AGENDA

XI FEIRA MEDIEVAL DE SILVES – 2014 | 8 a 17 de agosto

A décima primeira edição da FEIRA MEDIEVAL DE SILVES realiza-se entre os dias 8 e 17 de agosto de 2014, no centro histórico desta cidade algarvia. Serão 10 dias de recriação histórica do período medieval da antiga capital do Reino do Algarve.

cartaz

Nesta edição viajaremos pela história dos episódios mais marcantes que levaram à conquista definitiva da cidade pelos cristãos, escrita com cercos, batalhas, saques, derrotas e glórias.

Entre as 18h00 e a 01h00 os visitantes terão oportunidade de viver aventuras únicas, experiências memoráveis que os farão regressar a outras épocas, aos tempos áureos em que Silves era a capital do Al-Gharb.

Dois torneios a cavalo por dia, animação exclusiva no Castelo de Silves, manjares medievais, dança e animação, levarão os visitantes numa verdadeira viagem no tempo, onde será possível ter uma visão do que a cidade terá sido outrora e da sua importância incontornável na história da região. A azáfama nas ruas do centro histórico será constante, respirando-se uma atmosfera com características particulares, num ambiente e cenário únicos, constituídos pelo traçado peculiar do tecido urbano e pela imponência dos seus monumentos.

A Câmara Municipal de Silves, organizadora do evento, mantém a aposta neste evento de referência nacional que promete ser uma das mais aliciantes propostas de animação da região.

História da Feira Medieval de Silves

A primeira Feira Medieval realizada na cidade de Silves foi organizada pela Escola Secundária de Silves, em 1996.

Nos dias 14 e 15 de agosto de 2004, a Câmara Municipal de Silves organizou uma “Feira Quinhentista”, como forma de comemorar os 500 anos do Foral Manuelino de Silves, durante a qual foram recriados alguns momentos característicos da vida quotidiana da época e a leitura do Foral.

Em 2005 fez-se a primeira Feira Medieval, já com organização da autarquia, com um número ainda relativamente pequeno de figurantes e de grupos envolvidos, mas com grande empenho de todos.

De então para cá, todos os anos, no mês de agosto, Silves enche-se dos sons, dos falares, das cores e dos aromas próprios do tempo em que a cidade era capital do Sul do país, sendo a Feira Medieval de Silves uma referência a nível nacional.

Uma estória dentro da História

A Última Conquista (1191 – 1253)

Corria o ano de 1198 e a população de Silves recuperava calmamente das destruições provocadas pelo anterior cerco e conquista da cidade pelos Almóadas, em 1191. Empreendiam-se trabalhos de reconstrução dos muros danificados, construíam-se depósitos de água e silos de aprovisionamento, quando um contingente de tropas de Cruzados assedia novamente a cidade. Tinham sido instigados pelo Bispo de Lisboa a conquistar Silves e a entregá-la ao Rei português, D. Sancho I. A investida de catapultas e setas incendiárias, de dia e de noite, foi poderosa e devastadora, tendo os Cruzados tomado a cidade e levado consigo os despojos do saque, deixando a urbe entregue aos muçulmanos.

As notícias que chegavam a Silves não eram abonatórias para a paz com os cristãos. Em 1217, D. Afonso II, com apoio da Quinta Cruzada, inflige uma pesada derrota aos muçulmanos na praça de al-Qasr – Alcácer do Sal, conquistando-a definitivamente para o domínio cristão, que confirma a sua posse à Ordem de Santiago.

D. Paio Peres Correia toma em 1239 as praças de Cacela, Tavira, Alvôr e, mais tarde, em 1248, apossa-se ardilosamente das fortificações de Estômbar e Paderne, provocando o desgoverno do Vali de Silves, Aben-Afan.

Em 1249, a notícia da capitulação daquelas importantes fortificações provoca a reação do governo da cidade de Silves, que acorre a reconquistar as praças então ocupadas pelos cristãos. A reação revela-se determinante para os destinos de Silves. Com as defesas da cidade fragilizadas, a investida de D. Paio Peres Correia é bem-sucedida. Aben-Afan apercebe-se do golpe, ao retornar à cidade e investe sobre as várias entradas, mas em vão. Na sua fuga, segundo refere a lenda, tenta atravessar com o seu cavalo um profundo pego do Rio Arade e afoga-se. A população, em sua memória, batizou o local com o nome de “Pego do Pulo” ou de Aben-Afan.

D. Paio Peres Correia entrega as terras do Algarve a Afonso X de Castela e Leão, no ano de 1253, que nomeia D. Roberto como Bispo de Silves, sob os protestos de D. Afonso III, que reclama ser o legítimo soberano daqueles territórios. Está, assim, encetada a contenda da possessão das terras do Algarve.

Silves – 10 dias de história que contam “A Última Conquista”

Dia 1 – 1191 – Final do cerco a Silves e entrega do seu governo a Ibne Uazir

A população da cidade de Silves agoniza pelo cerco imposto à cidade pelas tropas de Ibne Uazir e Iacube Almançor. D. Rodrigo Sanches testemunha o tormento das suas tropas e das gentes da urbe, que não têm mais como resistir e entrega o governo da cidade aos muçulmanos. A deposição das armas acontece nas portas da cidade com a saída das tropas cristãs em fila, ladeados pelos muçulmanos em júbilo.

Dia 2 – 1198 – Cerco e assalto a Silves pelos cavaleiros Cruzados

Uma frota de cavaleiros Cruzados, de passagem para a Terra Santa, aporta a Lisboa para abastecimento. O Bispo de Lisboa oportunamente exorta os Cruzados a saquear a cidade de Silves. Os cavaleiros, com maquinaria pesada, torres de assalto, catapultas e bestas incendiárias, realizam um assalto contínuo durante três dias à cidade. A medina é reduzida a ruínas, as portas são abertas e permitem a entrada dos Cruzados, que saqueiam e molestam a população, acabando por abandonar a urbe e prosseguir o seu caminho.

