AGENDA

Maio no Cineteatro Louletano com Ópera, Cinema Português, Shakespeare e muito mais

Maio vai ser um mês de grandes espetáculos em Loulé, numa sala que já é reconhecida a nível nacional pela sua programação de qualidade.

TEATRO

O mês começa com a estreia a sul da peça do Teatro Nacional D. Maria II, “Catarina e a Beleza de Matar Fascistas”, de Tiago Rodrigues, trabalho que esteve em Roma em abril. Peça com Audiodescrição e Língua Gestual Portuguesa e com um elenco de luxo, que agora chega a Loulé, dia 7 de maio às 21h00.

Pela Associação Folha de Medronho, sedeada em Loulé, sobe ao palco dia 15 às 17h00, “Adágio para Três Irmãs”. É um retrato que nos leva ao passado da sociedade russa, mais precisamente ao pré-revolução de 1917, que viria a instaurar o comunismo na URSS. Para ver no Solar da Música Nova.

Numa altura em que é cada vez mais difícil interpretar a(s) sociedade(s), surge “Fake”, pela Formiga Atómica, a 20 de maio. Uma peça que nos fala sobre as “fake news” (notícias falsas) e a dificuldade de destrinçar a verdade da mentira, explorando as tensões entre informação e desinformação. A peça é o culminar de uma semana dedicada ao tema, que arranca a 17, com oficinas, documentários e uma conferência.

Agentes Internos

 A 22, outra peça de teatro integrada no Central Artes, projeto que envolve Loulé, Faro, Albufeira, Tavira, Olhão e Lagos. Trata-se de “Agentes Internos”, um jogo de perguntas com respostas improvisadas, a partir da experiência de vida de cada participante e com enfoque nas questões da sustentabilidade e alterações climáticas.

Hamlet, L’ Ange du Bizarre

A fechar o mês na área do Teatro, mas com uma forte componente de dança, “Hamlet, L’ Ange du Bizarre”, pela Companhia Útero. Peça que sobe ao palco a 28, pelas 21h00, assinalando os 25 anos da estrutura. Este Hamlet reescreve Shakespeare, retratando um autor caminhando só, em busca de si mesmo e da razão de existir.

MÚSICA

Na música, maio traz ao Cineteatro Louletano pop, rock, ópera, música clássica e música eletrónica… para bebés.

Pedro Abrunhosa no Cine-Teatro Louletano

A 8 de maio, um nome que dispensa apresentações: Pedro Abrunhosa, com um concerto a solo que promete encher a sala, no seu regresso à estrada e aos grandes palcos.

Ópera Cinco Formas de Morrer de Amor, com Catarina Molder

A 13 de maio, uma ópera ou performance operática. “Cinco Formas de Morrer de Amor”, que inclui Audiodescrição (para pessoas com deficiência visual), traz-nos a soprano Catarina Molder com um quarteto de cordas, num espetáculo que integra – imagine-se – a música pop dos Clã e que pretende colocar a ópera ao alcance de todos os públicos.

A 15 de maio, o terceiro – e último – concerto Promenade desta temporada, pela Orquestra Clássica do Sul. Desta vez, a OCS apresenta “Strauss, de Viena para o Mundo”, trocando por miúdos as valsas do compositor austríaco Johann Strauss II (25 out. 1825 – 3 jun. 1899).

Banda da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva

A 21 de maio, às 16h00, um concerto único, a assinalar os 146 anos da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva. Com quase século e meio de existência ininterrupta, esta filarmónica fundada a 21 de maio de 1876 já “viveu” em três séculos diferentes!

E no mesmo dia, mas no Auditório do Solar da Música Nova às 18h00, concerto de música clássica pelos alunos do Conservatório de Música de Loulé – Francisco Rosado. Trata-se dos concertos “Crescendo”, eventos que acontecem no Solar da Música Nova aos terceiros domingos de cada mês.

Electrónica sem tempo – Concertos para Bebés por Carlos Caires – foto Musicalmente

De seguida, a 22, um concerto muito especial, para bebés e respetivos pais. “Eletrónica sem tempo” é apresentado por Carlos Caires, compositor e professor na Escola Superior de Música de Lisboa. Conhecido pelos trabalhos para orquestra e música de câmara contemplando a utilização de gravações magnéticas ou o uso de música eletrónica, Carlos Caires propõe-se juntar as memórias do passado com as “memórias do futuro”, para um programa musical dedicado aos mais ousados.

