Monchique

Rui André defende regresso dos jovens ao interior e ao mundo rural no dia das comemorações do Feriado Municipal de Monchique

As comemorações do Feriado Municipal em Monchique, na quinta feira da Ascensão e ou quinta feira da Espiga – 29 de maio – tiveram o seu ponto alto na realização da Cerimónia Protocolar Municipal que decorreu no Salão Nobre da Caixa de Crédito Agrícola de Monchique.

Rui André com o Grupo de Cantares da Academia Sénior de Monchique

Rui André com o Grupo de Cantares da Academia Sénior de Monchique

Esta cerimónia contou com as intervenções do senhor presidente da Assembleia Municipal, dos Partidos Políticos com representação na mesma Assembleia e do senhor Presidente da Câmara Municipal, Dr. Rui André. Durante a mesma, foram homenageados os Funcionários com 10, 20, 30 e 40 anos de serviço na Câmara Municipal bem como aqueles que se aposentaram durante o ano de 2014. Decorreu ainda a cerimónia de entrega do Voto de Louvor e Mérito à Associação “ O Monchiqueiro” – Grupo de Dinamização Cultural pelo seu 30.º aniversário durante o ano de 2014, e pelos serviços prestados na promoção da Cultura e identidade do Concelho de Monchique.

A cerimónia foi abrilhantada com a primeira apresentação do Grupo de Cantares da Academia Sénior de Monchique que interpretou alguns temas populares e outros de autoria dos seus membros tendo sempre Monchique como referência.

Rui André, Presidente da edilidade de Monchique, na sua intervenção  realçou que as comemorações do Dia do Vila conferem uma relevância acrescida ao feriado Municipal, porquanto se torna cada vez mais imperioso o reforço da identidade local, da auto-estima e do aprofundamento dos valores que ao longo dos anos valorizaram e incentivaram ao desenvolvimento da nossa terra.

Enfatizou durante o seu discurso a sua firme determinação em colaborar e incentivar ao regresso dos jovens para o concelho que os viu nascer, e que, terão no Municipio um parceiro para o investimento e para a aposta necessária num interior que encerra em si um vasto leque de atrativos e potencialidades associadas a um meio agrícola e florestal que urge valorizar.

Em Monchique, o saber-fazer, associado a um vasto leque de produtos de excelente qualidade, levam-nos a concluir que o património coletivo que nos une constitui uma valiosa ferramenta e um contributo determinante para o crescimento e desenvolvimento locais. Faz por isso, todo o sentido que uma agenda para o desenvolvimento e criação de emprego confira especial atenção à salvaguarda e valorização deste saber fazer, no qual devemos depositar a confiança geradora de um futuro sustentável e capaz de fixar pessoas e gerar emprego e valor no território.

A agricultura constitui muito mais do que uma página da memória e História local, pois ela faz e deve fazer parte do nosso futuro. Este setor constitui hoje para o país, um domínio crucial para a sustentabilidade da soberania económica, assim como para o desenvolvimento harmonioso do território bem como a qualidade de vida das suas populações. Um concelho agrícola e florestal como o de Monchique tem que acompanhar os recentes avanços que a agricultura nacional assistiu com uma reconversão profunda do mundo rural, reconhecendo a sua importância estratégica para o desenvolvimento do país mas particularmente de territórios como o nosso. O investimento no mundo rural deve constituir uma oportunidade de emprego no momento particular em que vivemos, sendo a qualificação dos nossos jovens um potencial de valor para uma reconversão que é não só inevitável como desejável, incorporando uma nova visão para com a terra, a agricultura e a floresta, com as suas múltiplas funcionalidades que devemos valorizar de forma a constituir também uma diferenciação positiva importante para o turismo regional e nacional.
Rui André, convocou a todos para o grande e importante desafio desta reconversão, que deverá pôr fim a ideias feitas e preconceitos associados a um passado em que agricultura estava associada a miséria e ainda hoje, para muitos a nostalgia do campo está associada a níveis baixos de escolaridade e que apesar de ocupar uma parcela significativa da população de então, não lhe dava em troca a qualidade de vida que queiram e que os motivou a fugir para as cidades, pois a prática de uma agricultura obsoleta colocava-os no limite da subsistência.

É por tudo isto convocar os jovens e aqueles que passam por episódios de desemprego, a um olhar crítico e criativo sobre a mediocridade e a rotina, de forma a abandonarmos e ultrapassarmos a tendência para o derrotismo e o pessimismo. O Gabinete Monchique Investe criado pelo Município tem sido um importante agente de incentivo e impulsionador do empreendedorismo e investimento neste território, sendo que timidamente mas também gradualmente se vão registando ideias e projetos que até ao momento perfazem 75, muitos deles criados por jovens que acreditam e por isso apostam no concelho e, logo, no seu futuro.

Decorreu ainda ano dia de ontem a Romaria/Missa Campal no Barranco dos Pisões com um almoço/pic nic de confraternização. As comemorações do Feriado Municipal começaram com a inauguração da exposição fotográfica na Galeria Municipal de Santo António sobre o Medronho, de “Apoema de Calheiros” e que estará patente ao público até 15 de junho e terminam com a apresentação do Livro do Autor Monchiquense, Dr. Fernando Reis Luís, hoje, Sábado, dia 31 de maio, pelas 18:00 no espaço da Nora.

Por: Município de Monchique

Categories: Monchique

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.