AGENDA

LOULÉ | Mina de Sal-gema acolhe exposição de arte sacra de Sta. Bárbara

A exposição permanente de arte sacra dedicada a Santa Bárbara, padroeira dos Mineiros, é um valioso acervo cultural que irá acrescentar à Mina de Sal-gema, em Loulé, um património único a nível mundial.

A mostra será permanente e irá ser inaugurada a 30 de setembro de 2022, ocupando uma galeria da mina a 230m de profundidade, o equivalente subterrâneo de um prédio de 75 andares, num ambiente preparado para acolher esta exposição subordinada ao lema “Santa Bárbara, Padroeira de Mineiros e de Outras Artes” que reúne 160 das mais emblemáticas peças da Coleção Fernando de Mello Mendes.

Com peças datando desde o século XVI até à atualidade, a coleção vale sobretudo pelo variegado conjunto e ainda pela origem e estilos diversificados, quer no que se refere à geografia de onde são provenientes, como dos cultos religiosos dos seus autores.

Ficarão expostos os exemplares mais significativos da coleção recolhida ao longo da vida pelo Engenheiro de Minas Fernando de Mello Mendes, professor no Instituto Superior Técnico de Lisboa e devoto de Santa Bárbara. Durante quase 50 anos reuniu uma invulgar e numerosa coleção de arte sacra e outros artefactos relacionados com a veneração à padroeira dos mineiros.

Trata-se de manifestações de devoção de cristãos ortodoxos da igreja oriental e da igreja russa, mas também cristãos coptas, católicos e anglicanos, o que confere à mostra uma dimensão universal, já que, o culto por Santa Bárbara se estendeu às Américas levado por espanhóis e portugueses.

A Mina da Sal-gema de Loulé é a única mina portuguesa desta matéria-prima ainda em laboração e que é parcialmente visitável. O principal nível de extração está a 230m de profundidade, correspondendo sensivelmente a 30 metros abaixo do nível médio das águas do mar.

Os poços e os acessos da Mina foram abertos pelos mineiros que, na década de 60 do século passado, vieram para Loulé quando a Mina de São Domingos no Alentejo fechou.

Hoje, as diversas galerias abertas, em malha reticular, totalizam cerca de 40 km de extensão dos quais cerca de 1.500 m são visitáveis por turistas. O tipo de rocha (Sal-gema) em que as galerias foram escavadas é muito estável permitindo a visitação com segurança. 

A partir de Outubro os visitantes, para além do percurso turístico que lhes permitirá tomar contacto com uma parte do subsolo de Loulé, uma oportunidade de grande dimensão única em Portugal, poderão visitar a exposição “Santa Bárbara, Padroeira de Mineiros e de Outras Artes” que será inaugurada no próximo dia 30 de Setembro.

Categorias:AGENDA, Loulé