Castro Marim

90 mil visitantes nos Dias Medievais (52)

O castelo e as ruas da vila de Castro Marim foram pequenos para receber os 90 mil visitantes que, entre 22 e 25 de agosto, estiveram na 16.ª Edição dos Dias Medievais.

Durante quatro dias e quatro noites repletas de magia, Castro Marim realizou uma viagem inesquecível na máquina do tempo até à Idade Média, época assombrosa da humanidade habitada por personagens mitológicas, guerreiros e princesas, monstros e fábulas, castelos e banquetes.

Tudo começou no dia 22 de Agosto à tarde, com o esplendoroso desfile medieval pelas ruas da vila onde participaram milhares de pessoas e milhar e meio de figurantes, que vestidos a rigor exibiram os trajes característicos de cada uma das classes sociais de então: o clero, a nobreza, a burguesia e o povo. Ao longo do desfile, a alegria e o fascínio dos visitantes confundiu-se com o som feérico dos bobos, equilibristas, cuspidores de fogo e malabaristas que engrandeceram esta produção cultural e artística de Castro Marim.

Quando o desfile transpôs as muralhas do Castelo, todo o espaço se transformou numa recriação histórica com a abertura da feira e mercado, a animação de rua com gaiteiros, saltimbancos, contadores de histórias, arqueiros, adivinhos e marionetes, onde não faltou a animação infantil para os mais pequenos.

Foi memorável olhar as ruas do Castelo apinhadas de gente, assistindo a exibições encenadas pela Companhia de Teatro Vivarte, pelo Gruppo Folkloristico Medievale Spadaccini, pela Compagnie Entr’Act ou pela Escuela Municipal de Teatro de Cortegana.

Também a música esteve presente nesta recriação da vida quotidiana do homem da Idade Média com as deambulações medievais musicais pelo castelo e pelas ruas da vila e com a participação de grupos nacionais, espanhóis, franceses e italianos como os Ensemble Musical Le Condor, Allambra e as Mozarabes, Compagnie Ande Moro Ilo, Andarilhos de Baião e Pauliteiros de Miranda.

Na noite de sábado, enquanto uma multidão se acotovelava na Praça 1º de Maio, para assistir a “O ataque desvairado dos zaragateiros por amor de uma freira”, pela Companhia de Teatro Vivarte, a Liça do Castelo foi o palco de mais um fulguroso e emotivo Torneio Medieval a Cavalo pelo Esquadrão de Cavalaria da GNR do Alentejo e Algarve, que encantou centenas de espetadores.

Outro dos momentos altos dos Dias Medievais foram os banquetes, confecionados na edição deste ano pela Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, deliciando os comensais com os pratos e sobremesas da época, acompanhados de vinho, cerveja preta e cidra.

É ainda de realçar a ação muito positiva das associações locais que apresentaram nas tasquinhas espalhadas pelo recinto do castelo algumas das iguarias da gastronomia de então, com destaque para as ementas de caça.

Uma das marcas impressivas deste evento é a recriação das artes e ofícios por dezenas de artesãos do concelho, mas também vindos de outras partes do país, através das demonstrações ao vivo das antigas profissões da Idade Média como cirieiro, tosador, ourives, canteiro, barbeiro, ferreiro, sapateiro, tanoeiro e peleiro.

Nesta visita guiada à vida e ao imaginário de então, a uma Idade Média que se deixa viver e sonhar nas suas fascinantes contradições, a 16ª Edição dos Dias Medievais em Marim, vivida e sentida por 90 mil pessoas, terminou com um grandioso concerto pela Compagnie Entr’Act  “À la Croisée des Chemins” e um espetáculo de pirotecnia.

Texto: Município de Castro Marim

Fotos: JMD Series

Categories: Castro Marim

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.