Faro

Rogério Bacalhau apresenta Gomes Ferreira como Candidato à Assembleia Municipal

Macário Correia e Marco António Costa prestam apoio incondicional à coligação JUNTOS POR FARO por ocasião da apresentação das listas, que contou ainda com a presença do secretário-geral do CDS/PP, António Carlos Monteiro

Dia 5 de Agosto ficará marcado como o dia do arranque decisivo para a vitória da coligação JUNTOS POR FARO. Ao início da tarde foram entregues as listas concorrentes no Tribunal de Faro. Pelas 19h00, teve início o evento público de apresentação dos candidatos que decorreu no Hotel Faro perante mais de 200 apoiantes. Nesta ocasião, Rogério Bacalhau apresentou o cabeça de lista para a Assembleia Municipal. Nada mais nada menos do que o cirurgião António Gomes Ferreira, que exerceu com brilhantismo reconhecido as funções de Presidente deste órgão no quadriénio 2001/2005. Para Rogério Bacalhau, neste caso, “é a Assembleia Municipal quem fica a ganhar”. Pois “nem sempre tem sido bem tratada a casa da democracia, por excelência, aqui em Faro”. Para o candidato, “com Gomes Ferreira na Assembleia Municipal podem os farenses ficar descansados. Pois sei que exercerá com responsabilidade a sua experiência, o seu prestígio e o seu capital de respeito. É Faro quem ganha”, concluiu.

Macário pede apoio para Bacalhau

Numa das intervenções mais aguardadas da tarde, Macário Correia fez um resumo do mandato que agora termina, recordando que em 2009 se encontrou “uma câmara muito mal gerida e com um funcionamento muito deficiente, que não cumpria a função última de uma autarquia que é estar perto de quem precisa”. Macário relembrou a importância da escolha de Setembro e mostrou-se satisfeito por ver a coligação JUNTOS POR FARO a protagonizar uma proposta política que é a sequência lógica do que foi implementado em Faro neste mandato. Para o Presidente da Câmara: “o caminho está longe de estar concluído e agora estamos perante a necessidade de decidir com critérios de razoabilidade”. Por isso, alertou para os perigos de quem faz “promessas cor de rosa” para no final, pedir o apoio de todos à coligação JUNTOS POR FARO.

Marco António Costa: “o prejuízo de voltar para trás seria incalculável”

Marco António Costa fez uma analogia entre o que se passa em Faro e o que acontece no País: “Quem não deve não teme. E nós não devemos porque temos a consciência tranquila. Fazemos o melhor que podemos para livrar os portugueses dos efeitos da gestão ruinosa do Governo anterior que deixou o País numa situação de pré-banca-rota. Não fomos nós que colocámos o País sob protectorado da troika.”. E em Faro, acrescentou, “passa-se exactamente a mesma coisa”. O Executivo do Eng.º Macário e do Prof. Bacalhau “levou quatro anos a colocar a autarquia num rumo de credibilidade que não tinha e que todos lhe reconhecemos hoje. O prejuízo de voltar para trás agora seria incalculável para o Município”, sentenciou.

A INTERVENÇÃO INTEGRAL DE ROGÉRIO BACALHAU:

“Desde que aceitámos o desafio que nos foi lançado, este é para nós o dia mais especial. Acabámos de entregar no Tribunal de Faro as listas que compõem a candidatura JUNTOS POR FARO. É para mim uma honra e uma enorme responsabilidade encabeçar esta equipa que hoje se apresenta. Quero agradecer a disponibilidade de todos e dizer-vos que tenho a convicção de que se trata, sem dúvida!, da melhor lista candidata a esta eleição.

Quero ainda, muito em especial agradecer ao meu amigo Dr. Gomes Ferreira, o facto de estar connosco. Neste caso, é a Assembleia Municipal quem fica a ganhar. E nem sempre tem sido bem tratada a casa da democracia, por excelência, aqui em Faro. Dr. Gomes Ferreira. Consigo como Presidente da Assembleia Municipal podem os farenses ficar descansados. Pois sei que exercerá com responsabilidade a sua experiência, o seu prestígio e o seu capital de respeito. É Faro quem ganha.

Caros representantes das forças politicam que suportam a nossa candidatura. Quero agradecer-vos muito especialmente o facto de aqui virem hoje a Faro apoiar a nossa candidatura. Caro Marco António Costa. A si, muito especialmnte, quero dizer-lhe que ouvi com particular atenção as suas palavras. As de hoje e as que proferiu esta semana em Vila Nova de Gaia. Quero dizer-lhe: também nós aqui em Faro não devemos ter medo de ganhar esta eleição. Quem devia ter medo são os que, depois de tanto mal terem feito à nossa autarquia, agora querem regressar. Sabe-se lá com que intenções. Sabe-se lá a coberto de que interesses.

Passaram-se quase 4 anos. 46 meses. 198 semanas desde que tomámos posse em 2009. Mas parece que foi ontem que eu, o Eng.º Macário Correia e toda a equipa entrámos nos Paços do Município e verificámos com espanto que mal tínhamos caixa para pagar os salários aos nossos colaboradores; que constatámos a existência de uns milhões de euros em facturas para pagar sem cabimento legal ou contabilístico.

