Nacional

DIA DO PAI | 19.MARÇO.2013 | MENSAGEM APFN

A todos os Pais de Família, e a cada um, em particular, um abraço de reconhecimento neste vosso dia, 19 de Março!

Nem sempre o vosso papel tem sido suficientemente valorizado, e bastante injustamente.

É verdade que o vosso lugar foi muitas vezes relegado para uma posição secundária, sobretudo durante os primeiros anos de vida dos vossos filhos, como se só vos coubesse trazer dinheiro para sustentar a família e usar da vossa autoridade e austeridade quando os filhos se começavam a portar mal…ou a mãe já não os conseguia pôr na ordem.

Hoje, porém,  a vossa importância na família é bem reconhecida e sobretudo, todos dão pela vossa falta, quando, por diferentes razões, o vosso lugar está vazio e as marcas desta ausência são patentes na personalidade e educação dos filhos…

Mas o nosso abraço de particular felicitação vai para aquele pai carinhoso que  dá segurança, estimula e desafia o filho bebé ainda, que inicia os primeiros passos, que o leva ao colo ou às cavalitas, quando o vê cansado, ou que sabe fazer-se pequeno e pousar o jornal, ou interromper o Telejornal, para brincar com os filhos  no chão da sala, na areia da praia ou no campo de futebol…

O nosso abraço vai também para aquele pai que chega a casa cansado de tanto trabalho e preocupação, mas ainda com energia para dar banhos, mudar fraldas, vestir, dar de jantar e contar uma história aos filhos antes do deitar…ou tirar umas dúvidas  para o teste do dia seguinte…

E vai para o pai atento que abre os olhos ao filho adolescente e o aconselha, quando o vê tímido e inseguro, ou demasiado confiante, incapaz de calcular os riscos das suas aventuras, copos a mais e outras imprudências. Esse pai educador, mas também  compreensivo, que consciente do seu papel de promotor de autonomia e responsabilidade, estabelece regras e limites, e tanto intervém- se necessário- com um berro oportuno e uma palmada bem dada, para repôr a ordem perigosamente alterada por influência de más companhias, como abraça o filho com ternura e vai dar a volta ao quarteirão, para uma conversa a sós entre pai e filho, quando este está de rastos, solitário e desanimado.

E para aquele pai que, além disso, procura apoiar a mãe, ensinando os filhos, com o seu exemplo de coerência, a amarem, ajudarem e respeitarem a sua mãe….

Esse pai que, aconteça o que acontecer, pela vida fora, permanece o porto fiel e seguro,  junto de quem, os filhos adultos continuam a sentir a força do conselho e incondicional apoio.

Para esse pai vai o nosso Abraço.

E por último, ao pai de  idade mais avançada, hoje talvez já mais quebrado, com os seus defeitos e virtudes, dos filhos bem conhecidos, esse pai contudo, de quem tantos dizem ser  ainda uma referência e exemplo até para os amigos dos filhos ( e que talvez alguns reconheçam pela parecença que tem com o Pai do filho pródigo no conhecido quadro de Rembrandt).

Ao pai, de todas as idades, ainda entre nós, ou já não ( e que saudade ele deixou!) daqui enviamos um Abraço amigo com a nossa homenagem.

Lisboa, 19 de Março de 2013

APFN – Associação Portuguesa de Famílias Numerosas 

Categories: Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.