Ocorrências

FARO | Município lamenta incêndio na Horta da Areia

Está definitivamente extinto o incêndio que ontem à noite deflagrou no bairro social da Horta da Areia, causando a destruição das habitações de três famílias. Apesar dos danos materiais, não há ferimentos a registar tendo escapado ilesos todos os nove habitantes bem como os 40 elementos dos corpos de bombeiros que acorreram ao local. A saber, Bombeiros Sapadores de Faro que coordenaram as operações, Bombeiros Voluntários de Faro, Bombeiros Municipais de Olhão e Bombeiros Voluntários de São Brás de Alportel. O alarme foi dado às 21h19, tendo-se entrado em fase de rescaldo perto das 00h00. A natureza altamente inflamável dos materiais empregues nestas construções não facilitou os trabalhos no terreno, tendo sido o fogo dado por extinto às 3h30. Nesta circunstância, há que louvar e agradecer publicamente às forças de segurança e em particular a todas as corporações de bombeiros envolvidas.

O autarca farense, Rogério Bacalhau, inteirou-se da situação no local

O autarca farense, Rogério Bacalhau, inteirou-se da situação no local

Tudo indica que o rebentamento de uma bilha de gás terá sido a causa principal do sinistro, não estando ainda totalmente esclarecidos os contornos desta ignição. Para melhor apurar estas circunstâncias, elementos das forças de autoridade, nomeadamente da Polícia Judiciária, estão no terreno levando a efeito as suas diligências.

Sobre o destino a dar às famílias desalojadas, sabemos que todas elas têm solução provisória em casa de familiares e amigos, onde pernoitaram hoje. No entanto, O Centro Distrital do Instituto de Segurança Social está, em articulação com Câmara Municipal, a proceder à análise da sua situação socioeconómica por forma a darmos um encaminhamento definitivo e adequado a cada caso concreto. Para já, é certo que não voltarão às suas antigas casas que, agora, mais não são do que um monte de entulho e carvão cuja remoção já se iniciou hoje mesmo.

Recorda-se que o Bairro da Horta da Areia é uma zona residencial de habitação social pré-fabricada em elevado estado de degradação. Na sua génese, em 1975, estava a ideia de dar uma solução provisória às dezenas de retornados que então rumaram a Faro. A verdade é que, quase 40 anos passados, o bairro ali continua, servindo de habitação a cerca de 200 munícipes, divididos em 60 agregados familiares. Este executivo já havia anunciado como objetivo para este mandato dar solução condigna e definitiva à maior parte destas famílias. A infeliz ocorrência de ontem à noite põe a nu esta flagrante necessidade. Mas agora, para além da gritante iniquidade, fica também patente a situação de grande insegurança em que vivem aquelas famílias. Por tudo isto, mais do que nunca, a Câmara, em articulação com as instâncias que têm responsabilidades nesta matéria, terá esta zona da cidade como prioridade.

Por: Município de Faro

Categories: Ocorrências

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.