Loulé

Governo vai apresentar legislação para combater alojamento paralelo no turismo

O Governo vai apresentar no início do próximo ano uma proposta legislativa que enquadre o alojamento local «às novas realidades e tendências e combata o alojamento paralelo», afirmou o Ministro da Economia na abertura da segunda cimeira do Turismo de Portugal, sob o tema «Sazonalidade: ameaça ou oportunidade?», que decorreu na sexta-feira, dia 22 de novembro, em Vilamoura.

Ministro da Economia, António Pires de Lima

Ministro da Economia, António Pires de Lima

Este é «problema sério» que «estamos empenhados em contribuir para a sua resolução já no próximo ano», com nova legislação,  acrescentou António Pires de Lima.

O Ministro sublinhou que «nada temos contra novas formas de alojamento que competem com base nos méritos do seu produto. Mas somos contra novas formas de produto que competem com base na evasão fiscal».

António Pires de Lima referiu também que «queremos que Portugal deixe de ser percepcionado – sei que muitas vezes injustamente – como um país onde se criam dificuldades aos empresários para depois lhes serem vendidas facilidades». Mas a competitividade passa também por acabar com a «burocracia asfixiante» que desmotiva o investimento.

Acerca da sazonalidade do turismo, o Ministro apontou o turismo residencial, como um «produto que pode mitigar a sazonalidade», referindo também sistema de Vistos Gold, destinados a atrair investidores ou compradores para casas de luxo (que vai permitir a entrada em Portugal de cerca de 300 milhões de euros em 2013), e o interesse despertado pelo turismo residencial, nomeadamente na recente missão à Rússia, durante a qual se criaram novas operações que significam um «reforço de cerca de 30 mil turistas».

Contudo, «o produto sol e mar é, e terá de continuar a ser, uma âncora e uma prioridade». O Governo está empenhado em «construir um destino mais diversificado no Algarve, mas nunca para entrar na miragem de que sol e mar têm importância relativa». Aliás, as praias, recentemente colocadas na «categoria de melhores praias do mundo», estarão na primeira linha das ações de promoção.

Relativamente aocrescimento do número de turistas, António Pires de Lima, enalteceu o papel dos empresários, atribuindo-lhes os bons resultados de 2013 e sublinhando que «haverá sempre quem tente diminuir os resultados», referindo-se à ideia de que a subida se deve à agitação na margem sul do Mediterrâneo e aos preços baixos praticados: «A Primavera Árabe desviou turistas, é uma realidade, mas Portugal continua a ter que competir com mundo inteiro por esses turistas»; e se é certo que os preços estão hoje abaixo dos de 2008, sendo esta uma tendência europeia agravada em Portugal pelo excesso de oferta, «nenhum preço baixo serve quando o produto, o destino e os serviços não são de qualidade».

Intervenção do Ministro da Economia, Pires de Lima » 20131122 me turismo

Fonte: Governo de Portugal

Categories: Loulé, Turismo

1 reply »

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.