AGENDA

Verão quente contra as portagens no Algarve | Sábado há Marcha Lenta na EN125

portagens

A luta pela abolição das portagens no Algarve vai continuar em força este Verão. Reunida este fim-de-semana em Loulé, a Comissão de Utentes da Via do Infante agendou um conjunto de ações anti-portagens que irão ocorrer durante este Verão e que se inserem na campanha de desobediência civil contra as portagens no Algarve.

A introdução de portagens no Algarve pela mão do governo PSD/CDS e com a cumplicidade do PS, em dezembro de 2011, contribuíram drasticamente para a ruína social e económica da região: centenas, senão milhares de empresas foram à falência, a actividade turística e, em particular, a relacionada com a entrada de espanhóis teve uma quebra bastante acentuada, o desemprego está prestes a atingir a trágica cifra de 100 mil pessoas, muitas pessoas morreram e centenas de outras ficaram feridas, vítimas de inúmeros acidentes de viação ocorridos na EN 125, que se transformou de novo na “estrada da morte”. A situação só não atingiu proporções maiores devido a uma grande diminuição de viaturas, devido à crise existente.

Por outro lado as obras de requalificação da EN 125 continuam paralisadas, variantes importantíssimas não são construídas e esta via continua saturada de trânsito enquanto a A22 continua a registar quebras acentuadas de veículos. E mesmo com a cobrança de portagens a Via do Infante deu um prejuízo ao erário público de mais de 40 milhões de euros no ano de 2012! As receitas das portagens apenas cobrem 34% dos custos. Então porque razão não anula o governo os contratos ruinosos com a concessionária? Por uma razão muito simples – está a favorecer negócios chorudos de afilhados e amigos em muitos milhões de euros, à custa do saque dos salários e pensões dos algarvios e de todo o povo português. O governo continua assim, a mando da troika estrangeira, a engordar os consórcios privados rodoviários e não tem a coragem de anular qualquer contrato. Uma situação inconcebível e verdadeiramente escandalosa! O Algarve continua, desta forma, a afundar-se inexoravelmente.

A luta pela suspensão definitiva das portagens no Algarve terá assim de continuar e diversas ações de uma campanha de desobediência civil, promovidas pela CUVI, vão ocorrer neste verão quente:

– a “Marcha do Guadiana”, envolvendo diversas viaturas em marcha lenta através da EN 125, no próximo dia 27 de julho (sábado), com concentração e partida, pelas 16.00 horas, da localidade de Altura (Casto Marim), junto às bombas da Repsol. Durante o percurso serão feitas diversas paragens em homenagem às vítimas mortais da fatídica EN 125.

– acampadas na Praia da Mantarrota e na Aldeia da Coelha, na primeira quinzena de agosto, junto às residências de férias do 1.º Ministro e do Presidente da República. Como ainda não obteve qualquer resposta às cartas entregues no ano passado – sobre as consequências das portagens no Algarve – a Comissão de Utentes, aproveitando a deslocação à região dos nossos governantes vai procurar obter essas respostas. É preciso também não esquecer que o ministro da economia prometeu apresentar, no início do verão do ano passado, um estudo social e económico decorrente da introdução das portagens no Algarve e até à data nada. Devido à grave responsabilidade na imposição das portagens, a CUVI reforça a declaração de personas non gratas, em relação tanto ao governo, como ao Presidente da República.

– marcha/concentração, também em agosto, junto à Festa do Pontal promovida pelo PSD e onde se espera a presença do 1.º Ministro e de outros membros do governo. A CUVI vai querer saber da resposta a uma outra carta entregue a Passos Coelho o ano passado.

– a “Marcha Odeáxere – Lagos” na primeira quinzena de Setembro, com paragens nos locais onde aconteceram acidentes mortais, nomeadamente junto à localidade do Chinicato. Refira-se que a EN 125 passa pelo centro da localidade de Odeáxere e a variante projectada já não irá ser construída. As populações desta vila têm sofrido bastante devido ao grande aumento de tráfego por força da introdução de portagens na A22.

– a “Marcha do Aeroporto”, a ter lugar na segunda quinzena de Setembro, com partida de viaturas junto à sede do Moto Clube de Faro, passando pelo aeroporto e terminando junto ao Fórum Algarve, em Faro. Todos os pormenores das ações, ainda sem data definida, serão divulgados oportunamente. Poderão ainda ocorrer ações – surpresa anti-portagens ao longo de todo o verão, envolvendo a EN 125, a Via do Infante ou qualquer outra parte do Algarve.

A Comissão de Utentes também irá marcar presença no desfile de motas, em Faro, promovido pelo Moto Clube de Faro no próximo domingo, dia 21 de julho.

Chegou o momento de fazer escolhas pelo Algarve e pelos algarvios. Os políticos responsáveis da região e não só, nomeadamente do PSD, CDS e PS, têm agora a oportunidade de mostrarem de que lado estão – a favor ou contra o Algarve! E o governo moribundo PSD/CDS/Cavaco, sem salvação possível, deve demitir-se imediatamente e dar lugar a um novo governo que acabe de vez com as ruinosas portagens no Algarve.

Só com a continuação da luta, forte, determinada e sem medo, será possível apressar o fim das portagens. A CUVI apela a todos os utentes e populações em geral para participarem ativamente nas iniciativas e ações contra as portagens na Via do infante – a bem do Algarve.
A Comissão de Utentes apela a todos os utentes, entidades e populações em geral, para que participem em mais um buzinão e marcha lenta a favor de um Algarve livre de portagens.

A Comissão de Utentes

Categories: AGENDA, Algarve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.