AGENDA

Mesa Redonda “Faro, Cidade Modernista no Sul da Europa” | 25 de março

No âmbito da Candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura – 2027

MI.MOMO.FARO – Mesa-redonda Live

“Faro, cidade Modernista no Sul da Europa” – 25 de março, pelas 18h30

O projeto MI.MO.MO.FARO, desenvolvido no âmbito da Candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura 2027, promove a primeira de uma série de mesas-redondas dedicada à arquitetura modernista. 

“Faro, Cidade Modernista no Sul da Europa” é o tema deste evento online, acessível ao público através da página de Facebook @Faro2027, que decorre no dia 25 de março, às 18h30. 

Esta mesa-redonda, moderada por Tiago Candeias, junta três arquitetos, profundamente conhecedores da arquitetura modernista na região e na cidade: Teresa ValenteRicardo Agarez e Gonçalo Vargas. Num ambiente informal estes convidados irão debater temas como: a história da arquitetura modernista em Faro, as características e especificidades dos edifícios emblemáticos da cidade, bem como a sua conservação e requalificação.

O projeto MI.MOMO.FARO pretende, assim, levar à discussão pública as grandes temáticas da Candidatura de Faro a Capital Europeia da Cultura 2027, entre elas: a valorização do património cultural enquanto legado para as gerações futuras e a cooperação institucional na regeneração urbana. 

MI.MOMO.FARO é um projeto de educação patrimonial que envolve, também, 6 escolas do 3º ciclo do concelho, visando a reprodução de edifícios mais importantes de arquitetura modernista da cidade na plataforma Minecraft: Edição Educação.

Desenvolvido com o apoio da Microsoft Portugal e do Plano Nacional das Artes, o MI.MOMO.FARO envolve mais de 150 alunos, com idades compreendidas entre os 13 e os 15 anos, e mais de 20 professores, apoiados por técnicos de arquitetura, urbanismo e património do Município de Faro e por várias figuras de relevo nesta área.

Acompanhe o evento em: https://www.facebook.com/events/883323322466368

Sobre os convidados:

Arquiteto Gonçalo Vargas, estudou Arquitectura na Escola Superior Artística do Porto. Trabalha como arquiteto desde 2001, inicialmente na Câmara Municipal de Faro onde iniciou estágio e colaborou em vários ateliers em Faro e Barcelona. Em 2009 foi o curador da Exposição itinerante MGC – Moderno ao Sul sobre o trabalho e vida do arquiteto Manuel Gomes da Costa. Atualmente é um dos sócios gerente do colectivo de arquitectos ERG dreams.

Arquiteto Ricardo Costa Agarez, é Professor Auxiliar na Universidade de Évora e membro integrado do CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da mesma universidade, é arquiteto (1996) e historiador da arquitetura (Mestrado 2004, Ph.D. 2013). Em julho de 2020, ganhou uma bolsa Starting Grant do European Research Council com o projeto “Built Environment Knowledge for Resilient, Sustainable Communities: Understanding Everyday Modern Architecture and Urban Design in the Iberian Peninsula (1939-1985)”, como Investigador Principal (2021-2026). 

É Membro do Conselho da European Architectural History Network (EAHN) e coeditor principal da revista científica ABE Journal – Architecture Beyond Europe. 

Enquanto investigador, os seus projetos seguem abordagens transversais procurando integrar a arquitetura, a construção, os estudos culturais e as ciências sociais e humanas. Especializou-se na história e teoria da arquitetura e do urbanismo dos séculos XIX e XX, tendo escrito e publicado sobre arquitetura e identidades nacionais e regionais, fenómenos de disseminação, habitação multifamiliar, arquitetura de funções públicas e culturas arquitetónicas na burocracia. 

Arquiteto em exercício a tempo integral até 2002, entre 2003 e 2008 colaborou como investigador residente no Sistema de Informação para o Património Arquitetónico, SIPA, um dos principais centros de documentação e investigação sobre o ambiente construído em Portugal. A sua tese de doutoramento pela University College London (The Bartlett School of Architecture) foi distinguida com o RIBA President’s Award for Research em 2013. Foi Giles Worsley Fellow of the British School at Rome (British Academy) em 2014, FWO Pegasus Marie Curie Postdoctoral Fellow na Universidade de Gent em 2015 e, em 2016-2017, investigador pós-doutorado na Universidade Católica de Lovaina (KU Leuven). Foi o coordenador do projeto de investigação e disseminação Habitação: Cem Anos de Políticas Públicas em Portugal, 1918-2018 (IHRU, Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana), envolvendo 11 equipas pluridisciplinares de investigação e produção de conteúdos oriundas de 8 centros de investigação nacionais (arquitetura e urbanismo, sociologia, ciências políticas, história social e económica, geografia; FAUL, FAUP, IS-UP, ICS-UL, CES-UC, DECA-UBI, IGOT-UL, ISCSP).

As suas publicações recentes incluem Algarve Building: Modernism, Regionalism and Architecture in the South of Portugal, 1925-1965 (Routledge, 2016); Habitação: Cem Anos de Políticas Públicas em Portugal 1918-2018, ed. (IHRU, 2018); e A Habitação Apoiada em Portugal (FFMS, 2020).

Arquiteta Maria Teresa Graça Valente, arquiteta (Escola Superior de Belas Artes de Lisboa), mestre em História da Arte (Universidade do Algarve), acumula as funções de arquiteta no Serviço de Regeneração Urbana (Divisão de Ordenamento do Território da Câmara Municipal de Faro), com as de docência no Curso de Licenciatura em Património Cultural e Arqueologia (Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve).

Categories: AGENDA, Faro