Empresas

FemTech: a transição de uma indústria de “nicho” para “essencial”

De acordo com a Freedom Finance, corretora online, o mercado global FemTech (female technology), que valia 40,2 mil milhões de dólares em 2020, deverá crescer uma média de 13,3% por ano de 2020 a 2025, crescimento esse que se espera seja exponencial nos próximos anos, valendo em 2027 acima dos 60 mil milhões de dólares, o que torná-lo-á muito atrativo.

Atualmente, a América do Norte é o líder indiscutível, abrangendo quase 55% das empresas FemTech. A Europa está em segundo lugar com 25%, seguida da Ásia com 8% e dos países do MENA com 7%. Contudo, apesar do interesse crescente nos últimos anos, a indústria continua subvalorizada e tem, por isso, um elevado potencial de crescimento, diz a especialista.

O mercado FemTech, termo frequentemente aplicado a produtos, serviços, aplicações e software, dispositivos médicos, telemedicina, dispositivos de uso, equipamento, produtos terapêuticos, vitaminas e suplementos, plataformas digitais e produtos de consumo concebidos para melhorar ou apoiar a saúde das mulheres. Globalmente, de acordo com a Freedom Finance, cerca de 37% do mercado FemTech pertence aos subsectores de Gravidez e Cuidados de Saúde Reprodutiva e Contraceção; contudo, não está limitado a estas categorias.


Diz a especialista que os fatores de mercado que têm contribuído positivamente para o crescimento desta área são o interesse crescente dos business angels, o crescimento de soluções inclusivas para a saúde e bem-estar das mulheres e a procura crescente de saúde reprodutiva, assim como, a procura crescente global de soluções digitais de saúde e os produtos e parcerias inovadoras.

A maioria destas empresas são start-ups que não são negociadas em mercados de ações, mas há algumas empresas que estão cotadas e cumprem os parâmetros da femtech das quais a Freedom Finance destaca três:
 
 1. Progyny (PGNY), uma empresa de gestão de benefícios, especializada em soluções de fertilidade e benefícios familiares para empregadores nos EUA. A sua solução de benefícios de fertilidade inclui a concepção de planos de benefícios diferenciados, serviços personalizados de apoio aos participantes ao estilo concierge e uma rede seletiva de especialistas em fertilidade. A empresa oferece também a Progyny Rx, uma solução abrangente de benefícios farmacêuticos que dá aos seus membros acesso aos medicamentos de que necessitam durante o tratamento. Além disso, oferece aos empregadores programas de reembolso para substituição e adoção.
  
2. Invitae (NVTA) fornece testes genéticos para muitas doenças, “incluindo cancro hereditário, cardiologia, neurologia, pediatria, oncologia, perturbações metabólicas e doenças raras”.  A Invitae também concluiu recentemente a aquisição do Archer DX, que desenvolveu tratamentos para “oncologia de precisão”. A plataforma Stratafide de Archer é capaz de detetar alterações de ADN que podem ajudar os médicos a prescrever melhores tratamentos para doentes com cancro. A FDA concedeu à Stratafide um estatuto de tratamento inovador.
 
3. Myriad Genetics (MYGN) oferece adequadamente muitos testes genómicos que podem ajudar pacientes e médicos a procurar marcadores genéticos para tudo, desde o cancro da mama até à depressão, artrite e muito mais. A comunidade médica acredita no poder dos testes genéticos, e a Sociedade Americana de Cirurgiões da Mama recomenda agora testes genéticos para todas as pacientes com cancro da mama.
 
4. Também se pode seguir empresas privadas, como por exemplo a Ava, uma companhia perfeita para mulheres que estão a tentar engravidar e querem maximizar as suas hipóteses de conceber, bem como para mulheres que querem conhecer melhor o seu corpo e o seu ciclo. A Ava é uma solução de pulseira sensorial usada à noite. Mede nove parâmetros fisiológicos e assim prevê de forma precisa e conveniente a próxima janela de fertilidade e ovulação de uma mulher. A Ava tem demonstrado detetar uma média de 5,3 dias férteis por ciclo com 89% de precisão. Foi submetida a ensaios clínicos durante um ano no Hospital Universitário de Zurique e os primeiros resultados foram publicados na revista “Scientific Reports”, revista revisada por pares. A Ava é um dispositivo registado na FDA e certificado pela CE.
 
5. A empresa Bloomlife, que desenvolve soluções de cuidados pré-natais concebidas para melhorar a saúde de mães e bebés, é também um bom exemplo As soluções da empresa combinam dispositivos de gravidez vestíveis com análise de dados para tranquilizar as mães e fornecer aos médicos dados mais precisos para prever e tratar mais cedo as complicações da gravidez. Exclusivamente, o seu sensor utilizável é um adesivo leve que monitoriza de forma não invasiva parâmetros importantes da saúde da mãe e do bebé durante toda a gravidez (por exemplo, movimentos fetais, frequência cardíaca fetal, contrações, saúde materna). O dispositivo liga-se a uma aplicação smartphone e a uma análise de nuvens baseada em servidores, permitindo aos prestadores de serviços gerir a saúde da população.
 
O tempo dirá se o conceito de femtech persistirá no futuro, ou se os produtos e serviços atualmente rotulados como femtech irão abandonar esse moniker e ocupar o lugar que lhes cabe na corrente dominante de soluções de estilo de vida e bem-estar orientadas para o consumidor. Mas dadas as projeções, o mercado femtech, tal como é atualmente caracterizado, crescerá exponencialmente nos próximos anos, sendo provável que vejamos uma maior variedade de ofertas de produtos.
 
O mercado FemTech continua a lutar com vários obstáculos e desafios que, no entanto, podem ser vistos como oportunidades. A obtenção de capital, por exemplo, é o maior desafio da indústria. Mas com mais unicórnios, os investidores já começam a perceber o potencial. Um dos principais desafios para toda a indústria é chegar aos decisores (na sua maioria homens) que controlam os orçamentos e envolvê-los na compreensão dos argumentos comerciais e do potencial crescente, rentável e lucrativo das soluções FemTech.
 
Outros dos principais desafios são a falta de investigação, financiamento, educação e aceitação cultural da saúde das mulheres como uma prioridade.

Categorias:Empresas