AGENDA

Cineteatro Louletano dá as boas-vindas ao Festival MED 2022

O concerto de abertura do Festival MED acontece pela primeira vez fora do seu recinto natural, a Zona Histórica de Loulé. Na celebração do 18º aniversário deste evento, o Cineteatro Louletano abre as portas no dia 29 de junho, pelas 21h00, para receber o momento inaugural do MED 2022, com um espetáculo de Lina_Raül Refree.

Lina_Raül Refree (foto Mileu)

Este arranque será feito da melhor forma, com o projeto sensação que junta a talentosa cantora portuguesa Lina, conhecida pelas suas interpretações assombrosas do reportório de Amália Rodrigues, selecionadas cuidadosamente para este disco, e Raül Refree, um dos mais inovadores produtores europeus (produziu nomes bem conhecidos como Rosalía, Silvia Perez Cruz e Lee Ranaldo).

O duo apresenta em Loulé aquela que é uma nova e revolucionária perspetiva sobre o Fado, bem à medida do ADN musical do Festival MED.

De referir que este projeto, lançado globalmente pela Glitterbeat Records, recebeu vários prémios entre os quais o de vencedor do I Prémio Carlos do Carmo; Nº1 no World Music Charts Europe como “Disco do ano 2020”; Nº1 “Best Portuguese albuns 2020”, No Sólo Fado; vencedor do Preis Der Deutschen Schallplattenkritik – Prémio da crítica alemã; e vencedor do Prix de L’Académie Charles Cros (França) – Coup de Coeur 2020. Este espetáculo faz parte da vasta tour europeia de Lina_Raül Refree.

O bilhete para o concerto tem um custo associado de 5 euros mas para os portadores de ingressos do Festival MED (Bilhete Festival, Bilhete Diário ou Bilhete Família) a entrada é livre, limitada à lotação da sala.

Teatro de Mia Couto e José Eduardo Agualusa

Peça “Chovem Amores na Rua do Matador”

Evento multidisciplinar, o Festival MED aposta este ano no Teatro como umas das suas valências culturais que complementam a componente musical. E esta presença será assegurada ao mais alto nível, com a peça “Chovem Amores na Rua do Matador”, da autoria de duas referências da literatura africana de língua portuguesa. Mais um espetáculo para ver no Cineteatro Louletano, a 2 de julho, sábado, pelas 17h00, como aperitivo para uma das noites habitualmente mais concorridas do MED.

Mia Couto e José Eduardo Agualusa (vencedor deste ano do Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários APE/CML), refletem neste conto – adaptado ao palco com dramaturgia do próprio Mia Couto – sobre o conflito entre um Moçambique periurbano, que hesita entre um lastro de tradições e práticas ancestrais cristalizadas nas mentalidades masculinas dominantes; e um novo país, de demografia galopante, prenhe de jovens que, a cada dia, se revêm menos nas estruturas culturais herdadas e nas práticas sociais que elas impõem.

O conflito entre Baltazar Fortuna e as suas mulheres – Mariana Chubichuba, Judite Malimali e Ermelinda Feitinha – leva, inevitavelmente, à morte de um desequilíbrio social onde o lugar que cabe às mulheres e o dos homens é vigorosamente questionado e resolvido em cada opção, em cada atitude, em cada gesto do presente.

Angelina Chavango, Horácio Guiamba, Joana Mbalango, Josefina Massango e Violeta Mbilane são os atores em palco que dão vida ao texto de Mia Couto e Agualusa.

Após a peça, está prevista uma conversa com o dramaturgo Mia Couto e o encenador Vítor Gonçalves.

O bilhete tem um preço de 8 euros. No entanto, os portadores de bilhete para o Festival MED (Bilhete Festival, Bilhete Diário ou Bilhete Família) beneficiam de entrada gratuita, mediante levamento de ingresso na bilheteira física (número limitado de ingressos).
Todo o programa do Festival MED 2022 disponível em:

www.festivalmed.pt ou https://www.facebook.com/festivalmedloule

Categorias:AGENDA, Loulé