Silves

Tomada de Posse dos novos Órgãos Autárquicos

Os novos Órgãos Autárquicos do Concelho de Silves tomaram posse. Rosa Palma é a nova presidente da Câmara Municipal de Silves e Analidio Braz e o novo presidente da Assembleia Municipal de Silves.

Decorreu no dia 21 de outubro, a cerimónia de tomada de posse do novo executivo da Câmara Municipal de Silves.

Tomou posse a nova presidente da autarquia, Rosa Palma, com os vereadores Mário Godinho e Rodrigo das Neves, eleitos da CDU.

Pelo PSD, tomaram posse os vereadores Rogério Pinto e Graça Neto; pelo PS tomaram posse os vereadores Fernando Serpa e Paulo Pina.

Perante a assistência que encheu o Salão Nobre da Câmara Municipal, a presidente Rosa Palma fez um discurso no qual não esconde a difícil realidade com que o município se confronta, mas em que assume a vontade de trabalhar e de modificar essa realidade.

Discurso de tomada de posse de Rosa Palma como nova presidente da Câmara Municipal de Silves:

«Excelentíssima Senhora Presidente da Assembleia Municipal cessante

Excelentíssimos Autarcas; Excelentíssimos Convidados

Caros Concidadãos
A todos, muito boa tarde,, Obrigada pela vossa presença
Obrigada aos cidadãos do Município de Silves pela confiança depositada na candidatura da CDU
É para mim uma enorme honra representar este município, tão antigo e tão carregado de História, dotado de caraterísticas particulares, atravessando o algarve – da serra ao mar -, com potencial invejável… e portador de riquíssimo património histórico-cultural que importa preservar e valorizar.
É uma honra e uma responsabilidade acrescida presidir a um concelho que escreveu páginas heroicas da história do movimento operário e da resistência antifascista.
Hoje estamos aqui para iniciar um novo ciclo.
Novo ciclo que estimulará a participação e o envolvimento das populações, e das instituições.
Novo ciclo que dará primazia ao rigor, trabalho, honestidade, competência, e respeito pela palavra dada, enquanto forma de estar e intervir publicamente – quer na comunicação com os munícipes – quer no processo de resolução dos problemas do Concelho de Silves.
Novo ciclo que rejeitará os interesses e os jogos de poder da “velha política”, fazendo da intervenção política uma atividade nobre ao serviço dos cidadãos e da comunidade, e promovendo a defesa intransigente do serviço público, com espírito de missão e sentido de Estado.

Caros Munícipes
Não vale a pena esconder a realidade social envolvente.
Os trabalhadores, pensionistas, a chamada classe média, o país, a sociedade e a economia atravessam uma grave crise, desencadeada pelo capitalismo financeiro, e agravada por duras e brutais medidas de austeridade que têm conduzido à destruição do aparelho produtivo, à recessão, ao desemprego e ao empobrecimento generalizado … que se deixarmos… levará ao desaparecimento daquilo a que se apelida justamente de Estado Social (Saúde, Educação, Segurança Social).
As autarquias locais também são atingidas pelos cortes e restrições financeiras. Para 2014, o Governo reduziu em 416 mil euros as transferências para o município de Silves.
Também não vale a pena esconder a difícil situação financeira da autarquia silvense, designadamente, o passivo resultante do triste processo Viga d´Ouro que atingirá valores claramente acima dos 5 milhões de euros que estão inscritos nos documentos oficiais. Estes valores limitarão, naturalmente, a capacidade de realização e investimento da autarquia.

