Portimão

Jovens perspetivaram o futuro de Portimão no Dia da Cidade

sessao_solene1Um conjunto de iniciativas que deram voz às novas gerações pautou o 89.º aniversário da elevação de Portimão a cidade, assinalado a 11 de dezembro, com destaque para o inovador figurino da sessão solene, onde jovens das escolas secundárias e universidades do município apresentaram as suas diferentes perspetivas de “Como vejo Portimão: memória, presente e potencialidades”.

sessao_solene2

Num salão nobre dos Paços do Concelho repleto de munícipes de todas as idades, o presidente da Assembleia Municipal, Francisco Florêncio, abriu a cerimónia, realçando que “não enjeitamos o passado remoto nem o próximo, e afirmamos o diálogo e a auscultação das pessoas e das forças vivas da nossa sociedade, sempre com o futuro como horizonte, buscando antever os seus desafios, para manter Portimão à frente do seu tempo”.

A iniciar as intervenções dos jovens estudantes, Fábio Duarte, aluno do 11º ano na Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, leu o texto “Portimão: (Em) Três Tempos”, escrito em conjunto com os seus colegas de turma Beatriz Luz e Alexandre Severino, do Curso Científico-humanístico de Línguas e Humanidades.

Seguiu-se a intervenção de Dário Alexandre van den Berk Carvalho Coelho, aluno do 12º ano na Escola Secundária Poeta António Aleixo, que manifestou o seu agrado “ao pensar na nossa terra natal como uma linha de caminho-de-ferro: por mais atribulado que o percurso possa ser, por mais mudanças de rumo que sucedam, o comboio em que seguimos caminho nunca se desvia do troço a que se propôs”, sustentando que “Portimão é, inequivocamente, uma linha férrea incrivelmente extensa e é-o, sobretudo e antes de mais, pela vastidão e esplendor da sua História”.

Para Diogo Nunes, do 4.º ano do curso de licenciatura em Direito do Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes, “hoje em dia Portimão transformou-se numa importante zona turística e é um dos cartões-de-visita da região algarvia, onde as ruas estreitas do antigo bairro de pescadores e comerciantes são aspetos que definem o seu caráter como cidade secular, não deixando de frisar a necessidade de requalificar e renovar esta mesma zona”.

Por fim, Rita Cisneiros e Faria Lourenço, aluna do 3.º ano do curso de licenciatura em Gestão do polo local da Universidade do Algarve, considerou que “aquilo que mais marca é a maneira como uma pequena cidade consegue ter tanta vida”, uma vez que “nada se compara à tranquilidade e valor que tem Portimão”.

Após escutar atentamente as intervenções dos jovens, a presidente da Câmara Municipal, Isilda Gomes, confessou-se comovida pelas preocupações que transmitiram, “as quais não cairão em saco roto, pois são prova de que o futuro de Portimão está garantido, porque vocês são Portimão e esta terra é vossa”.

Ao justificar o novo formato da sessão solene, a autarca sublinhou que o objetivo foi “dar voz ao futuro, dando a palavra às novas gerações: estávamos cientes do risco de não ouvirmos só coisas simpáticas, mas se há risco que vale a pena correr é esse”.

Isilda Gomes realçou também o movimento associativo local, que considera “dinâmico e com um papel insubstituível em diversas áreas, do desporto à cultura, da educação à ocupação de tempos livres, do apoio aos idosos ao apoio aos mais carenciados”, deixando aos jovens presentes “o desafio de se empenharem no movimento associativo, trazendo as vossas ideias, projetos e propostas e ajudando-nos a construir Portimão”.

A concluir o seu discurso, a autarca enfatizou a “ligação umbilical” de Portimão ao mar, considerando que “falta agora integrar esta visão e criar condições de suporte para que a cidade se assuma de forma definitiva como capital nacional do mar, canalizando investimentos, congregando vontades e liderando o debate estratégico sobre o papel do mar no futuro do país”, afirmando-se “convicta de que estaremos à altura deste desafio”.

Ao longo da cerimónia, foram ainda atribuídos a 134 funcionários municipais os Títulos Municipais de Dedicação e Zelo, graus ouro, prata e bronze.

Refira-se que a sessão solene foi pautada por diversas intervenções musicais a cargo de sete alunos do curso profissional de cordas e teclas da Escola Básica e Secundária da Bemposta, cuja participação foi enaltecida por Isilda Gomes, como prova de que Portimão tem futuro na promoção de novos talentos.

No dia 11 de dezembro, foram também apresentadas as obras premiadas na 12ª edição do Concurso Literário Manuel Teixeira Gomes, organizado em conjunto pela Câmara Municipal de Portimão e a Arandis Editora para impulsionar novos escritores e promover a criação literária, tendo o júri atribuído o 1.º prémio a Luís Filipe Martins Alexandre com a obra “Da Mala de Cartão ao Canudo”, enquanto Maria Manuela Neves Casinha Nova obteve uma menção honrosa pela obra “Refeições e Petiscos ou Como ainda se Morre por Amor, No Século. XXI”.

Como corolário das comemorações do dia 11, decorreu no Auditório Municipal a Gala do Desporto, onde foram homenageados mais de 400 atletas “campeões portimonenses” em 31 modalidades, quer a nível regional, quer nacional e até internacional, representando 21 clubes e escolas do município.

Até ao dia 16 de dezembro, os portimonenses poderão ainda participar nas diferentes atividades programadas, desde iniciativas culturais a provas desportivas, vivendo a sua cidade e desfrutando das muitas infraestruturas que esta oferece, com destaque para a inauguração a 14 de dezembro da exposição dos trabalhos premiados na 13ª Corrida Fotográfica de Portimão no Museu de Portimão e para a Beta Talk de 16 de dezembro no Café Concerto do TEMPO, à conversa com Luís Correia e Nuno Morgadinho, dois exemplos da nova geração de jovens empreendedores locais.

Por: Município de Portimão

Categories: Portimão

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.