhões de cartões em todo o mundo.

Sobre a Minsait

A Minsait é uma empresa da Indra (www.minsait.com), líder em Consultoria de Transformação Digital e Tecnologias da Informação em Espanha e na América Latina. A Minsait apresenta um alto grau de especialização e conhecimento sectorial, que complementa a sua elevada capacidade de integrar o mundo core com o mundo digital, a sua liderança em inovação, transformação digital e flexibilidade. Desta forma, concentra a sua oferta em propostas de valor de alto impacto, baseadas em soluções end-to-end, com uma segmentação notável, que lhe permite alcançar impactos tangíveis para os seus clientes em cada sector, com uma abordagem transformacional. As suas capacidades e liderança estão patentes na sua oferta de produtos, denominada Onesait, e na sua oferta transversal de serviços.

Sobre a Indra

A Indra (https://www.indracompany.com/ ) é uma das principais empresas globais de tecnologia e consultoria e o parceiro tecnológico para as operações chave dos negócios dos seus clientes em todo o mundo. É líder mundial no fornecimento de soluções próprias em segmentos específicos dos mercados de Transporte e Defesa, e uma empresa líder em consultoria de transformação digital e Tecnologias da Informação em Espanha e na América Latina através da sua filial Minsait. O seu modelo de negócio está assente numa oferta integral de produtos próprios, com um enfoque end-to-end, de alto valor e com uma elevada componente de inovação. No exercício de 2019 registou um volume de vendas de 3.204 milhões de euros, 49.000 colaboradores, presença local em 46 países e projetos em mais de 140 países.

Sobre a Indra em Portugal

Em Portugal desde 1997, a Indra, com escritórios em Lisboa e no Porto, conta com uma sólida equipa de profissionais com elevada especialização para o desenvolvimento e implementação das suas soluções e serviços. A empresa integra alguns dos projetos mais inovadores que são chave para o desenvolvimento económico e tecnológico no país nos sectores de Transporte & Defesa, e nas Tecnologias de Informação (TI) através da sua filial Minsait.