Dia 3 – 1199 – Morte de Iacube Almançor. Advento de Mohâmede Anácir

A campanha empreendida por Iacube Almançor ao Al-Andalus foi um êxito, as fronteiras muçulmanas estavam novamente no rio Tejo. No regresso a casa, Almançor não resiste à exigência da campanha e morre. A notícia rapidamente chega aos locais mais distantes. São realizadas cerimónias fúnebres e vigílias para conhecer o seu sucessor. É aclamado seu filho, Mohâmede Anácir.

Dia 4 – 1217 – Silves perde a sua defesa mais avançada, Alcácer do Sal cai em poder dos cristãos

O fraco governo de Mohâmede Anácir faz eclodir revoltas entre as tribos árabes. Os Almorávidas empreendem ataques por todo o Norte de África. Os cristãos apercebem-se das divergências internas dos muçulmanos e do enfraquecimento dos Almóadas. D. Afonso II conquista a praça de Alcácer do Sal. A notícia rapidamente chega a Silves, mas as divergências entre os guerreiros muçulmanos impedem o desencadear de uma resposta.

Dia 5 – 1224 – Os Terceiros Reinos Taifas

As tribos muçulmanas, Almorávidas e Almóadas, consomem-se em conflitos internos. O Al-Andaluz divide-se novamente em pequenos reinos independentes, as Taifas. Silves passa a integrar o governo de Niebla. D. Sancho II, informado das divisões muçulmanas, incita as suas tropas à conquista das praças de Beja e Aljustrel. Este avanço alerta o governador da cidade de Silves que pressiona o seu suserano, na tentativa de empreender uma confrontação ao avanço dos cristãos.

Dia 6 – 1238 – O acordo entre Aben-Afan e D. Paio Peres Correia

D. Fernando III de Leão e Castela exorta D. Paio Peres Correia a conquistar as praças do extremo sul do Al-Andaluz. D. Paio Peres Correia, conhecedor das práticas muçulmanas, organiza um assalto às praças de Alvôr e Estômbar que se rendem sem grande resistência. Aben-Afan propõe tréguas a D. Paio Peres Correia e estabelecem um acordo. Aben-Afan cede a praça de Cacela a D. Paio Peres Correia e este entrega Alvôr e Estômbar ao Vali de Silves.

Dia 7 – 1239 – D. Paio Peres Correia conquista as praças de Tavira e Alvôr

Cavaleiros cristãos são atacados por muçulmanos de Tavira. D. Paio Peres Correia sai em auxílio dos seus cavaleiros e submete essa praça. Após aquela conquista, D. Paio Peres Correia desloca-se com um pequeno contingente de cavaleiros e apodera-se novamente do castelo de Alvôr.

Dia 8 – 1242 – D. Fernando III de Castela e Leão, concede o título de Grão-Mestre de Cavalaria da Ordem de Santiago a D. Paio Peres Correia

D. Fernando III de Leão e Castela concede o título de Grão-Mestre de Cavalaria da Ordem de Santiago a D. Paio Peres Correia pela sua bravura e conquistas das praças do Algarve. Já intitulado Grão-Mestre de Cavalaria da Ordem de Santiago, regressa às terras do Algarve e prepara as praças recém-conquistadas e as suas tropas para uma ofensiva derradeira às fortalezas que se encontram na posse dos infiéis.

Dia 9 – 1248 – As praças de Estômbar e Paderne capitulam ao Grão-Mestre D. Paio Peres Correia

Na senda de ocupação cristã em torno da medina de Silves, o Grão-Mestre D. Paio Peres Correia, ocupa ardilosamente e sem grande resistência dos seus defensores as fortificações de Estômbar e Paderne. O governo muçulmano da cidade de Silves reage violentamente e prepara-se para ripostar à ofensa cometida pelos cristãos.

Dia 10 – 1249 – A tomada de Silves pelo Grão-Mestre D. Paio Peres Correia

Aben-Afan reúne as suas tropas em Silves e ordena a reconquista das praças de Estômbar e Paderne. O Grão-Mestre D. Paio Peres Correia ordena o ataque às portas da cidade de Silves. A medina, mal defendida, com as portas guarnecidas de poucos soldados, é tomada pelo Grão-Mestre, sem grande resistência.

Aben-Afan tenta desesperadamente entrar na cidade e encontra todas as portas muito bem providas de soldados cristãos, pratica então um ataque à porta da Azóia onde é repelido violentamente. Na sua fuga, segundo refere a lenda, tenta atravessar com o seu cavalo um profundo pego do Rio Arade e afoga-se. A população em sua memória batizou o local com o nome de “Pego do Pulo ou de Aben-Afan”.

Dia 10 – 1253 – Afonso X de Castela e Leão nomeia Frei Roberto para Bispo de Silves e do Algarve

A deposição das armas muçulmanas da cidade de Santa Maria de Faro, em 1249, a D. Afonso III, põe fim à conquista cristã do Algarve. O Grão-Mestre D. Paio Peres Correia entrega a posse das praças-fortes ao Rei Afonso X de Leão e Castela, o Sábio. O monarca castelhano ordena Frei Roberto como Bispo de Silves e do Algarve. D. Afonso III, Rei de Portugal, reclama da nomeação do Bispo e a posse dos territórios do Algarve. Está aberta, assim, a contenda sobre a suserania daqueles territórios.

Torneio Medieval continuará a ter duas edições diárias

Com duas sessões diárias, com inicio pelas 20h00, 1.ª sessão, e pelas 22h30, 2.ª sessão, numa liça construída de forma a fazer jus à época, decorre um Torneio Medieval. Os visitantes terão oportunidade de apreciar momentos únicos, em que os cavaleiros se defrontam renhidamente, sentados nos cerca de 900 lugares disponíveis no espaço.

