AGENDA

Ícone de N. Sra. de Czestochowa chega na segunda-feira

Ícone de Nossa Senhora de Czestochowa

Ícone de Nossa Senhora de Czestochowa

O ícone de Nossa Senhora de Czestochowa (Polónia) chegará ao Algarve no próximo dia 25 de março e aqui permanecerá até ao dia 31 desse mês, sendo recebido no mosteiro de Nossa Senhora Rainha do Mundo, no Carmelo do Patacão, no concelho de Faro e, ainda, no Hospital de Faro, na igreja do Carmo e no Refúgio Aboim Ascensão.

A imagem será acolhida no primeiro dia, pelas 21h30, no Carmelo algarvio, estando presente na eucaristia que se seguirá. No dia 26 de março, a imagem visitará o hospital de Faro a partir das 10h00 e, às 16h00, participará na eucaristia com bênção de doentes daquela unidade hospitalar. No dia seguinte, o ícone estará na igreja do Carmo, em Faro, a partir das 9h00, para participar numa vigília de oração que se prolongará até às 18h00, regressando depois ao Carmelo para a eucaristia com bênção das famílias, às 21h30. No dia 28 permanecerá naquele mosteiro, seguindo no dia 29 para uma visita ao Refúgio Aboim Ascensão. Durante o dia seguinte permanecerá no Carmelo e no dia 31 de março, participará na eucaristia com a comunidade polaca algarvia naquele mosteiro às 16h00 e na oração de despedida às 21h00.

A iniciativa integra-se na peregrinação internacional do ícone pela Europa, em defesa da vida e da família. Em fevereiro de 2012, vários líderes católicos de movimentos pró-vida, entre eles a organização Human Life International, reuniram-se no mosteiro de Jasna Gora, na cidade polaca de Czestochowa, para confiarem a Nossa Senhora a causa da defesa da vida e delinear o itinerário da peregrinação “De Oceano a Oceano”. Designou-se assim, por esta ter início em Vladivostok, na Rússia, junto ao oceano Pacífico e vir a concluir-se em Fátima, junto ao oceano Atlântico.

Trata-se de fazer peregrinar um dos ícones mais venerados por Católicos e por Ortodoxos. O lema da campanha é “Leste e Oeste em defesa da vida”, dando resposta ao apelo do beato João Paulo II na sua encíclica “Evangelium Vitae”: «É urgente uma grande oração pela vida que abarque o mundo inteiro».

O ícone virá da Diocese de Setúbal para o Algarve no dia 25 deste mês, seguindo no dia 31 de março para Fátima.

A imagem, que é uma réplica do original, já percorreu mais de 30.000 quilómetros e passou por países como a Rússia, Ucrânia, Polónia, República Checa, Hungria, Áustria, Alemanha, Suíça, Itália, Bélgica, França, entre outros, num total de 23 países. O ícone a Portugal chegou vindo de Espanha onde, a exemplo dos outros países, foi acolhido nas várias dioceses e paróquias pelos bispos, sacerdotes e numerosos leigos (entenda-se, não clérigos).

De acordo com declarações prestadas à sala de imprensa do Santuário de Fátima por Nuno Prazeres, diretor do secretariado do Apostolado Mundial de Fátima (WAF), associação que em Portugal coordena a iniciativa, “a imagem representa a Mãe de Deus segundo o tipo iconográfico “Hodegetria”, isto é, “Aquela que mostra o caminho”. “Nele vemos a Virgem Maria que segura o Menino Jesus num dos braços e para Ele aponta com a mão direita, indicando-O como fonte da vida e de salvação da humanidade”, acrescenta Nuno Prazeres.

Segundo a tradição, o ícone original terá sido escrito pelo evangelista São Lucas sobre o tampo da mesa em cipreste da casa da Sagrada Família, em Nazaré. Encontra-se desde 1382 no Santuário de Jasna Gora, na Polónia.  Em 1430, numa tentativa de roubo e profanação, o ícone foi vandalizado, tendo o rosto de Maria sido desfigurado pelos cortes de uma espada. Depois do restauro, as cicatrizes mantiveram-se e são hoje uma das suas caraterísticas principais. Embora intimamente ligado à história de uma Polónia sofrida mas persistente na fé, o Ícone é porém conhecido e venerado pelo mundo fora, tanto no Ocidente como no Oriente.

A organização da peregrinação destaca a relação dos santuários marianos Fátima e Czestochowa à figura do Papa polaco. “O beato João Paulo II, grande devoto da Virgem de Czestochowa e também de Nossa Senhora de Fátima, após o atentado de que foi alvo a 13 de maio de 1981, na praça de São Pedro, ofereceu à Mãe de Deus, para o seu santuário de Jasna Gora, a faixa branca que trazia nesse dia à cintura, manchada de sangue; ao Santuário de Fátima ofereceu a bala que o atingiu e que se encontra na coroa preciosa de Nossa Senhora”, recorda Nuno Prazeres. Mais informações podem também obtidas em www.deoceanoaoceano.org ou junto do Apostolado Mundial de Fátima, através do e-mail oceanoaoceano@worldfatima.com

Pela Equipa do GIDAlg, Pe Miguel Mário Lopes Neto

Categories: AGENDA, Faro

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.