Algarve

Desidério Silva toma posse como Presidente do Turismo do Algarve

A cerimónia de tomada de posse da nova Mesa da Assembleia-geral e Direção do Turismo do Algarve, que passarão a ser presididos por João Rosado e Desidério Silva, respetivamente, realizou-se na passada sexta-feira, dia 2 de novembro, pelas 16h00, no auditório do edifício-sede desta entidade, na avenida 5 de outubro, em Faro.

Desidério Silva foi eleito como presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve em assembleia-geral ocorrida no passado dia 22 de outubro, sucedendo no cargo a António Pina.

No seu discurso de tomada de posse, Desidério Silva apostou num tom conciliador mas não deixou de avisar que quer um Algarve com uma voz mais ativa nas decisões que afetem este setor de atividade. O novo presidente da ERTA lembrou que o Turismo algarvio “nunca foi tão falado e premiado” mas que, por outro lado, falta uma política da parte do Governo que o promova, naquilo que classificou de “paradoxo”.

Em declarações aos jornalistas no final da sessão, Desidério Silva preferiu não fazer promessas que a situação económica do país desaconselha mas afirmou que não pretende deixar de defender o que acha ser melhor para a região. “Conheço algumas portas, alguns caminhos e vou tentar abanar as coisas para ver se elas melhoram”, comprometeu-se, lembrando que o Algarve “é a maior região turística do País” e que aquilo que tem sido feito na sua promoção “não é o suficiente. Agora, depois de ter tomado posse, falarei com o Governo e com quem tem essa responsabilidade para dizer quais são as minhas razões” para pedir um reforço na promoção, referiu. Recordamos que Desidério Silva faz parte da Comissão Política Nacional do PSD, pelo que vamos ver até que ponto as suas influências poderão dar frutos.

Neste campo, defendeu uma promoção do turismo algarvio, não só junto dos mercados tradicionais, mas também de novos mercados. “É importante não largar os tradicionais, mas também é necessário fazer um esforço maior naqueles onde não há tanto investimento, mas que nós já percebemos que são importantes”, sustentou.

Quanto à exigência da suspensão das portagens da Via do Infante, Desidério Silva diz que «por querermos que acabe, não quer dizer que o consigamos. Também já falei várias vezes do IVA turístico, mas ainda não acabou. Mas o facto é que há questões que têm de ser minimizadas porque são obstáculos para a competitividade da região enquanto destino turístico. Há aqui questões que têm de ser colocadas em cima da mesa, independentemente dos resultados”, considerou.

De referir que, no seu discurso, Desidério Silva já havia anunciado a intenção de fazer “um plano de promoção específico para o mercado francês”, mas este não será o único alvo da nova direção da ERTA. Até porque há mercados que, segundo Desidério Silva, “têm vontade em vir” mas esbarram na falta de voos diretos, acessibilidades e promoção. “Eu já tive essa experiência na Suécia e na Finlândia, pelo que me parece que é um assunto importante a tratar”, disse.

Nestes destinos mais longínquos, a ênfase vai para a abertura de voos diretos para o Algarve e, embora não haja certezas de que os operadores locais estejam dispostos a abrir novas rotas, vale sempre a pena tentar, considerou o novo presidente da ERTA. “A minha intenção é fazer o esforço e ir à procura disso. Não sei se o resultado vai ser o que eu quero, mas também sei que a forma de encontrarmos algumas soluções é ir à procura delas”.

Desidério Silva deu igualmente grande ênfase aos produtos complementares ao Sol e Praia, que, apesar de o considerar o produto principal da região, pode beneficiar da exploração de outros nichos de mercado, principalmente durante a época baixa.

Apostar mais no turismo de natureza, rural, cultural, de incentivos, de saúde e sénior, bem como nos mais estruturados golfe e turismo náutico, foi um compromisso assumido e reforçado à margem da sessão: “Essa oferta já existe por aí. Muitos não estão é promovidos, nem são reconhecidos. Julgo que, se calhar, não é preciso investimento. É preciso arranjar maneira de dizer que eles existem, de que forma podem ser complementares e arranjar rotas que passem nesses locais. Mas, aí, as autarquias têm um papel fundamental”, disse.

Antes, Desidério Silva já tinha defendido uma aproximação ao Alentejo para potenciar infraestruturas como a Via Algarviana, a Rota Vicentina e o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Tomaram posse os seguintes membros:

Mesa da assembleia-geral do Turismo do Algarve

– Presidente: João Rosado, presidente da Associação do Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL)

– 1.º Secretário: Isolete Correia, presidente da direção da Associação Portuguesa de Portos de Recreio (APPR)

– 2.º Secretário: Daniel Laurentino de Almeida, representante da Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor (ARAC)

Direção do Turismo do Algarve

– Presidente: Desidério Silva

– Vice-presidentes: Duarte Padinha, Eliseu Correia, Carlos Luís e Ricardo Cipriano

– Suplentes: João Paulo Sousa, Marina Leal Correia, José Procópio dos Santos e Ana Maria Rosa

Categories: Algarve, Turismo

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.