“Xilb dos Pequenos” – o espaço infantil da Feira Medieval

A Feira Medieval também acolhe os mais novos num espaço especialmente criado e pensado para eles. Chama-se “Xilb dos Pequenos”, recordando a palavra árabe que deu origem ao nome da cidade.

Nesse espaço, as crianças entre os 6 e os 14 anos poderão permanecer por um tempo limite de 1h30, realizando diversas atividades, próprias para essa faixa etária.

Os trajos da Feira Medieval de Silves

Os trajos são uma das imagens mais significativas do rigor e qualidade da Feira Medieval de Silves. Propriedade da Câmara Municipal, foram produzidos pelo estilista António Gracias, um filho da terra.

Vários roupeiros disponibilizam, a quem o desejar, fatos de homem, mulher e criança, que são alugados por um valor simbólico (ver preços, mais à frente neste documento).

A Gastronomia: uma atração para todos os gostos

No que toca à gastronomia são dadas a todos os participantes indicações muito claras, no sentido de que os alimentos confecionados não deverão conter ingredientes desconhecidos na Idade Média, como a batata, os pimentos, entre outros (sobretudo, devido ao facto de serem provenientes do continente americano). Procura-se, igualmente, estimular o trabalho de pesquisa e recolha de receitas de origem medieval e a sua reprodução, podendo os visitantes encontrar, na feira, o “coelho na abóbora”, as carnes assadas no espeto, a doçaria mais antiga.

“Xilb”: a moeda da Feira Medieval de Silves

Durante os dias em que decorre este evento, será utilizado o “Xilb”, uma moeda válida apenas no espaço da Feira e que concorre, como os demais elementos cénicos, trajos e animação, para a criação de um ambiente muito característico e único.

Os visitantes podem trocar os seus euros por esta moeda, num posto de câmbios, embora, caso não o desejem fazer, possam continuar a usar os euros, já que ambos são moeda corrente dentro do recinto.

Haverá três tipos de moeda:

  • ½ XILB = € 0,50
  • 1 XILB = € 1,00
  • 5 XILB = € 5,00

Segurança e Limpeza: uma atenção constante

São tidos cuidados específicos e muito rigorosos no que toca à Segurança e à Limpeza no espaço onde decorre o evento.

Há um especial respeito pelas leis nacionais e comunitárias referentes a Feiras e Mercados temporários. Nesse sentido, são instalados pontos de água potável, bem como canalização e lava-loiças em todas as barracas dedicadas à comercialização de géneros alimentícios, de modo a permitir a lavagem de utensílios ou alimentos. Também as normas da segurança alimentar são devidamente respeitadas, havendo uma estreita colaboração entre a organização e a ASAE.

A limpeza do recinto é realizada diariamente pelos nossos serviços. Os espaços públicos mostram sempre asseio. A limpeza das barracas e tabernas é da responsabilidade dos seus promotores.

Há um plano de emergência específico para o evento, que contempla todas as situações de risco possíveis, estando os elementos da Proteção Civil Municipal encarregues de monitorizar em permanência e no local, em colaboração com as demais entidades responsáveis pela segurança pública, todos os aspetos que se prendem com a segurança. Para além disso, uma empresa de segurança privada vela, 24h00 sobre 24h00, pela segurança de barracas e haveres dos expositores, bem como pelos visitantes da Feira.

A imagem da X Feira Medieval

Fotógrafo Convidado

Quando se assinala a XI Feira Medieval de Silves e procurando, como no ano de 2013, trazer para o evento nomes de fotógrafos da cidade de Silves, o Município convidou André Boto, jovem artista que viveu na cidade (onde ainda permanece a sua família, que visita com frequência) e que hoje é uma referência nacional e internacional no mundo da fotografia.

Licenciado em Artes Decorativas e com diversos cursos especificamente ligados á fotografia, recebeu várias distinções, entre as quais destacamos a de Fotógrafo Europeu do Ano 2010, pela FEP – Federation of European Photographers; a de MQEP – Master Qualified European Photographer, pela FEP; a de Embaixador para o Ano Internacional da Juventude 2010-2011, sob a chancela das Nações Unidas.

Vencedor de vários prémios internacionais, como o primeiro lugar na Categoria Natureza do Concurso Nacional de Fotografia NATIONAL GEOGRAPHIC (2009) ou de duas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze no FEP European Profissional Photographer of the Year Awards, BÉLGICA (2012), tem tido os seus trabalhos expostos em diversos locais, para além de Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica e Dinamarca.

Orienta workshops e formações e tem trabalhos de muitas naturezas, em que colabora com as mais diversas instituições, quer ligadas á moda, ao teatro, à cultura.

O seu vasto currículo pode ser visto em http://www.andreboto.com/curriculumPT.pdf e http://www.andreboto.com/biography.html.

Sobre a criação da imagem para a XI Feira Medieval de Silves diz:

«Há fenómenos fascinantes, e quanto a mim a cultura medieval é um deles.

Hoje, devido à conjuntura e à vontade do ser humano atual/contemporâneo ansiar descobrir mais sobre o passado e querer reviver momentos de outros tempos, todos nós damos asas à imaginação de forma a imaginarmos aquilo que se viveria na época medieval.

É certo que essa foi uma altura de dificuldades, grandes e numerosas guerras / confrontos, muito sangue derramado, epidemias, mudanças “sociais” e outras condicionantes que mudaram certamente a forma de viver dos nossos antepassados e contribuíram em parte para que nós hoje sejamos aquilo que somos.

