Empresas

Saúde mental em tempos de pandemia | Tempo de trabalho aumentou 56 minutos por dia

6 dicaspara organizar o seu dia e reduzir os níveis de stresse

Desde a COVID-19, o dia de trabalho aumentou em 56 minutos para os cargos de liderança: muitos gestores aplicam o tempo poupado em deslocações a trabalhar: responder a emails, atender chamadas virtuais, há a uma perturbação da perceção do próprio profissional de que está sempre disponível e que tem que aproveitar o tempo… a trabalhar.

Com o confinamento e a gestão de família em simultâneo, a situação agrava-se e a fatura paga em termos de Saúde Mental é grande. Porque o trabalho a partir de casa chegou para ficar, pelo menos em regime misto presencial/remoto, a Adecco Portugal sugere 6 dicas para organizar o seu dia e reduzir os níveis de stresse impostos pelo novo paradigma do mundo do trabalho.

Um dos aspetos menos falados das restrições sanitárias impostas pela COVID-19, é que uma considerável parte da população deixou de se deslocar diariamente para o trabalho. Passou a poupar tempo no trajeto trabalho – casa trabalho, que não é insignificante em comparação com o período pré-pandemia: em média, ‘ganham-se’ 41 minutos por dia.

Uma recente pesquisa da Harvard Business Review (HBR) mostra que, por exemplo, os gestores cronometram em mais 56 minutos cada dia de trabalho. Assim, ao contrário dos seus colegas sem responsabilidades de gestão, tendem a utilizar mais o tempo recém-adquirido para trabalhar em vez de o aplicar em benefício pessoal. Torna-se necessário prevenir esta situação sob pena de ter impactos a prazo na saúde mental do profissional.

A saúde mental é definida pela Organização Mundial de Saúde como “o estado de bem-estar no qual o indivíduo realiza as suas capacidades, pode fazer face ao stresse normal da vida, trabalhar de forma produtiva e frutífera e contribuir para a comunidade em que se insere. Pode ainda ser associado à qualidade cognitiva e emocional de um indivíduo e à inexistência de alguma doença mental”.

Os problemas de Saúde Mental podem afetar negativamente todos os campos da vida de um indivíduo, inclusivamente no campo profissional: stresse elevado, perda de produtividade, turnover, burnout são algumas das consequências que pode vir a enfrentar. A depressão reduz o desempenho cognitivo em cerca de 35% das vezes que um profissional desempenha uma tarefa. Em cerca de 12% dos casos, o absentismo tem raízes em problemas de Saúde Mental.

Não é, portanto, intrigante os resultados da HBR mostrem que 80% dos inquiridos nos EUA considerariam deixar a sua atual posição por um emprego que se concentrasse mais na saúde mental dos trabalhadores. Além disso, cerca de 75% dos trabalhadores têm tido dificuldades no trabalho devido à ansiedade causada pela atual pandemia. Numa outra investigação, a Oracle descobriu que 76% das pessoas acreditam que o seu empregador deveria fazer mais para proteger a sua saúde mental, e 70% nomearam 2020 como o ano mais stressante de sempre.

Face a este contexto específico, a Adecco Training criou um plano de formação que visa apoiar os líderes das organizações na atuação preventiva da Saúde Mental das suas equipas. ‘MIND FLOW’ É UM CICLO DE CINCO WORKSHOPS ONLINE, que foramdesenhados à medida dos desafios e das oportunidades que as empresas enfrentam com um novo paradigma no mundo do trabalho. O tema será debatido na 3ª feira, dia 9 de março, no webinar sobre ‘SAÚDE MENTAL’, e sobre o qual a Adecco enviará informação brevemente.

Para os profissionais, a Adecco Portugal sugere 6 dicas para organizarem o seu dia de trabalho, reduzirem os seus níveis de stresse, manterem-se produtivos com mais 56 minutos LIVRES por dia e cuidarem da sua saúde mental.

Controle o seu trabalho, não deixe o trabalho controlar o seu dia! 6 dicas para reduzir os níveis de ansiedade num dia de trabalho remoto

#1. Less is more: Qualidade versus quantidade de interações

O trabalho à distância mudou a forma como os líderes gerem e os trabalhadores desempenham. A mudança afetou a forma como comunicamos, incluindo a quantidade, o tipo e a qualidade das interações no trabalho. Agendar mais reuniões e aumentar a cooperação de cima para baixo na hierarquia pode ter um efeito inverso e fazer ‘ruído’ na produtividade de toda a equipa. As reuniões ou fóruns online planeados centralmente podem sobrecarregar ainda mais os trabalhadores que já se ajustaram ao trabalho à distância de acordo com as suas formas individuais. Em vez de contabilizar em quantas reuniões virtuais participa, concentre-se na qualidade daquelas em que participa. Uma sugestão seria fazer melhor uso da tecnologia durante as reuniões. Por exemplo, a realidade aumentada e virtual poderia dar acesso a ferramentas partilhadas, tais como quadros brancos, simulações, e partilha espaços sociais. Ou melhor: é mesmo necessário reunir virtualmente? Frequentemente, as equipas podem fazer o mesmo trabalho de forma mais rápida e conveniente quando as pessoas colaboram através de documentos partilhados ou canais de equipas.

#2. Contratar ‘assistentes’ digitais de IA

Os peritos da Microsoft Research têm trabalhado arduamente para explorar a forma como a tecnologia pode ajudar os trabalhadores a decompor grandes tarefas em tarefas passíveis de serem administradas digitalmente. Fazendo-o, as pessoas sentir-se-iam mais realizadas, concentrar-se-iam melhor nos seus objectivos e tornar-se-iam mais produtivas. Além disso, os gestores podem estar interessados em explorar a opção de contratar os chamados assistentes digitais AI. Podem ajudar os gestores a agendar reuniões, localizar a informação necessária e partilhar o acesso aos recursos.

#3. Marque as suas reuniões de forma inteligente

Quantas vezes marcou o seu dia de trabalho com reuniões umas atrás das outras, sem deixar tempo para almoços ou pausas para café? Utilizando ferramentas de programação inteligentes, pode agora certificar-se de que todas as suas reuniões terminam 5 ou 10 minutos mais cedo, dando a si próprio (e a outros) a oportunidade de se esticar, beber um pouco de água ou dar um passeio rápido. O poder regenerador das pequenas pausas não deve ser subestimado e é essencial para “desligar” e descomprimir um pouco.

#4. Ligar ou não a câmara durante as reuniões virtuais?

Outra forma de garantir que não se sinta tão cansado no final do seu dia de trabalho é ser selectivo com a frequência com que liga a sua câmara quando se reúne virtualmente. Claro, ligar o vídeo na primeira vez que se encontrar com um colega ou um grupo pode ajudar a construir uma ligação mas, como Elliott Jenkin da Microsoft argumenta, “quando conhecer o grupo, sinta-se confiante para dizer que já teve tempo suficiente para a câmara por um dia e mantenha-se apenas no áudio”. Da mesma forma, para ajudar os outros a contornar a sua agenda, certifique-se de que grava as reuniões para que os colegas possam interagir no seu próprio tempo.

#6. Desligue o ‘interruptor’ no fim do dia

Encontre uma rotina diária que assinale o momento em que o trabalho é interrompido durante o dia. Isto pode ser feito tomando uma bebida, dar um passeio, fazer uma aula de yoga, dar atenção aos filhos… ajuste este interruptor a um momento de prazer: qualquer que seja a sua escolha, estas rotinas diárias ajudam-no a celebrar o que realizou durante o dia. E muito importante, desligue o computador.

Categories: Empresas, Nacional, Saúde