Quarteira

QUARTEIRA | Proprietários e Empreendedores da Fonte Santa pedem reativação do edifício dos serviços

A FSOE – Associação dos Proprietários e Empreendedores, promoveu este sábado, 21 de agosto, um encontro com o presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, junto ao agora desativado e abandonado edifício dos serviços daquela zona, designadamente abastecimento de água, esgotos e iluminação pública, entre outros.

Um edifício que em tempos disponibilizava igualmente aos moradores uma piscina, supermercado, bar e lojas.

Este encontro surgiu no rescaldo da rotura de água do dia 19 que provocou corte no abastecimento de água dentro do loteamento.

Depois de um pequeno sumário sobre a ocorrência, foram trocadas ideias e soluções possíveis para a reativação dos equipamentos e serviços do loteamento, que se situam no lote 91.

Para além disso, foi ainda discutido, em termos gerais, a estratégia da Câmara e da FSOE que converge no melhoramento da sustentabilidade residencial do complexo: baixar os níveis de emissões de CO2 na mobilidade e futuro projeto de requalificação de infraestruturas.

A FSOE fez-se representar por Carlos Oliveira e por João Barros. Este último disse ao PlanetAlgarve que “estivemos aqui numa reunião com o presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Eng. Telmo Pinto, para tentar dar uma vista de olhos e saber a sua opinião sobre as infraestruturas que estão por acabar no antigo loteamento da Algarsol. Foi uma reunião produtiva. Chegámos a alguns consensos e pensamos que temos alguns pontos em comum para começarmos o trabalho e, depois das Eleições Autárquicas, traçaremos o nosso plano de ação, conjuntamente com o presidente da junta de freguesia que for eleito”.

Neste particular, o que os moradores pretendem é “melhoria da qualidade na comunidade onde residem e que as infraestruturas e os serviços sejam reativados para poderem servir a comunidade nas reuniões de condomínio, bem como a nossa associação poder ter igualmente um local para reuniões. Pretendemos igualmente que os serviços sejam reativados, os quais há 20 anos que estão por ser retomados com este ónus que está a ser suportado por nós”.

O edifício dos serviços foi desativado há 20 anos porque “creio por má gestão da empresa promotora e por falta de iniciativa dos moradores. Entretanto, começou a haver mais dinâmica dos proprietários e moradores e os condomínios do Clube 2000 vieram também dar uma nova força a esta iniciativa que já se vê com alguma envergadura”.

Os proprietários e empreendedores da Fonte Santa aguardam assim esperançados que as suas pretensões possam ser satisfeitas com a reativação do edifício, hoje envolto num imbróglio jurídico, esperando que o mesmo não caia nas mãos de especuladores imobiliários que pretendam fazer dali outra coisa que não seja aquilo para o qual foi criado e definido em alvará assinado há mais de 20 anos pelo autarca na altura, que é o mesmo de hoje, Vítor Aleixo, oque pode dar ainda mais força às pretensões dos moradores.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Quarteira