Mas apesar de tudo isso, a visão que nós (a maioria) temos dessa época é algo mais positiva e onírica, com duelos heróicos e honrosos, grandes vencedores em nome da lealdade a um povo, invenções que revolucionaram a vida na época, uma cultura de quotidiano muito rústica/típica e apaixonante, em que, apenas de imaginar, quase conseguimos sentir o cheiro dos incensos e ouvir os sons das flautas características da época.

Enfim, a época medieval, provavelmente por ser algo já distante, tem muito de um imaginário romântico que todos nós alimentamos, fazendo-me parecer uma época que nos faz sonhar permitindo-nos recuar no tempo e regressar a algo que está mais próximo das nossas origens do que a própria atualidade.

É isso que me fascina, o poder desta época nos fazer sonhar e fazer com que cada Feira Medieval, ano após ano, continue a fazer sentido, pois sente-se sempre alguma magia, aromas e sons que associamos a outros tempos e que nos dias de hoje não são tão comuns.

Assim, a criação da imagem (outdoor) da Feira Medieval de Silves de 2014 tem por base dois conceitos fundamentais: a batalha e o sonho.

Por um lado a batalha, pois serve de mote para a época que se retrata este ano, daí a utilização de uma caracterização e produção com uma forte componente bélica.

Por outro lado, o sonho está bem presente na imagem (como uma interpretação/leitura muito pessoal que eu tenho da época medieval), principalmente pela inclusão de dois elementos, as nuvens/névoas que abundam na imagem e as texturas.

Falando de questões mais técnicas e ligadas à forma de comunicar através de um outdoor (grande imagem destinada à leitura das grandes massas) foi necessário usar apenas os elementos estritamente necessários para a interpretação e assimilação do que poderá ser o evento, sem que houvesse demasiados elementos a dispersar a atenção do leitor.

As névoas aparecem a servir, não só de ligação ao tal mundo dos sonhos da época medieval, mas também como fio condutor que nos faz deambular e percorrer um percurso dentro da imagem. Ao mesmo tendo, estas nuvens/névoas fazem com que alguns elementos (espadas e lettering, por exemplo) se destaquem do fundo, ganhando mais importância e facilitando a sua leitura mesmo a grandes distâncias.

A colocação das personagens foi feita num estilo algo cinematográfico, em forma piramidal, criando mais dinamismo.

No fundo, a presença de algumas partes do Castelo de Silves serve de elo de ligação e identificação do local, fazendo com que esta imagem ganhe alguma identidade.

A própria cor geral da imagem ganha um tom acastanhado integrando o castelo e as personagens num todo.»

André Boto

Sessão Fotográfica

Numa intensa tarde de trabalho, com muitas horas de exposição a temperaturas altas, fotógrafos e modelos trabalharam com o fotógrafo André Boto, nas instalações da Fissul, em Silves. Sem cenários, já que tudo seria montado digitalmente, os jovens foram sendo fotografados com diversas roupas, em diversas posições e com várias expressões. O trabalho está documentado e pode ser visto na página de facebook do Município, dedicada à feira (https://www.facebook.com/pages/Feira-Medieval-de-Silves/).

Os figurantes que dão corpo à imagem da edição da feira de 2014 são silvenses e a maior parte deles colaboram habitualmente na feira, quer como figurantes, quer realizando outras tarefas, ou até mesmo estando nas suas barraquinhas ou nas de amigos. São as NOSSAS PESSOAS que dão o rosto a este evento que marca a cidade e o concelho, porque são elas que o vivem durante a preparação e durante os dias em que ele decorre. Foram eles: Ana Catarina de Campos, Bernardo Martins, David Simões, Denis Mota, Inês Costa, Jéssica Pacheco, João Ramalho, Micaela Rosário, Miguel Oliveira, Mónica Vicente e Raquel Martins.

O trabalho começou, como é habitual nestes casos, com a caracterização, a cargo de Anita (Mariana Oliveira), proprietária do Salão Anita, que se associou de forma gratuita a este trabalho. Os modelos foram maquilhados e penteados, quer no salão (que se situa Rua Miguel Bombarda, 39), quer no espaço da Fissul, tendo usado trajos pertença do guarda-roupa da Feira Medieval de Silves e alguns adereços cedidos por Miguel Amaral.

Apoio: Salão Anita (Contato: Anita – 966 960 858; email –  salaoanitasilves@gmail.com; https://www.facebook.com/salao.anita/info)

Spot Feira Vídeo

Também com o intuito de promover os jovens talentos da comunidade, o spot vídeo da XI Feira Medieval de Silves foi criado e editado por Daniel Carvalho, docente na Escola EB 2, 3 Dr. António da Costa Contreiras, em Armação de Pêra.

Pacotes de Açúcar

Com o apoio da DELTA, este ano circulará mais uma coleção de sete (7) pacotes de açúcar, cada um deles com uma fotografia de cada um dos mais jovens modelos presentes na sessão fotográfica deste ano. Estes jovens são voluntários na Feira e todos os anos integram as milícias que apoiam as teatralizações realizadas. Haverá, ainda, um pacote com a imagem genérica de promoção do evento.

Marca d’água da Feira Medieval de Silves

Na procura de uma identidade única da Feira Medieval de Silves, foi criada a marca d’água, a partir da composição de dois elementos gráficos reproduzidos de achados arqueológicos efetuados no Concelho de Silves, que remontam ao período que a Feira Medieval de Silves recria.

A composição gráfica destes dois elementos simboliza a forte influência Mourisca e Cristã, que Silves teve no seu passado histórico e que esteve sempre presente nas recriações históricas que fazem parte da animação da Feira Medieval de Silves.

Pretende-se, desta forma, que este elemento gráfico seja unificador de todas as imagens gráficas da Feira Medieval de Silves, passando a ter presença obrigatória nos suportes gráficos e merchandising da mesma, a par do logotipo da Autarquia de Silves.

