Algarve

Entrevista com o campeão do Mundo, Lewis Hamilton, no regresso da Formula 1 ao Algarve

Com o aproximar do regresso do Heineken Grande Prémio de Portugal ao Autódromo Internacional do Algarve, a 2 de Maio de 2021, quisemos falar com Lewis Hamilton, 7 vezes campeão do mundo de Fórmula 1.

O piloto bateu em Portimão o record do número de vitórias de Michael Schumacher, tornando-se o piloto de Fórmula 1 com o maior número de vitórias de todos os tempos. Hamilton confessou-nos que este feito histórico ainda não lhe parece real, e que adorou conquistá-lo junto aos fãs portugueses. Segundo Lewis Hamilton, a “montanha-russa” portuguesa – como é frequentemente apelidada a pista do Autódromo do Algarve – deveria fazer parte do calendário permanente da Fórmula 1, e tornou-se um dos circuitos favoritos do campeão mundial.

Fique com a entrevista completa do melhor piloto de FORMULA 1 da atualidade:

Parabéns por mais uma incrível temporada em 2020. Conquistaste a tua 92ª vitória naquele que foi o teu primeiro Grande Prémio de Portugal, batendo o record de maior número de vitórias em Fórmula 1 em frente às bancadas mais preenchidas da temporada. E os fãs portugueses mostraram-te muito apoio. Qual foi a sensação de ver e ouvir os fãs novamente?

Lewis: “Foi muito bom estar em Portugal e a corrida foi espetacular. Cresci a ver o Grande Prémio de Portugal no Estoril, e por isso foi muito bom voltar a Portugal para competir. Também foi muito bom ver um novo grupo de fãs, que já não víamos há bastante tempo”.

O que significou para ti o facto de teres batido o record de número de vitórias do Michael Schumacher, tornando-te no piloto de F1 com maior sucesso de todos os tempos?

Lewis: “Nem sei bem… ainda não me mentalizei totalmente disso. Honestamente, acho que não consigo descrever bem o significado da conquista porque não me parece realidade. É completamente surreal: num momento estás em casa a ver o Michael ganhar todos os campeonatos, e no outro estás em pista, a correr com ele; de repente estás a substituí-lo, e depois estás a igualar os seus records. É como se estivesse constantemente a questionar-me acerca de quando vou acordar deste sonho”.

A margem com a qual venceste em Portugal parece sugerir que dominaste a corrida, mas existiram nesta nova pista vários desafios causados pela chuva e pelo vento. Qual foi o elementochave para a tua boa performance?

Lewis: “A chave para a performance em Portugal foi manter-me calmo e ponderado, e não cometer erros. Foi não desistir e encontrar o meu ritmo. Começar por ir com calma, e depois focar-me em dar o máximo”.

O que achaste da pista com as suas subidas e descidas que são frequentemente comparadas com uma montanha-russa? Divertiste-te em pista? E quão difícil fisicamente foi conduzir nela?

Lewis: “Foi maravilhoso, é uma pista fantástica onde conduzir. Existem áreas onde não conseguimos ver as saídas, as subidas e as descidas, e em certas alturas vemos apenas o céu. É uma combinação incrível de curvas, com o bónus de conseguirmos seguir e ultrapassar os outros carros. O circuito de Austin é um dos meus favoritos, mas Portugal juntou-se agora ao top”.

Sabemos que és um grande fã de MotoGP e que inclusivamente já experimentaste a mota do Valentino Rossi. Eles também tiveram a sua estreia aqui em Portimão o ano passado. Gostavas também de conduzir uma mota à volta deste circuito?

Lewis: “Não sei… eu vi que alguém caiu da mota na Curva 1 e não sei se também quero experimentar!”

A F1 regressa este ano a Portimão, mas agora na fase inicial da temporada. Com as alterações feitas às regras a afetar a downforce dos carros, quais são as tuas expectativas para este Grande Prémio?

Lewis: “Bem, desta vez já conhecemos o circuito e conhecemos o carro um pouco melhor, mas uma vez que vamos a Portugal no início do ano não sei se vamos encontrar um clima fresco como o ano passado ou se vai estar mais calor. Suponho que a Red Bull vá ser bastante forte em Portimão, pelo que vai certamente ser um bom desafio e uma boa corrida.”

Gostarias que Portimão se tornasse um circuito permanente no calendário da F1?

Lewis: “Gostava muito, sim, acho que o circuito devia fazer parte do calendário”.

Entrevista conduzida pelo AIA – Autódromo Internacional do Algarve