Consumidor

“Ouvi falar de uma campanha sobre o desperdício alimentar. O que tem sido desenvolvido com esta campanha?”

A DECO INFORMA…

logo_deco

Nada se perde, tudo se transforma ou, adaptando a frase feita, tudo tem um novo destino. Este poderia ser o lema na base da reutilização dos alimentos, para reduzir ao mínimo o desperdício, uma prática que o contexto económico e social em crise trouxe para a ordem do dia. Em Portugal cerca de 1 milhão de toneladas de alimentos, 324 mil das quais em casa dos consumidores, vai para o lixo, revela o Projecto de Estudo e Reflexão sobre Desperdício Alimentar (PERDA), desenvolvido pelo Centro de Estudos e Estratégias para a Sustentabilidade, em 2012.

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), numa circular de Dezembro de 2010, sem questionar a actividade das instituições empenhadas em fazer chegar alimentos ou refeições aos mais necessitados, reforça ser “fundamental que as entidades receptoras de produtos doados estabeleçam procedimentos adequados durante a recepção, a classificação, o acondicionamento e a conservação dos alimentos recebidos, antes de os reencaminhar para o seu destino final”.

Tratou-se de uma forma de desbloquear uma lei que até ai, por má interpretação generalizada, impedia que refeições que sobram em determinados espaços fossem distribuídas e aproveitadas, por exemplo, por instituições de solidariedade social.

A Zero Desperdícios conseguiu que várias entidades públicas e privadas contribuíssem para este movimento e desde Abril de 2012 num esforço conjunto entre instituições e voluntários, conseguiram cerca de 600 mil refeições, que de outra forma teriam um fim de vida muito menos nobre.

Também os consumidores podem ter alguns cuidados em casa para evitar desperdício de alimentos:

Reciclar comidas, reaproveitando-a para novos pratos;

Congele alimentos que estão prestes a passar a validade, como carne comprada fresca;

Fruta muito madura, aproveite-a para fazer sumos, no caso dos legumes, utilize-os para sopas;

No frigorífico, arrume os alimentos de trás para a frente, sendo os da frente, os que caducam mais cedo.

Reduza o seu desperdício alimentar e também estará a poupar.

Por: Consultório do Consumidor / DECO – Delegação Regional do Algarve

Categories: Consumidor, Nacional, Opinião

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.