A Feira Medieval de Silves: uma referência de qualidade e rigor

Ao longo das edições passadas, o evento vem crescendo e acumulando um sucesso significativo, solidificando-se como uma referência neste segmento de produtos, não apenas na região, mas a nível nacional. Este reconhecimento só é possível pelo trabalho de todos os intervenientes e pelos critérios rigorosos de qualidade, que são adotados na seleção e adequação de todas as decisões.

Para os comerciantes é indiscutível que a Feira Medieval se assume como um negócio, mas para a Câmara Municipal Silves representa uma montra do espólio patrimonial, político e cultural que é inerente ao título Silves. Nesse sentido, são tidos cuidados específicos na conceção/preparação do evento, que são consequência direta do conceito que se pretende implementar nesta Feira, ou seja, a reconstrução de um ambiente histórico, que reflita, com rigor, não apenas os ambientes da época medieva, mas os factos, modos de vida e hábitos (sociais, gastronómicos, políticos, religiosos) vividos na cidade, pelas gentes da época, com qualidade e segurança.

Deste modo, quer a animação, quer a decoração e materiais usados no recinto (onde não podem usar-se, por exemplo, plásticos), quer a seleção de factos históricos a destacar – Todos ligados à história da cidade -, são fruto de um cuidado muito particular por parte da organização, de modo a que quem participa no evento se sinta transportado para outro tempo, vivendo uma experiência única e irrepetível.

A Feira Medieval de Silves em números

Data                                                               08 a 17 de Agosto

Duração                                                         10 dias

Tempo de preparação do evento:                 6 meses

Recursos humanos envolvidos:                    170 pessoas

Número de expositores 2014:                       148 participantes

Número de Tabernas 2014:                          50 participantes

Trajes:                                                            950 unidades disponíveis diariamente

Roupeiros disponíveis                                   2 Roupeiros

Capacidade do recinto do Torneio:               900 lugares sentados

Total de grupos de animação convidados:   17 grupos

Total de animadores:                                     150 pessoas

Número de visitantes 2013                           100.000 mil

Eventos diários

18h00 –           Abertura da Feira Medieval e Cortejo pelas Ruas e Largos da Medina

18h30 –           Leitura do Edital – Portas da Cidade

19h00 –           Teatralização do episódio histórico diário

20h00 –           Torneio de Armas a Cavalo– 1.ª sessão – Liça da Praça Al’ Muthamid

21h30 –           Zaghareet – Fogo e Movimento – Castelo de Silves

22h30 –           Torneio de Armas a Cavalo – 2.ª sessão – Liça da Praça Al Muthamid

00h00 –           Juizo de Alá – Largo da Colegiada

01h00 –           Encerramento

Todas as noites poderá participar nas arruadas, festejos e folguedos que enchem as ruas! Os grupos participantes na XI Feira Medieval de Silves percorrem constantemente o perímetro do evento, enchendo as praças e os becos de pregões, música, dança, folia e cor!

Eventos especiais

» Espetáculo de Encerramento 17 de Agosto – 24h00

De Ibne Uazir a Frei Roberto – Largo da Sé

Grupos Participantes

Teatralizações

– Grupo Cénico Viv’arte (Portugal)

Música

– Al Caravan (Espanha)

– Al-Folk (Espanha)

– Al-Medievo (Portugal)

– Cornalusa (Portugal)

– Eduardo Ramos (Portugal)

– Mozarabes (Portugal)

– Percutunes (Portugal)

– Sons da Suévia (Portugal)

Dança

– Grupo de Danças Medievais Dá para Pular (Portugal)

– Grupo de Danças Orientais (Portugal)

– Emad Selim –dança Tanora (Egipto)

Animação

– Saltimbanco Charneca (Portugal)

– Anymamundy (Portugal)

– Saffron Fire (Portugal)

– Milícia Al-Mu-thamid (Portugal)

– Grupo Cénico Viv´Arte (Portugal)

– Archeryfun (Portugal)

Torneio de Armas a Cavalo

– Grupo Cénico Viv’Arte

Animação no Castelo de Silves

– Grupo Cénico Viv’Arte

– Associação Artística Satori (Portugal)

Preços de Bilhetes

Animação Castelo de Silves                      21h30                         € 5,00 *

Torneio de Armas a Cavalo                       20h00                         € 5,00 *

Bilhete diário                                                           € 2,00

Pulseira                                                        € 3,00  (Pré-venda até dia 7 de agosto)

€ 4,00  Durante XI FMS

* Inclui ingresso de entrada no perímetro

As crianças até 1,30 m de altura estarão isentas do pagamento de entrada na XI Feira Medieval de Silves

Roupeiro

Aluguer trajo adulto                                       € 3,00

Aluguer trajo criança                                      € 2,00

Experiência medieval

Adulto                                                            € 35,00

Criança                                                           € 17,50            Dos 6 aos 10 anos

» A pulseira estará à disponível a partir do dia 14 de julho, em pré-venda, e poderá ser adquirida nas Juntas de Freguesia do Concelho de Silves, nos equipamentos municipais (Piscinas Municipais, Biblioteca Municipal, Castelo de Silves, Museu Municipal de Arqueologia, Centro de Interpretação do Património Islâmico e Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica), e em vários estabelecimentos comerciais da cidade do concelho de Silves.

» Quem pretender adquirir o bilhete diário, deverá dirigir-se às bilheteiras, no dia do evento, na loja FNAC do Algarve Shopping ou online, através do sítio da Ticketline.

 

Seja parte da festa e encarne uma das personagens da XI Feira Medieval de Silves e viva uma História Interminável!

Apoios

Media Partners

RTP

A RTP mais uma vez associa-se a este evento, divulgando a Feira Medieval.