A fechar a música, a 29 de maio, uma voz muito especial que vem do Brasil. Bia Ferreira, feminista e ativista dos direitos LGBTQI+, tem um estilo que define como MMP – Música de Mulher Preta. O concerto, no Cineteatro Louletano, serve de apresentação ao Festival MED ’22, evento que entra na 18ª edição e que vai proporcionar 90 horas de música em 66 concertos espalhados por 12 palcos, com 330 músicos de 21 nacionalidades diferentes.

CINEMA

Por fim, mas não menos importante, a 7ª arte. Para além dos documentários inseridos na “Fake Week” (“The Act of Killing”, 18 maio 21h00 e “Jogo de Cena”, 19 maio 21h00, no Solar da Música Nova), maio traz-nos uma estreia relacionada com… abril, mais concretamente com o 25 de abril de 1974.

O ator farense João de Brito no filme “Salgueiro Maia – O Implicado”

Recorrendo ao novo projetor DCP de alta definição, com sistema Dolby Surround, o Cineteatro Louletano exibe “Salgueiro Maia – O Implicado”, filme português do realizador Sérgio Graciano e argumento de João Matos. O filme, que está patente nas salas de cinema terá uma exibição em Loulé, no dia 9 de maio às 21h00. Com um bónus: no final, o público pode conversar com o realizador, mas também com António Sousa Duarte, autor da biografia do Capitão de Abril.

No dia seguinte, a 10 de maio, pelas 21h00, no Auditório do Solar da Música Nova, o filme francês do mês, com “Les Éblouis”, de Sarah Suco. Cinema que fala sobre a infância, a família, a religião e a liberdade, em mais uma sessão deste ciclo mensal organizado pela Alliance Française, com o apoio do Cineteatro Louletano.

MEDIAÇÃO

Como já vem sendo habitual, a intervenção do Cineteatro não se resume apenas aos espetáculos, incluindo várias iniciativas na área da Mediação, em contacto com públicos específicos nomeadamente (mas não só) com as escolas.

Será o caso, na área da Dança, da residência “Memorial do Convento – Do Movimento do Texto ao Corpo em Narrativa”, de 2 a 6 de maio, na EB 2/3 da escola D. Dinis em Quarteira, com turmas do 7º ano. Trata-se de uma parceria inédita com o Plano Nacional das Artes, em que o Cineteatro “adotou” a EB 2/3 D. Dinis em Quarteira.  A residência culmina com uma apresentação na escola, para pais e professores.

Para quem gosta de teatro, entre 17 e 21 de maio, oportunidade de intervir e de participar numa verdadeira peça de teatro. Ao todo, serão selecionados 10 “agentes” para a peça “Agentes Internos”, que poderão participar num Workshop de teatro e ser parte integrante da peça, promovida pela casaBranca e pelo projeto Central Artes.

Também na área do Teatro, dentro da “Fake Week”, destaque para oficinas nas escolas, por Frederico Batista. Sessões entre 17 e 19 de maio em que os alunos terão de tentar destrinçar o que é verdadeiro ou falso, num olhar particular sobre as redes sociais.

A 19 de maio, às 18h00, no Cineteatro Louletano, recomenda-se a Conferência “Falsas Conferências, Verdadeiras Conversas”, com a moderação da argumentista Inês Barahona”, num diálogo entre diferentes perspetivas acerca do verdadeiro e do falso nas áreas de Ciência e Jornalismo.

E por fim, a 25, workshop em Loulé sobre “Hamlet, L’ Ange du Bizarre”, peça que mistura teatro e dança da Companhia Útero, com o diretor da companhia, Miguel Moreira. Esta peça terá também uma sessão especial para escolas, no dia 27 de maio.

Com uma programação de referência (que pode consultar no site e no Facebook do Cineteatro), o CTL está credenciado pela Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses, integrando ainda a Rede de Teatros com Programação Acessível, proporcionando espetáculos com interpretação de Língua Gestual Portuguesa para S/surdos e outros com Audiodescrição, para pessoas cegas ou com deficiência visual.

O CTL é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé, e é também um dos promotores da Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e da Rede 5 Sentidos.

Categorias:AGENDA, Loulé