Desporto

TAÇA MANUEL AGRELLOS | Equilíbrio com vantagem para FPG

A Selecção Nacionail de Amadores venceu os ‘fourball’ matutinos por 3-2. De tarde decorreram os confrontos de ‘foursomes’  (ver link no final) | De referir que há 11 jogadores algarvios no conjunto dos 22 jogadores das duas selecções nacionais

Aspeto geral do campo em plena competição

Aspeto geral do campo em plena competição

Ricardo Santos e Ricardo Melo Gouveia justificaram o estatuto de estrelas das selecções nacionais de profissionais e amadores e venceram esta manhã (sexta-feira) os respectivos confrontos da segunda edição da Taça Manuel Agrellos, organizada pela PGA de Portugal, com a colaboração da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), no Hotel & Golf Resort, em Palmela.

Após os ‘fourball’ da manhã, ou seja, os confrontos de pares com quatro bolas em jogo, a equipa de amadores da Federação Portuguesa de Golfe (FPG) lidera o marcador por 3-2, frente à sua congénere de profissionais, da PGA de Portugal.

O equilíbrio foi notório nos ‘fourball’, com 3 dos 5 ‘matches’ a serem decididos apenas no último buraco, o que trouxe ainda mais emoção e beleza à prova, dado tratar-se de um buraco de Par-3, com obstáculo de água frontal e o green a situar-se numa península que mais parece uma ilha. É um belíssimo buraco de match play.

Só dois dos confrontos foram decididos antes do buraco 18, exactamente aqueles que foram ganhos pelos irmãos Santos, carimbando os únicos pontos da PGA de Portugal.

O mais desnivelado foi o conquistado por Ricardo Santos e o ‘rookie’ de profissionais, Filipe Corte Real, sobre José Maria Jóia e Afonso Girão, decidido no buraco 16, por 3-2 (3 buracos de vantagem com apenas 2 para se jogar).

O nº1 português, Ricardo Santos, um dos melhores do European Tour em 2013, esteve magistral no jogo no green, concretizando ‘putts’ importantíssimos e assinando 5 birdies nos primeiros 9 buracos, ditando a sorte do confronto.

Quanto ao seu irmão mais velho, Hugo Santos, jogou ao lado do treinador de Ricardo Santos, Almerindo Sequeira. Derrotaram Gonçalo Pinto e Eduardo Baptista por 2-1, terminando tudo no buraco 17.

Estes foram exactamente o primeiro e o último ‘match’ pelo que, quando Hugo Santos, Almerindo Sequeira, Gonçalo Pinto, Eduardo Baptista e os capitães José Correia e Luís Barroso vinham do green do 17 para a ‘Clubhouse’, era notória a expectativa dos restantes jogadores das duas equipas, pois havia a possibilidade de os amadores terminarem a manhã com um resultado de 4-1, que seria já uma desvantagem considerável para os profissionais.

Recorde-se que, no ano passado, no mesmo campo, a selecção da FPG bateu a da PGA de Portugal por 11-9.

O ponto de Hugo Santos e Almerindo Sequeira foi, assim, fundamental para dar algum fôlego à PGA de Portugal nos duelos de ‘foursomes’ vespertinos, que decorrem neste momento.

Para além dos ‘fourball’ terem confirmado a valia de alguns dos golfistas portugueses mais consagrados, como os irmãos Santos e Ricardo Melo Gouveia, o outro aspecto a ser salientado esta manhã foi a postura mental dos jovens da selecção amadora.

A FPG apresentou-se com 7 ‘rookies’ (estreantes) entre 12 jogadores e 6 deles com idades menores a 20 anos. Seria de esperar que acusassem alguma pressão frente a jogadores mais experimentados, até porque a PGA de Portugal só se apresentou com dois ‘rookies’, mas foi o contrário que aconteceu.

Veio a revelar-se muito importante o modo como Luís Barroso alinhou os pares, colocando sempre um amador mais cotado ao lado de outro mais jovem e menos conhecido.

Ricardo Melo Gouveia, campeão nacional amador de 2009 e uma das estrelas dos Knights da Florida nos Estados Unidos, ganhou o seu ‘match’ ao lado de Tomás Bessa, de apenas 16 anos, vergando os consagrados António Sobrinho (11 vezes campeão nacional) e Nelson Cavalheiro (ex-campeão do Masters da PGA de Portugal) por ‘1 up’ (isto é, no último buraco).

Também João Carlota, vice-campeão nacional amador em 2012, actuou ao lado de José Nicolau de Melo, de 19 anos, e impôs-se a António Rosado (nº1 da Ordem de Mérito da PGA de Portugal) e Sérgio Ribeiro por ‘1 up’.

Quanto a Tomás Silva, campeão nacional amador de 2010, emparelhou com Paulo Nunes, de 17 anos, levando a melhor sobre José Dias (campeão nacional de seniores) e João Pedro Carvalhosa (o profissional do campo do Montado, a jogar em casa) por ‘1 up’.

Isto significa que, combinando os resultados da Taça Manuel Agrellos em 2012 e nesta primeira sessão de ‘fourball’ de hoje, já não há profissionais invencíveis.

Só António Sobrinho e João Pedro Carvalhosa vinham de 2012 sem derrotas e ambos perderam esta manhã.

Dos jogadores a competir em 2013, só João Carlota se mantém imbatível, somando 3 vitórias e 1 empate.

Neste momento decorrem os seguintes confrontos de ‘foursomes’:

Sérgio Ribeiro/António Sobrinho (PGA)-Tomás Silva/João Ramos (FPG);

Nelson Cavalheiro/João Carvalhosa (PGA)-Paulo Nunes/Afonso Girão (FPG);

José Dias/António Rosado (PGA)-João Carlota/Tomás Bessa (FPG);

Hugo Santos/Filipe Real (PGA)-Ricardo Gouveia/José Jóia (FPG);

Ricardo Santos/Almerindo Sequeira (PGA)-Gonçalo Pinto/Miguel Gaspar (FPG).

Entretanto, no Pro-Am de ontem (quinta-feira), a vitória foi para Ricardo Melo Gouveia, ao lado de João Fernandes, Carlos Costa e António Gonçalves, com 89 pontos ‘stableford net’.

Surgiram depois duas formações com 87 pontos, mas o sistema de desempate (46 pontos nos últimos 9 buracos) deu o 2º lugar a Gonçalo Pinto, Rosa Relvas, Manuel Relvas e Vasco Leitão.

O 3º lugar (45 pontos nos últimos 9 buracos) foi para António Sobrinho, Armando Rocha, Agostinho Malhão e Reinaldo Timóteo.

Mal terminou a cerimónia de entrega de prémios do Pro-Am (e Am-Am), procedeu-se à apresentação oficial da prova a convidados e media, bem como aos discursos oficiais dos capitães (Luís Barroso, do Centro Nacional de Formação de Golfe do Jamor pela FPG, e o presidente da PGA de Portugal, José Correia), cabendo o discurso de encerramento ao homenageado e presidente da FPG, Manuel Agrellos.

Gabinete de imprensa da PGA de Portugal

Categories: Desporto

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.