Portimão

Vacinação no Centro de Apoio a Idosos de Portimão | BE exige: «Que se apurem todas as responsabilidades!»

Conforme veio a público, a vacina contra a Covid-19 foi administrada a várias pessoas do Centro de Apoio a Idosos, as quais não se enquadram nos critérios desta 1.ª fase de vacinação por não se encontrarem em contacto direto com os utentes. Foi o que aconteceu com vários membros dos órgãos sociais do Centro – a todos foi oferecida a vacina, mas alguns recusaram – e com diversos elementos dos serviços administrativos.

Entre essas pessoas vacinadas encontram-se Ana Fazenda, secretária da Assembleia Geral e Figueiredo Santos, presidente da direção do Centro e líder da bancada do PS na Assembleia Municipal de Portimão.

Segundo a Administração Regional de Saúde do Algarve os critérios são muito claros: nesta 1.ª fase, por insuficiência de vacinas, não podem ser vacinadas pessoas que não lidem diretamente com os utentes de risco por não se encontrarem incluídas nos grupos prioritários.

O próprio secretário de Estado, Jorge Botelho, que coordena as medidas de combate à pandemia no Algarve, declarou que a lei é clara em relação aos critérios de prioridade no que respeita à vacinação. E remeteu a situação para a abertura de um eventual inquérito.

Em alguns pontos do país têm ocorrido casos semelhantes aos que tiveram lugar no Centro de Apoio a Idosos e que até conduziram à demissão dos seus responsáveis. São situações muito lamentáveis e com uma grande falta de responsabilidade e de ética, quando se sabe que muitas pessoas de risco precisam de ser urgentemente vacinadas e que as vacinas não dão para toda a gente nesta fase. Por exemplo, os bombeiros de Portimão ainda não foram vacinados quando lidam com o risco todos os dias, o que é deveras incompreensível e revoltante. Não vale tudo, não pode vigorar o “salve-se quem puder”.

O presidente do Centro de Apoio a Idosos nega as acusações e diz que cumpriu com as regras definidas pelas Autoridades de Saúde. No entanto, estranhamente, recusa dizer quem foi vacinado. O Bloco de Esquerda desafia o senhor presidente do Centro de Apoio a Idosos  de Portimão a divulgar, publicamente, a lista das pessoas vacinadas no referido Centro.

Costuma-se dizer que “quem não deve não teme”.

O Bloco de Esquerda exige igualmente que, com urgência, a Inspeção-Geral das Atividades de Saúde proceda à abertura de um inquérito à situação em causa e que sejam apuradas todas as responsabilidades. Todavia, pelos dados que vieram a público, tudo leva a crer que estamos perante uma situação similar às que tiveram lugar noutras localidades do país, pelo que os responsáveis do Centro que tomaram tais decisões devem começar por pedir a demissão dos cargos políticos e sociais que ocupam.

A Comissão Coordenadora Concelhia do Bloco de Esquerda/Portimão

Categories: Portimão, Saúde