Faro

FARO | Programa Estratégico e Funcional para a Fábrica da Cerveja

Câmara Municipal de Faro vai transformar um dos edifícios mais icónicos da cidade num centro para a arte e criatividade, aberto a todos.

Programa estratégico e funcional da Fábrica da Cerveja prevê investimento de 13,4 milhões de euros, dividido por quatro fases que poderão estar concluídas até 2027. Projeto apresentado prevê abertura de uma nova Praça, ampliação do Museu Municipal e construção de dois novos edifícios multifacetados

A Câmara Municipal de Faro apresentou na passada sexta-feira, dia 18 de fevereiro, o programa estratégico e funcional para a requalificação da Fábrica da Cerveja. Este projeto, que prevê um investimento global de 13,4 milhões de euros, visa transformar um dos edifícios mais icónicos da cidade num novo centro para a arte e criatividade e inclui ainda a ampliação do museu municipal, a abertura de uma nova praça e a criação de dois novos edifícios.

O desejo de reabilitar o edifício conhecido como Fábrica da Cerveja não é novo. Nos últimos anos foram dados passos decisivos para a sua concretização. A recuperação financeira da autarquia permite agora projetar novos investimentos. A decisão que foi tomada há cerca de 5 anos de manter o edifício na esfera pública e de lhe dar um uso cultural e criativo foi decisivo.

Para estruturar um programa estratégico que possa ser sólido e permitir avançar para as fases de projeto e posteriormente obra, a autarquia estabeleceu uma parceria com Gonçalo Louro & Cláudia Santos – Arquitectos, Lda. em cooperação com a Opium, Lda. e Pablo Berástegui que permitiu a construção de um Programa Estratégico e Funcional para a Fábrica da Cerveja. Foi um processo participado onde foram ouvidas muitas pessoas, agentes culturais e agentes regionais.

Com este programa pretende-se conservar a dinâmica que já existe no espaço, abrindo-o à participação de todos.

A FÁBRICA DA CERVEJA será um espaço de criação, exibição e de encontro para agentes culturais e um espaço de uso público com possibilidade de usufruto diário numa lógica de encontro para todos. A sua cadeia de valor será: capacitar – produzir – inspirar – usufruir – partilhar – ampliar – possibilitar.

A sua ação irá assentar numa rede de parcerias locais, regionais, nacionais e internacionais;

A sua identidade fica intacta – FÁBRICA DA CERVEJA – mas é potenciada pelos conceitos de Fábrica, Faro, Futuro e Formosa.

 Intervenções previstas

  • A intervenção arquitetónica procura manter a imagem da Fábrica, criando espaços estruturantes de apoio ao funcionamento do edifício e espaços flexíveis multidisciplinares e adaptáveis;
  • Criação de um novo edifício, na retaguarda da Fábrica, onde vão ser criadas salas de apoio à produção musical (com a capacidade de se transformarem se necessário em outras valências);
  • Criação de um novo edifício no Largo Dom Afonso III, de apoio na relação entre o Museu Municipal de Faro e a Fábrica da Cerveja;
  • Requalificação do espaço envolvente ao Museu Municipal, criando novos edifícios, expandindo a área do mesmo e criando novas áreas expositivas;
  • Requalificação do espaço público envolvente, derrubando os muros que atualmente criam um pátio interior.
  • A intervenção terá 4 fases, sendo a expetativa que as duas primeiras possam estar concluídas em 2026/2027. Caso Faro seja Capital Europeia da Cultura, a terceira fase será acelerada para 2027. A quarta fase está dependente da evolução das três primeiras;
  • A FÁBRICA DA CERVEJA terá um modelo de gestão autónomo do Município, potenciando a gestão híbrida com agentes culturais e criativos. Será equacionado um instrumento de gestão próprio que poderá ser potenciado caso Faro seja Capital Europeia da Cultura;
  • O custo estimado de investimento total é de 13,4 milhões de euros, divididos em 4 fases:
  • a 1ª fase – Corpo Nascente + Largo: intervenção na parte do edifício sob gestão direta do município e intervenção na zona exterior
  • Estimativa de investimento: 2.1 milhões de euros
  • Expectativa de concretização: até 2026/2027
  • a 2.ª fase – Jardim + construção de dois edifícios de apoio: contrução de novo edifício na retaguarda da Fábrica + construção de novo edifício na Praça Afonso III + intervenção no jardim
  • Estimativa de investimento: 2.6 milhões de euros
  • Expectativa de concretização: até 2026/2027
  • 3.ª fase – Corpo Sul/Nascente: intervenção na parte do edifício atualmente sob gestão ARCM
  • Estimativa de investimento: 3.5 Milhões de Euros
  • Expectativa de concretização: até 2027 – se Faro acolher o título de Capital Europeia da Cultura.
  • 4.ª fase – Ampliação do Museu: ampliação da área do Museu Municipal de Faro e zonas adjacentes

Estimativa de investimento: 5.1 Milhões de Euros

Expectativa de concretização: a definir tendo em conta a evolução das fases anteriores

Nota: Desejavelmente, a 1.ª e 2.ª fase ocorrem em simultâneo. A 3.ª fase está dependente da evolução das duas primeiras.

Consulte AQUI informação completa sobre o projeto.

HISTÓRIA DA FÁBRICA QUE NUNCA PRODUZIU SEQUER UM LITRO DE CERVEJA

Situado na Vila Adentro, junto à muralha da cidade de Faro, frente à Ria Formosa, o edifício hoje conhecido como Fábrica da Cerveja foi construído entre 1930 e 1940 numa zona antes ocupada por instalações fabris, nomeadamente uma fábrica de destilação de álcool.

No entanto, este espaço, que apesar de entre 1968 e 1992 ter sido ocupado pela sociedade distribuidora de cerveja e vinhos do Sul, “nunca foi usado para fabrico ou sequer chegou a produzir sequer um litro de cerveja”, como recordou o vice-presidente da Câmara Paulo Santos.

Classificado como imóvel de interesse público, o edifício foi adquirido pela Autarquia em 1998. Devido à situação financeira precária da Autarquia, acabou por estar em hasta pública, por duas vezes, sem que tivessem havido compradores.  

Depois deste espaço ter sido também usado como paiol do Exército, houve ainda vários projetos para este espaço que tiveram “falsas partidas”, que passavam pela criação de um centro de arte contemporânea ou de um hotel.

Em 2013, a Autarquia decidiu finalmente manter o edifício na esfera pública e atualmente, uma das alas da Fábrica da Cerveja é gerida pela Associação Recreativa e Cultural de Músicos, que tem dinamizado este espaço, que funciona atualmente como um pólo fundamental da cultura e da criação artística na cidade de Faro. Agora, o Município de Faro prepara uma nova vida para este edifício icónico da cidade.

Categorias:Faro