A Rádio e Televisão de Portugal (RTP) é uma empresa estatal, que inclui a rádio e a televisão públicas. É um dos canais de televisão mais vistos em Portugal. Diariamente, milhões de pessoas em todo o mundo assistem, aos seus programas, em países de língua oficial portuguesa como o Brasil; Cabo Verde; Guiné-Bissau; São Tomé e Príncipe; Angola; Moçambique; Timor-Leste; na R.A.E. de Macau na China, em Goa, Damão e Diu, na Índia, incluindo também em países onde há comunidades portuguesas numerosas, em França, Alemanha, Suíça, Luxemburgo, Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá, África do Sul e Venezuela, através da RTPi. Atualmente a RTPi está presente em quase todos os países e regiões do Mundo, incluindo, por exemplo, Santa Helena (ilha), Reunião (ilha), Seychelles, Curaçao, entre tantos outros territórios.

http://www.rtp.pt

SUL INFORMAÇÃO

O jornal Sul Informação, que foi lançado em setembro de 2011, por um grupo de jornalistas profissionais com vasta experiência no Algarve e no Baixo Alentejo, assume-se hoje, quase dois anos depois, como o jornal de referência no Sul do país.

O jornal apresenta-se em edição online (www.sulinformacao.pt), embora planeie, em breve e quando o mercado estiver mais estabilizado, avançar para uma edição impressa e para edições para novas plataformas.

Trata-se, portanto, de um jornal online generalista, que dedica especial atenção às questões da economia e empresas, da cultura e espetáculos, desporto, ciência e educação, ambiente e ordenamento do território, política e autarquias, criminalidade e polícias, sociedade, saúde, turismo e hotelaria, emprego e empreendedorismo, tecnologia, fotografia e criatividade.

Possui ainda um leque de colunistas escolhidos, especialistas em diversas áreas da economia e da sociedade, que todas as semanas assinam artigos de opinião que vão comentando a sociedade do Sul e do país em geral.

O Sul Informação é media partner de importantes eventos nas áreas da Economia, Empreendedorismo, Empresas, Universidade e Educação, Cultura e Espetáculos, Ciência e ainda Desporto, tanto no Algarve, como no Baixo Alentejo.

O Sul Informação está ainda muito presente nas redes sociais (Facebook e Twitter).

Além disso, o Sul Informação tem uma média de alcance diário de 30 mil pessoas, tendo-se já verificado diversos picos virais, durante os quais o jornal atinge um alcance viral de mais de 85 mil pessoas.

Em termos de visitas à sua edição online, o Sul Informação já alcançou uma média de 6500 visitas por dia. Além disso, 65.1% das pessoas que visitam o nosso site pela primeira vez, voltam, enquanto os visitantes gastam uma média diária de 11min 45seg no site.

O Sul Informação já lançou um microsite, que agrega todas as notícias sobre Desporto e prepara-se para lançar mais dois, sobre Cultura e Espetáculos e ainda sobre Ciência. É uma forma de reforçar a disponibilidade de conteúdos nesses canais.

Porque o mundo não pára (e o mundo da comunicação muito menos), o Sul Informação tem muitos planos para o futuro, esperando contar, para tal e como até aqui, com o seu público leitor, fiel e atento.

http://www.sulinformacao.pt/

RUA FM

A Rádio Universitária do Algarve é uma estação que se insere no segmento generalista de serviço universitário. Como órgão de comunicação social visa servir a comunidade em que se insere, baseando-se sempre no respeito pelos princípios da ética, deontologia e do direito, sem qualquer discriminação, assim como pela boa-fé dos ouvintes.

É independente de qualquer órgão de poder ou qualquer outro, que possa tolher a liberdade criativa e de expressão dos seus profissionais e colaboradores. Funciona como um centro de formação radiofónico que visa criar novos valores e profissionais, através da experiência e criatividade, atraindo para o debate novas ideias e conhecimentos.

É isenta, rigorosa e objetiva nas suas ações, na busca do pluralismo da informação, da aproximação à atualidade cultural, social, política, económica e da crítica construtiva. É também um meio favorável ao relacionamento da comunidade académica com a população local, informando sobre o que se passa na Universidade, na localidade, na região, no país e no estrangeiro.

http://www.rua.pt/

Patrocinadores Oficiais

SUPER BOCK/UNICER

Tendo sido lançada em 1927, a Super Bock é a principal marca da UNICER e tem uma história ancorada nas principais tradições cervejeiras e na preservação de um património de qualidade. Atualmente, a Super Bock suporta a sua comunicação em valores intemporais e universais, tais como o convívio, amizade e a cumplicidade e incentiva a partilha de momentos únicos com os amigos, mantendo-se ao longo das últimas décadas como a marca de cerveja preferida dos portugueses.

Com baixo teor alcoólico (5,2%) a Super Bock insere-se no grupo das cervejas Lagers. É produzida a partir de matérias-primas selecionadas e de qualidade, que lhe conferem características de cor, sabor, espuma e corpo que a distinguem das restantes cervejas do mercado e lhe garantem um largo número de apreciadores. Esta qualidade da Super Bock foi igualmente reconhecida no concurso Internacional Monde Selection de la Qualité, onde foi a única cerveja do mundo a receber 29 medalhas de ouro consecutivas. Foi, ainda, a primeira cerveja portuguesa a receber o Certificado de Qualidade da SGS ICS (Serviços Internacionais de Certificação).

Vendida nos 5 continentes, continua a ser a preferida dos portugueses e a mobilizar fãs em diversos eventos que apoia, desde festivais rock, até à Feira Medieval de Silves, onde está presente como um dos principais apoiantes do evento.

http://www.superbock.pt/sb/pt/marca.aspx

CEPSA

A CEPSA é um Grupo energético global, presente em todas as fases da cadeia de valor do petróleo. A sua estratégia de consolidação centra-se em tornar o Grupo mais forte e competitivo, posicionando-se como uma das principais empresas europeias do setor energético. Neste sentido, a CEPSA tem registado uma progressiva internacionalização das suas atividades, marcando sólida presença na Argélia, Marrocos, Brasil, Canadá, Colômbia, Egito, Panamá, Peru, Holanda, Bélgica, Reino Unido, Itália e Portugal, comercializando os seus produtos em todo o mundo.

