Loulé

A música de Zeca Afonso apresentada por José Mário Branco

O Salão Nobre dos Paços do Concelho foi pequeno para receber todos aqueles que quiseram assistir à Conferência “José Afonso – A canção, do cliché à educação do gosto”, apresentada por José Mário Branco, no âmbito do ciclo “Mestres e Discípulos nas Artes, nas Ciências, nas Humanidades”, e que decorreu no passado sábado.

No ano em que se assinala o 40º aniversário do 25 de Abril, falar da música de José Afonso e da música de intervenção em geral, é também falar de todos os acontecimentos antes e depois da Revolução.

Um certo encontro entre José Mário Branco e José Afonso em 1971 resulta no convite para produzir “Cantigas do Maio” e, depois, “Venham mais cinco”. José Afonso trazia um percurso (antes, durante e depois da sua passagem por Coimbra) que pode explicar o movimento que se seguiu na canção em Portugal e que José Mário Branco veio a integrar.

É num enquadramento histórico muito específico – o da ditadura, da censura, das lutas académicas, da guerra colonial – e num contexto político e social muito particular que se dá o nascimento de um movimento de renovação da canção em Portugal ao qual se convencionou aplicar a redutora designação do canto de intervenção que nesta conferência, foi questionada por José Mário Branco.

A vida e obra de um dos maiores nomes da música portuguesa de sempre foram aqui abordadas por um dos seus companheiros, quer na música, quer na luta contra o regime ditatorial.

O ciclo de conferências “Mestres e Discípulos nas Artes, nas Ciências, nas Humanidades”, que nasce de uma parceria entre o Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) e a Câmara Municipal de Loulé, irá prosseguir a 22 de março, na Alcaidaria do Castelo de Loulé, com a presença de Rui Sanches que irá abordar o tema “Diálogos no Tempo”. Lançar a reflexão sobre o modo como se opera a transmissão do conhecimento através da definição e sedimentação de linhagens em distintas áreas do saber representadas no ciclo (mesmo naquelas cuja metodologia não é, aparentemente, tangencial) é o principal objetivo desta iniciativa que é também uma partilha do testemunho dos oradores sobre o processo de transmissão de saberes, de técnicas, de paradigmas epistemológicos e artísticos, em áreas como a música, a escultura, a biologia, a literatura ou o teatro.

As conferências, de entrada livre, conferem certificado de assistência.

Por: Município de Loulé

Categories: Loulé

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.