Ocorrências

PORTIMÃO | Julgamento de 16 arguidos por tráfico de droga

Dona de café que responde por tráfico nega acusação e diz que é arguida pelo cadastro.

Julgamento começou na 3.ª feira no Tribunal de Portimão

Julgamento começou na 3.ª feira no Tribunal de Portimão

“Sei que há muita gente que vende e compra droga perto do meu estabelecimento, mas eu estou neste processo só porque tenho um passado sujo”.

Para Margarida Veiga, de 46 anos, que ontem prestou declarações no Tribunal de Portimão, onde responde, com mais 14 arguidos, por tráfico de estupefacientes, as acusações que enfrenta são “injustas”.

Com cadastro por tráfico de heroína (cumpriu seis anos de prisão em Tires), garantiu ao coletivo, no primeiro dia de julgamento, que nunca mais traficou.

“Só trabalho”, garantiu a dona do café Phoenix. O filho, também arguido no processo, confessou ao tribunal que vendia droga, mas sem conhecimento da mãe e afirmou estar “arrependido”.

Os arguidos – 12 homens e três mulheres (aos quais se juntou mais um), seis dos quais em prisão preventiva – respondem por, durante cerca de um ano, terem vendido cocaína e heroína no largo Gil Eanes, em Portimão.

As imediações do café serviam de “local preferencial” para o tráfico. Segundo a acusação, os arguidos também guardavam a droga no Phoenix, de onde a “levavam na boca” até aos compradores.

Os arguidos foram detidos numa megaoperação da PSP, a 13 de junho de 2013.

Fonte: Ana Palma / CM

Categories: Ocorrências

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.