Algarve

Projeto Cataplana Algarvia | Aumentar a notoriedade do icónico utensílio é objetivo principal

A Tertúlia Algarvia, a Região de Turismo do Algarve e a Associação Turismo do Algarve promoveram esta segunda-feira, dia 14 de julho, a apresentação pública do projeto Cataplana Algarvia.

Fruto de uma candidatura ao Programa Operacional Algarve 21, esta iniciativa surge da “constatação de que a cataplana, enquanto símbolo da gastronomia regional, ainda é pouco conhecida comparativamente com outros utensílios, como a tajine ou a wok”, explicou João Amaro, presidente da Tertúlia Algarvia.

Por isso mesmo, o objetivo central do projeto é, numa primeira fase, desenvolver conteúdos e promover experiências que “contribuam para a valorização e notoriedade da cataplana e da gastronomia regional”, acrescentou o Presidente da Direcção da Tertúlia Algarvia.

Já Desidério Silva, Presidente da Região de Turismo do Algarve, considerou que esta parceria vai ao encontro do que “temos vindo a fazer, no que diz respeito à valorização dos produtos da região, nomeadamente a gastronomia, que assume um papel cada vez mais importante enquanto oferta diferenciadora”.

Além da edição de vídeos e de um livro de receitas em vários idiomas, este projeto inclui a promoção de dois programas de experiências, que visam dar a conhecer aos turistas e à população local a história, a origem das matérias-primas e o modo de confeção da cataplana.

Estes programas de experiências serão divulgados, em parceria com a Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve, junto de 36 restaurantes da região, de forma a poderem implementá-los.

Os operadores turísticos e os jornalistas nacionais e estrangeiros serão também convidados a experimentar estes programas, através de visitas de familiarização.

Nestas atividades, estão envolvidos doze dos mais reconhecidos Chefes nacionais e regionais, como Augusto Lima, Carlos Valente, Chakall, Frederico Lopes, João Santana, Justa Nobre ou Nuno Diniz, o qual fará uma homenagem a Renato Costa, gastrónomo e investigador falecido em 2011.

Aromas e sabores ao vivo e a cores

Integradas no projeto Cataplana Algarvia estão também demonstrações de cozinha ao vivo em locais de grande afluência de público.

A primeira acontece no dia 25 de julho, em Lagos, na Feira de Arte Doce, cujos visitantes terão a oportunidade de ver fazer e provar uma cataplana doce de marmelos.

Em agosto, a cataplana é protagonista de duas demonstrações, uma no dia 15, no Mercado Municipal de Olhão; e a outra no dia seguinte, no Mercado de Loulé.

Para setembro, estão agendadas três demonstrações: dia 5, na Feira da Dieta Mediterrânica, em Tavira; dia 11, no Aeroporto Internacional de Faro; e dia 13, no Mercado Municipal de Portimão.

Continuidade do projeto está em cima da mesa

Durante a apresentação desta segunda-feira, João Amaro mostrou o interesse em desenvolver mais duas fases do projeto Cataplana Algarvia.

“Faz parte dos nossos objetivos, por um lado, promover uma campanha junto da população local para garantir que a cataplana passe a ser mais utilizada”. Por outro lado, “gostaríamos de trabalhar mais no design e produção”, já que, hoje em dia, “a sul do Mondego, não são produzidas cataplanas e isso abre espaço para que se aposte mais no utensílio e na embalagem”, adiantou o responsável.

Por: Tertúlia Algarvia

Categories: Algarve

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.