Consumidor

DECO PROTESTE envia carta-aberta ao Governo para promover adoção do Nutri-Score

A organização de defesa do consumidor enviou uma carta aberta ao Parlamento onde exige a inclusão do Nutri-Score nos rótulos alimentares, de modo a ajudar os consumidores a escolherem produtos mais saudáveis no seu dia-a-dia. 

A DECO PROTESTE, organização de defesa do consumidor, enviou uma carta aberta ao Parlamento, juntamente com o dossiê Nutri-Score, onde explica ao Governo e aos partidos com assento na Assembleia da República, a razão pela qual se deve adotar o sistema de rotulagem Nutri-Score. 

Alguns estudos demonstram que a generalidade dos consumidores não consegue compreender e interpretar os rótulos alimentares, nomeadamente a informação nutricional. É crucial adicionar aos rótulos,  uma simplificação dessa informação, mediante um sistema de cores, de interpretação mais fácil. Assim, a DECO PROTESTE convidou os consumidores a assinarem uma carta aberta, disponível em www.deco.proteste.pt/acoes-coletivas/nutri-score-no-rotulo , onde apela a integração do modelo Nutri-Score em Portugal.  

Dulce Ricardo, coordenadora da área alimentar da DECO PROTESTE afirma que “a adoção do Nutri-Score é de extrema importância tendo em conta a dificuldade de interpretação do valor nutricional dos alimentos demonstrada pelos consumidores portugueses”.Dulce Ricardo salienta ainda que “esta é uma forma prática e intuitiva de explicar o impacto da alimentação para a saúde pública, promovendo assim a escolha mais informada e consciente no dia-a-dia.” 

O logótipo colorido já foi adotado, de forma voluntária, em sete países europeus, reunindo o apoio de várias associações de consumidores e o consenso entre centenas de cientistas e profissionais da área da saúde. Em Portugal, algumas embalagens alimentares já têm o Nutri-Score. O logótipo retangular na frente das embalagens está dividido em cinco cores, à quais correspondem letras: verde – A, verde-claro – B, amarelo – C, laranja – D e vermelho – E. Os alimentos são classificados de acordo com o respetivo perfil nutricional. Os A e B podem ser consumidos mais regularmente, enquanto os que têm a classificação entre C e E devem ser consumidos de forma mais moderada.  

O sistema consiste na atribuição de pontos consultando para isso a composição nutricional por 100 g ou 100 ml do produto e ainda a lista de ingredientes. Os pontos positivos incluem a proporção de fruta, legumes, leguminosas, frutos secos, azeite e óleo de colza e noz, tal como o teor em fibras e proteínas. Níveis elevados são considerados mais favoráveis para a saúde. Os pontos negativos incluem energia (calorias), teor em gordura saturada, açúcares e sal. Níveis elevados são considerados prejudiciais à saúde. O resultado é uma classificação correspondente à qualidade nutricional do alimento. 

O Nutri-Score foi proposto por uma equipa francesa de investigação em nutrição pública, liderada por Serge Hercberg, médico com especialização em epidemiologia e nutrição. É, desde 2017, a escolha da autoridade de saúde francesa, aplicável aos alimentos transformados e pré-embalados, incluindo bebidas não alcoólicas, para colocar na frente dos rótulos. 

Categories: Consumidor, Saúde