Albufeira

Elidérico Viegas defende Turismo do Algarve despartidarizado e profissional

eliderico1

O Rotary Clube de Albufeira promoveu no dia 11 de Janeiro o seu jantar festivo com palestra no Hotel Montechoro. O palestrante convidado foi Elidérico Viegas, presidente da AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, que abordou a temática do Turismo no Algarve e a s perspectivas para 2013.

eliderico2

Elidérico Viegas começou por realçar a importância do Aeroporto Internacional de Faro como plataforma de chegada de boa parte dos turistas que nos visitam, apresentando algumas estatísticas relativas à evolução de passageiros, que registou um aumento ligeiro em 2012. Passando para o Alojamento Turístico, referiu que o número de camas disponíveis em 31 de Julho de 2012era de 107.900, mais 5.400 que no ano anterior, segundo dados do INE, onde o Concelho de Albufeira surge destacado com mais de 45 mil camas, distribuídas por aldeamentos turísticos, apartamentos turísticos, hotéis e aparthotéis de 2, 3, 4 e 5 estrelas. Segue-se o Concelho de Loulé com 14.453 camas, seguido dos Concelhos de Silves e Lagoa com pouco menos de 10 mil camas. Albufeira surge igualmente no cimo da tabela em número de estabelecimentos hoteleiros, totalizando 145, seguindo-se Loulé com 63, Lagos, Aljezur e Vila do Bispo com 48.

eliderico3

Elidérico Viegas abordou ainda as taxas de variação da ocupação hoteleira e as percentagens das nacionalidades dos turistas. Outro assunto que não ficou de fora foi o problema do Desemprego, cuxá taxa tem vindo a crescer desde 2008, quando se situava nos 6,7%, atingindo no terceiro trimestre de 2012 os 21,9%, a mais alta do país.

Outro assunto abordado foi a caracterização demográfica do Algarve.

Em termos de competitividade, destacou como aspectos negativos as taxas elevadas de IVA, IMI, TSU, derramas, taxas municipais, etc., recordando que Portugal é o país da OCDE com a maior carga fiscal e aquele em que os europeus menos confiam. Outros fatores apontados por Elidérico Viegas responsáveis pela falta de produtividade foram a baixa escolaridade dos portugueses, a dificuldade de acesso ao crédito, o custo elevado dos serviços (água; luz; gás; telecomunicações; transportes, etc.), a burocracia e a justiça. Relativamente ao Algarve, apontou as portagens na Via do Infante e a sazonalidade, revelando ainda não estar de acordo com as políticas do Governo para o Turismo: “Há muita política no Turismo e pouca política de Turismo, falta de entendimento sobre a substância do turismo do Algarve na economia regional e a sua importância presente e futura na economia da sociedade portuguesa”, frisou.

No período de debate, Elidérico Viegas respondeu às inúmeras perguntas dos rotários, onde defendeu, designadamente, a criação de um Plano Económico Especial para o Turismo e Economia do Algarve e a refundação do Turismo do Algarve, profissionalizada e despartidarizada.

PlanetAlgarve

Categories: Albufeira, Algarve

1 reply »

  1. Admiro imenso pelo seu profissionalismo . e amigo delonga data , através da sua esposa ROSA minha grande amiga desde a infância ,e de quem há algum tempo perdi o contato . Gostaria muito de saber noticias dela e vossos filhos .O Elidérico ainda tenho o prazer de vê-lo na TV .Bjs para todos .Cilinha : Ercília Rodrigues

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.