 

Atravessa uma nova etapa de crescimento global, tendo um crescente papel-chave nas atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural, refinação, transporte e comercialização de derivados petrolíferos e de gás, petroquímica, cogeração, comercialização de biocombustíveis e de energia elétrica.

Com mais de 80 anos no mercado, e contando com mais de 11.000 colaboradores em todo o mundo, o Grupo CEPSA abraça novos desafios: maior projeção internacional, crescente sustentabilidade energética, manutenção do espírito inovador, e integral satisfação do Cliente.

Presente no nosso país há mais de 50 anos, a CEPSA Portuguesa é atualmente uma das principais empresas petrolíferas a operar no mercado nacional, dedicando-se à comercialização de gás, combustíveis, betumes, lubrificantes e outros derivados do petróleo.”

www.cepsa.pt

ZOOMARINE

Situado na Guia, concelho de Albufeira, o Zoomarine oferece a todos os seus visitantes, mediante a aquisição de um bilhete único, o acesso a um amplo conjunto de atividades de entretenimento educativo, dos quais sobressai a assistência a 4 apresentações zoológicas com os extraordinários embaixadores dos oceanos, os golfinhos, também com as sempre entusiasmantes focas e leões-marinhos, com as coloridas aves tropicais e com as rápidas e agéis aves de rapina.

Como novidades em 2013, destaca-se o espetáculo de Verão “A Baia dos Piratas”, uma comédia plena de peripécias e acrobacias e a exibição do filme “A odisseia da tartaruga marinha”, uma fantástica viagem a 4 dimensões. Outras das atividades favoritas dos visitantes incluem a visita ao aquário, que integra 20 ecossistemas marinhos, o usufruto de 7 equipamentos de diversão – 2 deles aquáticos – o rapid river e o harakiri, as piscinas, a imersão no habitat “Américas”. A visita à exposição “ConsCiência” e ao centro de reabilitação de espécies marinhas encerram um dia de sonho, para pequenos e graúdos.

Adicionalmente e mediante a aquisição de um programa pedagógico complementar intitulado “Dolphin Emotions”, o Zoomarine oferece a possibilidade aos visitantes de conhecerem e inter-atuarem com golfinhos roazes e assim experimentarem sensações únicas e inesquecíveis, próprias da relação diária entre golfinho e treinador.

Desde a sua inauguração em 1991, o Zoomarine já recebeu mais de 9 milhões de visitantes, o que o torna numa das atrações mais visitadas no Algarve e em Portugal. A par da sua vertente de entretenimento e educação ambiental, o Zoomarine tem também uma participação ativa no campo da conservação da vida marinha e dos seus habitats naturais (http://www.zoomarine.pt/pt/conservacao).

Já no ano de 2013, o Zoomarine foi eleito pelo maior portal de viagens do mundo – TripAdvisor, como um dos melhores parques temáticos da Europa.

AMENDOEIRA GOLF RESORT

O Amendoeira Golf Resort é um empreendimento do Grupo Oceânico que dispõe de uma variedade de apartamentos e moradias de estilo e design modernos, complementados por magníficas piscinas.

O empreendimento fica situado nos jardins adjacentes aos dois campos de golfe: o Oceânico Faldo Course e Oceânico O’Connor Jnr. com vista para o exuberante Amendoeira Clubhouse.

O campo Oceânico Academy de 9 buracos, par 3 iluminado e o Amendoeira Golf Academy & Fitting Suite dispõe de infraestruturas de última geração indispensáveis à prática de golfe.

Este empreendimento para além da prática de golfe, venda de propriedades de luxo e férias, ainda possui um complexo desportivo que já recebeu inúmeras equipas de futebol profissionais para os seus estágios.

O Amendoeira Golf Resort fica localizado no centro do Algarve, perto da cidade histórica de Silves pelo que é com maior orgulho que apoia a Feira Medieval de Silves, concelho no qual se insere.

www.oceanicogroup.com

CONTINENTE

Os Hipermercados Continente são propriedade da Sonae, uma empresa de Retalho, com duas parcerias nas áreas de Telecomunicações, Media e Software e Sistemas de Informação (Sonaecom) e Centros Comerciais (Sonae Sierra). No final de 2009, a Sonae empregava cerca de 39.400 colaboradores (é o maior empregador privado português) e atingiu um volume de negócios de cerca de €5.7 mil milhões. Tem, também, uma dimensão internacional estando já presente em 29 países. Valoriza fortemente o seu capital humano, promovendo uma cultura empresarial de liderança, disponibilidade para a mudança, lealdade, rigor e transparência e aposta no desenvolvimento sustentado das suas atividades como retalhista, no respeito por um conjunto de elevados critérios de Ética, no relacionamento com os seus diferentes stakeholders e manifestando uma forte sensibilidade e aderência aos princípios de responsabilidade social e corporativa.

A revista CONTINENTE MAGAZINE, editada por esta empresa e à venda nas suas lojas, tem associado um voucher de oferta de um bilhete de entrada na Feira Medieval, para quem adquira uma entrada.

http://www.continente.pt/pt-pt/public/Pages/homepage.aspx

FNAC

A FNAC AlgarveShopping, abriu na Guia – Albufeira, no dia 23 de Junho de 2005.

Num mundo que se faz diferente todos os dias, partimos do Livre Acesso à Cultura para desenvolver um local de experimentação e de contacto privilegiado com novas tecnologias, novas ideias e novas soluções, cada dia mais adaptadas às necessidades de todos os que nos procuram.

