AGENDA

ABRAÇO AZUL na Praia dos Pescadores | 3 de maio

No mês da prevenção dos maus-tratos na infância, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Albufeira associa-se à Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) e organiza o ABRAÇO AZUL.

No próximo sábado, dia 3 de maio, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Albufeira lança um desafio às famílias do Concelho, com várias atividades a realizarem-se junto à Praia dos Pescadores.

A iniciativa intitula-se ABRAÇO AZUL e pretende despertar e sensibilizar a consciência do público, em geral, para a problemática dos maus tratos na infância e visa prevenir a violência e promover a defesa dos direitos das crianças.

A abertura do espaço está agendada para as 14h00 e a tarde de atividades vai prolongar-se até às 17h00, de acordo com o programa que se segue:

14h00 – Danças Orientais
14h30 – Esquadra de Cavalaria
15h00 – Música Rap
15h30 – Risoterapia
16h00 – Zumba Fitness para crianças
16h30 – Zumba Fitness para famílias
17h00 – Dance Kids

Em simultâneo, vão decorrer também diversas atividades destinadas às famíias, tais como: modelagem de balões; pinturas faciais; gincana familiar; jogo da família; jogos de cooperação; insufláveis; balões; animação variada com mimos e palhaços; ateliers; ações de divulgação e o laço humano.

Neste sábado, não fique em casa! Participe nas atividades que o CPCJ preparou e contribua para um abraço azul gigantesco, em Albufeira.

A entrada é gratuita.

SOBRE A HISTÓRIA DO LAÇO AZUL:

“O Azul funciona para mim como um constante lembrete / alerta para lutar pela proteção das crianças”, afirmou Bonnie W Finney, fundadora e a grande responsável pelo conceito da Campanha do Laço Azul, que iniciou-se em 1989, nos EUA.

A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade, que se revelaram ”curiosos”, foi trágica e sobre os maus tratos à sua neta, os quais já tinham morto também o seu neto de forma brutal.

E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos.

A história de Bonnie Finney demonstra-nos como o efeito da preocupção de um único cidadão pode ter no despertar das consciências do público, em geral, relativamente aos maus-tratos contra as crianças, na sua prevenção e na promoção e proteção dos seus direitos.

Por: Manuela Lima | Presidente da CPCJ de Albufeira

Categories: AGENDA, Albufeira

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.