Caros Munícipes
Conforme enunciamos no programa eleitoral, é nossa firme vontade, conduzir os assuntos camarários segundo critérios de boa gestão, organização e planeamento, com transparência, eficácia e eficiência.
Em trabalho de equipa.
Neste trabalho de equipa, contamos com os trabalhadores da autarquia (operários, administrativos, funcionários, técnicos, quadros superiores); – valorizando e estimulando o trabalho e os desempenhos; respeitando cada um e todos; – exigindo somente em troca – lealdade na relação e profissionalismo no desempenho das funções.
Queremos deixar claro que opor-nos-emos, dentro do quadro legal e político, às tentativas de privatização das redes de distribuição de água e saneamento, recolha de resíduos sólidos urbanos ou de outros bens, tendo como preocupação central, valorizar quem trabalha, proteger o emprego, e defender a qualidade do serviço público.
É nossa estratégia mobilizar os recursos humanos, financeiros e materiais da autarquia no seu conjunto, reorganizando-os e potenciando-os.
Atrair investimento e promover as potencialidades do concelho de Silves nas áreas da cultura, ambiente, património, turismo, agricultura e indústria.
Finalizar o processo de revisão do Plano Diretor Municipal.
Não perder de vista “o sonho constantemente adiado” de ver concretizado o projeto estruturante do “Desassoreamento e Revitalização das Margens do Rio Arade”.
No quadro das competências e recursos próprios, e face aos problemas crescentes das famílias, não deixaremos de envidar sérios esforços em termos de diagnóstico e resolução de problemas sociais.

Caros Munícipes
O compromisso dos eleitos da CDU é apenas servir as populações.
Os recursos financeiros não abundam.
Nesta ordem de ideias, tentaremos maximizar as candidaturas aos fundos comunitários e/ou nacionais disponíveis para as autarquias.
Neste Quadro Comunitário ainda em vigor (se ainda for possível) e no próximo (2014/2020), quando os regulamentos e programas estiverem aprovados, não se sabendo, entretanto, em que condições é que os Municípios poderão aceder aos respetivos fundos.
Há que rentabilizar a capacidade de realização interna da autarquia.
A limpeza pública e a recolha dos resíduos sólidos urbanos (a limpeza de contentores), é um dos exemplos, em que a autarquia pode e deve dar um salto qualitativo no seu trabalho.
É a higiene pública que está em causa, mas é também a imagem do próprio concelho.
Cumprir com as obrigações na área das escolas e da educação – apoiando, fornecendo, reparando, apetrechando, definindo políticas municipais, etc. – é uma das principais tarefas do município, tendo em conta o papel primordial da educação no desenvolvimento do país.
É fundamental finalizar, usar e potenciar o papel de vários equipamentos sociais construídos (ou em fase de construção) pela autarquia, colocando-os ao serviço das populações.
Caros Munícipes
Todas as Juntas de Freguesia do concelho de Silves terão igual tratamento, independentemente da força política que as dirigem.
É propósito da autarquia fomentar e apoiar o associativismo, respeitar a sua autonomia, evitar desigualdades de tratamento, a par de uma política de complementaridade/parceria nas ações que desenvolve, evitando ocupar o espaço que é pertença das coletividades.
As corporações de bombeiros do concelho merecerão uma atenção especial, tendo em conta, a missão humanitária e o seu papel decisivo na proteção de bens e populações.

Caros Munícipes
Hoje não é o momento próprio para lamechas e desânimo.
Tenhamos esperança e confiança no futuro próximo.
Tenhamos esperança e confiança no trabalho coletivo, na organização, no rigor e na criatividade, que proporcionará a solução gradual dos problemas.
Apelamos ao contributo de todos neste momento difícil.
Apelamos ao contributo positivo por parte dos Vereadores que compõem o Executivo Municipal, sem exceção.
Apelamos ao contributo positivo de todas as forças políticas com responsabilidades no concelho de Silves, no sentido de se unirem em redor do essencial, colocando sempre em primeiro lugar, os interesses das populações, das instituições e do território.
Todas as propostas construtivas serão bem acolhidas.
Com vontade, trabalho, engenho e determinação, faremos do concelho de Silves, um concelho melhor e mais competitivo, um concelho com melhores níveis de bem estar, e de desenvolvimento.»

Este não é um momento os lamechas. Apelamos a colaboração de todos e estamos abertos a todas as propostas positivas.

Categories: Silves

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.