Num mundo onde a informação circula sem cessar e o progresso é uma realidade a cada momento que falamos, antecipamos novas exigências e estimulamos a vontade de descobrir.

A FNAC AlgarveShopping, situada a 5 Kms de Albufeira, aposta fortemente na evolução do conceito arquitetónico, apostando no design e bem-estar dos seus clientes. Representa 1500m2 de superfície comercial, onde a oferta é imensa: tecnologia wireless (computadores portáteis, telemóveis, tablets, redes), Imagem Digital em todas as declinações (fotografia, vídeo), Som e Imagem em escuta.

No espaço Fnac AlgarveShopping introduzimos diversas novidades, promovendo e facilitando o acesso à diversidade cultural e à livre experimentação das novas tecnologias.

Desfrute da maior oferta em livros, discos, filmes, fotografia, informática, imagem e som digital, telecomunicações, consolas, jogos, software profissional e educativo.

Têm ainda ao seu dispor uma secção de revistaria, laboratório fotográfico, bilheteira de espetáculos, e inaugurada recentemente a nova secção de Papelaria.

Um novo Fórum FNAC dotado de Hot Spots que permite o acesso à Internet, sem fios, a partir do seu computador, tablet ou smartphone. Este espaço, recentemente renovado, proporciona, ao longo de todo o ano, uma programação cultural diversificada: música ao vivo, exibição de filmes, debates, encontros com escritores e muitos outros eventos, possibilitando a manifestação das mais variadas expressões artísticas. Pode ainda ter acesso às últimas novidades tecnológicas através de workshops, nomeadamente de fotografia e vídeo digital, que lhe oferecemos. A FNAC AlgarveShopping, à semelhança de todas as Fnac, é não só um espaço de cultura e de divulgação de novos talentos, criando uma profunda sinergia com todas as instituições culturais regionais.

Pela Galeria Fotográfica passam as exposições dos mais conceituados fotógrafos nacionais e internacionais, permitindo o acesso de todos os olhares às mais prestigiadas criações fotográficas. Toda a informação sobre a programação cultural encontra-se em www.culturafnac.pt e na Agenda Fnac disponível quinzenalmente na loja.

http://www.fnac.pt

http://www.culturafnac.pt

Apoios

DELTA

A Delta Cafés, na pessoa do seu fundador, Manuel Rui Azinhais Nabeiro, transportou para o modelo de negócio a essência relacional da magia do café. Conhecedor do mercado do café e empreendedor por natureza, Rui Nabeiro decide em 1961 criar a sua própria marca de cafés. Na vila alentejana de Campo Maior, num pequeno armazém com 50 metros quadrados e sem grandes recursos, inicia a atividade com apenas duas bolas de torra de 30 kg de capacidade. O relacionamento entre a Delta e os seus clientes é em todo idêntico ao do homem do balcão e do seu cliente de todas as manhãs: aprenderam juntos a confiar e a partilhar a vida no sabor e aroma de uma chávena de café. A Delta colabora com a Feira medieval de Silves desde 2011, editando em 2013 a segunda coleção de pacotes de açúcar deste evento, que serão distribuídos por todo o Algarve.

http://www.delta-cafes.pt/

PUBLIRÁDIO

A Publirádio é uma empresa que atua há mais de 30 anos no sector da Publicidade Exterior em Portugal, oferecendo soluções norteadas pela preocupação de buscar os mais elevados níveis de qualidade e a satisfação das necessidades dos seus parceiros. Possui uma equipa talentosa, entusiasmada e profissional, com sólido conhecimento e experiência, dinâmica e fortemente motivada. Desenvolvem trabalhos na área do marketing e publicidade, podendo trabalhar desde o desenvolvimento de uma marca, à produção de todos os materiais comunicacionais associadas a ela, incluindo a produção de vídeo. Dinamizam o projeto Digitalmais TV.

http://www.publiradio.pt/

TURISMO DE PORTUGAL – ALGARVE

A Região de Turismo do Algarve (RTA) é uma pessoa coletiva pública, de natureza associativa, com autonomia administrativa e financeira e património próprio, com sede em Faro e postos de turismo espalhados pelos 16 concelhos do território algarvio.

A sua missão é a valorização e o desenvolvimento das potencialidades turísticas da região algarvia, bem como a gestão integrada dos destinos no quadro do desenvolvimento turístico regional, de acordo com as orientações e diretrizes da política de turismo definida pelo Governo e os planos plurianuais da administração central e dos municípios que a integram.

As atribuições da RTA são:

  • Colaborar com os órgãos da administração central e local com vista à prossecução dos objetivos da política nacional que for definida para o turismo, designadamente no contexto do desenvolvimento de marcas e produtos turísticos de âmbito regional e sub-regional e da sua promoção no mercado interno alargado;
  • Definir o plano regional de turismo, em sintonia com a estratégia nacional de desenvolvimento turístico, e promover a sua implementação;
  • Assegurar o levantamento da oferta turística regional e sub-regional e a sua permanente atualização, no quadro do registo nacional de turismo;
  • Organizar e difundir informação turística, mantendo e/ou gerindo uma rede de postos de turismo e de portais de informação turística;
  • Dinamizar e potenciar os valores e recursos turísticos regionais e sub-regionais;
  • Monitorizar a atividade turística regional e sub-regional, contribuindo para um melhor conhecimento integrado do setor;
  • Assegurar a realização da promoção da região, enquanto destino turístico e dos seus produtos estratégicos, no mercado interno alargado compreendido, pelo território nacional e transfronteiriço com Espanha.

http://www.turismodoalgarve.pt/home.html

http://www.visitalgarve.pt/visitalgarve/vPT/NaoPerca/Detail/?EventoId=5166

Por: Município de Silves

Categories: AGENDA, Silves

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.