Algarve

FARO | Barco com grua leva ao banho pessoas de mobilidade reduzida

Pela primeira vez em Portugal, um barco permite não só levar cadeira de rodas em passeios na Ria Formosa, mas também que pessoas com mobilidade reduzida tomem banho sem esforço e com pouca ou nenhuma ajuda.A ideia partiu de um empreendedor algarvio, Paulo Gonçalves.

Salvador Mendes de Almeida, fundador e presidente da Associação Salvador, com Paulo Gonçalves da Ria Formosa Boat Tours a dar bom uso à nova grua do “The Algarvian Queen”

Quando Paulo decidiu avançar para um catamarã, achou que seria importante dar acesso e espaço às pessoas com mobilidade reduzida para que pudessem usufruir em pleno, como as outras, da Ria Formosa. Em 2019, nasceu o “The Algarvian Queen”. E pouco depois, surgiu a pandemia. Com o negócio visivelmente impactado numa região tão dependente de turistas estrangeiros, Paulo, ainda assim, não desistiu. E agora, juntou mais uma peça a uma equação que é inovadora, e que faz a diferença para quem anda de cadeira de rodas: “Decidimos construir uma grua, com um guincho, e adaptar um sistema que já existia mas que nunca tinha sido tentado num barco. E conseguimos!”, explica Paulo Gonçalves, o CEO da Ria Formosa Boat Tours, empresa sedeada em Faro que faz múltiplos passeios na Ria Formosa, incluindo visitas aos viveiros de ostras. “É o primeiro barco no Algarve não só a permitir o acesso fácil a pessoas com cadeiras normais ou elétricas, mas também a proporcionar-lhes a possibilidade de transitarem da cadeira para dentro de água sem esforço”, acrescenta.  

A princípio, até o fornecedor dos equipamentos (cadeira suspensa) colocava algumas reticências, mas uma viagem a bordo e uma demonstração prática foram o suficiente para convencer João Nunes, proprietário da Foxi empresa representante da reputada Handi-Move (equipamentos para pessoas com mobilidade reduzida). Para João, ver o sistema a trabalhar em plena Ria foi uma ótima surpresa: “Tanto quanto sei, é a primeira vez que estão a fazer isto. Sabia que existia em cais, mas nunca tinha visto num barco. Eu tinha algumas reservas, para ver se as condições de segurança eram observadas, mas fiquei muito surpreendido com as soluções técnicas que o Paulo encontrou, as distâncias, a rotação, ele pensou tudo muito bem e encontrou uma forma engenhosa de o colocar em prática”.

Salvador e PimPim: voluntários em calções de banho

Para testar a “máquina” em primeira instância, um algarvio e amigo de longa data que ficou paraplégico devido a um acidente de mota: Filipe Nascimento, ou PimPim para os amigos, engenheiro mecânico e bastante popular no Algarve devido à teimosia em fazer coisas que os outros não fazem – karting, parapente, vela e até o raid Portugal de Lés a Lés, com uma mota adaptada construída por ele.
“Eu acho impecável, consegui entrar sozinho e o barco é espaçoso… Eu acho que as pessoas têm esse desejo, mas ele vai-se desvanecendo quando não há condições. Ainda há poucas experiências pensadas, há 20 anos não havia nada, nos últimos dois melhorou bastante, penso que é uma tendência à qual não se conseguirá fugir”, diz Filipe Nascimento (PimPim).

Mas PimPim não veio sozinho. Decidiu dar uma apitadela a outra “figura” ainda mais conhecida: Salvador Mendes de Almeida, ele que tem sido um dos rostos mais visíveis em Portugal na luta por melhores condições para pessoas com mobilidade reduzida. A experiência não podia ter sido melhor: “Achei fantástico no Paulo a preocupação não só de facilitar a entrada mas também esta preocupação de nos levar para dentro de água, porque a Ria Formosa é linda! Eu ia para dentro de água de qualquer modo, mas poder fazê-lo em total segurança com aquela grua é espetacular!”, adianta o fundador e Presidente da Associação Salvador.

A cereja no topo da grua

Para Salvador, que ficou tetraplégico com uma mota, o passeio na Ria «deslizou sobre rodas», mas neste caso, quatro, dado que decidiu levar a cadeira elétrica, que entrou sem qualquer dificuldade e é bem mais confortável que as cadeiras manuais. “O bom deste barco é que dá para trazer uma cadeira manual mas também acomoda uma elétrica. E isso é muito cómodo. O barco tem uma porta muito ampla, é fácil entrar, tem muito espaço – até fiz um 360º (pião) lá dentro (!) e os insufláveis como bancos também são muito bons porque podem ser removidos permitindo aproximar-nos da borda”, diz, acrescentando valor ao produto (o Salvador é formado em Marketing). Na hora da verdade, o vento e a água um pouco fria retraíram Salvador que não quis molhar os calções… mas isso não impediu que testasse a grua e que ficasse alegremente suspenso por um bocado.  

A grua metálica, de cerca de 2 metros de altura, está fixa no barco e incorpora vários molinetes que desdobram a força que permite içar e baixar as pessoas para a água. Com pouca ou nenhuma ajuda – dependendo da gravidade das paralisias – o utente “senta-se” numas perneiras que se encaixam à volta das pernas e encontra também apoios para os braços. Com o próprio peso, o sistema “fecha” em torno da pessoa, que fica segura mas com possibilidade de se libertar sozinha quando começa a flutuar dentro de água. 
“Eu acho que a cereja no topo do bolo é mesmo aquela grua. Estava com algum receio, tenho uma tetraplegia, o PimPim tem paraplegia, ou seja, ele tem mais mobilidade. Ainda assim tentei e senti-me super-seguro! Foi ótimo”, recorda Salvador Mendes de Almeida, que encoraja outros utilizadores a fazerem a experiência. “As pessoas devem ir tranquilas. O Paulo e a equipa são super-acessíveis, transmitem imensa confiança e calma. Há coletes e aquela zona da Ria não tem ondulação. Outra vantagem é que o Paulo conhece a Ria desde miúdo e isso é importante para escolher os percursos, que mudam consoante as marés”, conclui Salvador, que não conhecia o Paulo.
PimPim complementa: “É verdade que a maior parte dos barcos não são acessíveis e as pessoas desistem logo à partida. Mas este está a mudar esse panorama. Já não há desculpa, agora é irmos todos para dentro de água!”, incentiva.

Sempre motivado pela luta por melhores condições para as pessoas com mobilidade reduzida, Salvador já prometeu a Paulo apoiar na divulgação desta nova oferta através dos canais e parceiros da Associação. Já Paulo, promete continuar a apoiar, dentro do possível, as pessoas com mobilidade reduzida, com tarifas reduzidas para grupos que acompanhem pessoas em cadeiras de rodas.
Refira-se que, para além da Ria Formosa Boat Tours, a empresa disponibiliza ainda charters privados (alugueres de barco exclusivos) num pequeno iate com skipper, através de uma outra marca, a Algarve WOW.

Para mais informações:  Ria Formosa Boat Tours – Paulo Gonçalves (+351)  966 977 597 
📧  paulo@algarvewow.com
🌐 https://www.riaformosaboatours.com/

Categories: Algarve, Faro, Turismo