Sim, Dr. Marco Antonio Costa! Aqui em Faro era assim que se geria o Município. As facturas eram amontoadas em caixas sem que ninguém ousasse sequer tocar-lhes. Isto aconteceu há 46 meses apenas! O Município pagava a 400 dias. Havia milhares de facturas por pagar. Os nossos fornecedores padeciam, vendo o tempo a passar sem que a Câmara pagasse um cêntimo do que lhes era devido.

Sim, Dr. Marco António Costa e representantes das forças que nos apoiam. Os senhores vêm de longe e provavelmente não sabem. Mas a Câmara de Faro arruinou centenas de empresários, clubes, associações e honestos comerciantes. Aqui, antes da crise havia um fenómeno que já desestabilizava o tecido económico-social do concelho. Era a autarquia que, gerida irresponsavelmente, servia para o benefício de uns poucos em detrimento do bem comum. Isto passou-se nesta terra. Há 198 semanas atrás!

Em 2009, deu-se a reviravolta. Todos sabem o que aconteceu quando entrámos na Câmara em Outubro. As dificuldades foram muitas. Mas hoje, reduzimos mais de 8 milhões ao passivo. E pagamos o que consumimos. Somos pessoa de bem! O ordenamento não existia. Não havia regulamentos de qualquer espécie. Nem proximidade com os agentes locais. Os caminhos sujos e desordenados. A máquina não funcionava: perra, sem liderança, sem rumo.

Hoje o que temos é um mundo novo. É bom que as pessoas meditem sobre estas palavras. Face ao que encontrámos em 2009, a realidade actual é um mundo novo. Falo portanto de uma regeneração que está em marcha.

Hoje, temos uma máquina burocrática que responde com eficiência às exigências dos munícipes. Fazemos muito mais com menos. O problema não estava nas pessoas. Estava na liderança ou na falta dela. Organizámos o estacionamento na cidade. Ousámos meter a mão na balbúrdia que era a política de estacionamento. Ordenámos os caminhos e arrumámos os espaços verdes. Criámos regras. Em especial para a atribuição de subsídios, clarificando uma área que era cinzenta há muitos anos.

Ligámos água e esgotos a milhares de famílias do concelho. Agora todas estão abastecidas. Recuperámos muito do parque escolar existente. Fizemos a histórica definição dos limites territoriais com Loulé, lançámos a obra do Parque Ribeirinho com financiamento assegurado, o Pavilhão da Penha está pronto, ao fim de 10 anos e, muito brevemente, será colocado ao serviço dos munícipes. Estamos a caminho de pagar a dívida corrente do Município através do PAEL. E com este instrumento vamos injectar mais de 21 milhões de euros na economia do concelho. Pagando as dívidas de curto prazo assumidas há muitos anos. Fazer mais seria muito difícil na conjuntura actual.

Quero dizer-lhe, Macário Correia. Foi um prazer trabalhar sob a sua liderança. Sinto-me preparado para o que temos que fazer a seguir. O seu plano de 12 anos não vai ficar por cumprir. Não somos iguais. Mas ambos queremos o mesmo. Voltar a Fazer de Faro a capital que às vezes parece que já não somos. Na apresentação da minha candidatura assumi compromissos na área social, no turismo e no dinamismo da economia do concelho.

E desde logo surgiram prioridades:

– Temos de voltar a apoiar as nossas associações sociais, culturais e desportivas que fazem um trabalho meritório e que passam por grandes dificuldades;

– Temos de ter uma especial atenção à educação, continuando a requalificar as escolas e a apoiar as famílias mais carenciadas;

-Temos de apoiar e dinamizar o investimento privado que é quem gera emprego e cria dinamismo nosso concelho;

– E voltamos sempre ao apoio social. É premente este apoio tendo em conta o momento presente de urgência social. Temos de apoiar as instituições que fazem um trabalho meritório no apoio aos mais carenciados;

Das visitas que já fiz há uma que me marcou especialmente.

Temos um bairro às portas da cidade que não pode continuar como está. Estou a falar da Horta da Areia. Criado na década de 70 provisoriamente, continua um dormitório definitivo. É uma iniquidade. Temos de acabar com a situação miserável em que estes Farenses vivem às nossas portas. Temos o próximo mandato para fazer isso. É urgente e só nos dignifica. Fica a promessa: VAMOS RESOLVER O PROBLEMA DA HORTA DA AREIA NESTE MANDATO!

Caros Farenses, a nossa equipa é constituída por gente nova mas com experiência de vida. O que nos move a todos é a ambição de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos Farenses e de quem nos visita. Queremos o desenvolvimento do nosso concelho tendo apenas como baliza a nossa consciência. Não temos por detrás de nós outros interesses que não os da nossa comunidade. Estamos JUNTOS POR FARO. E JUNTOS POR FARO continuaremos. Viva Faro!”

A Direção de Campanha

Categories: Faro

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.