Loulé

LOULÉ | Município participa em aliança transnacional para combater espécies invasoras e defender paisagem autóctone

É com o objetivo de defender a paisagem autóctone e a biodiversidade existente no concelho, mas também tendo presente as questões socioeconómicas inerentes, que a Câmara Municipal de Loulé aderiu formalmente à aliança estratégica transnacional de luta contra a erva-das-pampas (Cortaderia selloana), no âmbito do projeto internacional LIFE + STOP CORTADERIA.

Erva-das-pampas (Cortaderia selloana)

A colonização por esta espécie exótica invasora, também conhecida por penachos ou plumas, está a gerar uma grave situação neste território, visto tratar-se de uma espécie que dá origem à perda de qualidade da paisagem e da biodiversidade. A Cortaderia selloana substitui-se à vegetação autóctone, provoca perda de conectividade com a fauna e reduz a produtividade das pastagens naturais, bem como das florestas.

A par das questões ambientais, esta espécie levanta também problemas de saúde pública, já que provoca alergias na população, tendo ainda um impacto negativo para a economia local, uma vez que afeta o turismo por via da deterioração das paisagens naturais, cujo combate exige uma gestão que pressupõe um elevado custo económico.

Assim, a participação neste projeto, coordenado pela Associação Amica e do qual fazem parte como sócios a AMPROS, SERCA, SEO/BirdLife, Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra, traduz-se “num importante passo para fazer face a esta problemática que, se nada for feito, poderá tornar-se uma séria ameaça para o concelho de Loulé”, avisam os técnicos na área do ambiente desta Autarquia.

O compromisso assumido pela Câmara Municipal de Loulé centra-se, desta forma, no objetivo comum, que une as várias entidades aderentes, de controlar a expansão da espécie exótica invasora Cortaderia selloana nos territórios do Arco Atlântico.

O Município passará a incluir esta espécie no trabalho de sensibilização e controlo de espécies exóticas invasoras que tem desenvolvido, continuando a contribuir para concretizar a ação “Combate a espécies exóticas e invasoras (e aumento da proteção da biodiversidade)”, no âmbito das opções específicas de adaptação às alterações climáticas explanadas na sua Estratégia Municipal (EMAAC), com o objetivo de tornar o território concelhio mais resiliente.

A Autarquia apela ao envolvimento da população neste projeto, solicitando a colaboração de todos para que, caso esta espécie seja avistada, seja feito o respetivo registo em https://cortaderia.cm-gaia.pt/ (se possível associando uma fotografia).

Categories: Loulé