Desporto

Campeonato Nacional de Clubes Solverde | VILAMOURA TRICAMPEÃO MASCULINO

15.º título da história dos algarvios e o 1.º do clube de Gaia, que não conseguiu a dobradinha. Oporto, a jogar em casa, garantiu o 3.º lugar masculino e Quinta do Fojo o 3.º feminino.

O Clube de Golfe de Vilamoura, no torneio masculino, e o Club de Golfe de Miramar, no feminino, confirmaram o favoritismo que lhes era atribuído à partida no Campeonato Nacional de Clubes Solverde e impuseram-se nas finais de hoje (Domingo).

Tanto os algarvios como as gaienses tinham vencido a primeira fase do torneio em stroke play e nos últimos três dias também dominaram em match play. Foram, por isso, vitórias inquestionáveis, alcançadas nesta 51ª edição da prova, que a Federação Portuguesa de golfe (FPG) organizou no Oporto Golf Club, em Espinho.

Na Taça Nini Guedes de Queiroz (o torneio feminino) fez-se história na competição, pois Miramar nunca tinha colocado o seu nome no troféu. Miramar derrotou as campeãs do ano passado, do Quinta do Peru Golf & Country Club, por esclarecedores 4-1.

Na Taça Visconde de Pereira Machado (masculino), Vilamoura impediu Miramar de tornar-se apenas no terceiro clube a conseguir a “dobradinha”, ao vencer por ainda mais esmagadores 5,5-1,5. Foi o 3.º título consecutivo de Vilamoura e o 15.º no seu historial, ficando a apenas 1 do recorde nacional de 16 do Club de Golf do Estoril.

A última jornada, iniciada com nevoeiro e com a temperatura um pouco mais baixa, mas a terminar com sol e um pouco de vento, decidiu ainda as outras classificações do torneio. Os restantes resultados, para além das finais, foram os seguintes:

Taça Nini Guedes de Queiroz (torneio feminino): Golfe da Quinta do Fojo-Clube de Golfe do Paço do Lumiar, 3,5-1,5. Este resultado ditou o 3.º lugar da Quinta do Fojo e o 4.º do Paço do Lumiar.

Taça Visconde de Pereira Machado (masculino): Oporto Golf Club-Quinta do Peru, 5-2;

Lisbon Sports Club-Club de Golf do Estoril, 3-2; Belas Clube de Campo-Oporto B, 3-2; Clube de Golfa da Ilha Terceira-Clube de Golfe do Centro, 4-1; Quinta do Peru B-Oitavos Dunes, 5-0 (por falta de comparência da equipa de Oitavos).

Na sequência destes resultados, a classificação final, para além dos finalistas, ficou ordenada do seguinte modo: 3.º Oporto, 4.º Quinta do Peru, 5.º Lisbon, 6.º Estoril, 7.º Belas, 8.º Oporto B, 9.º Quinta do Peru B, 10.º Terceira, 11.º Oitavos, 12.º Centro.

(As classificações e os resultados completos de todos os encontros, “match a match”, encontram-se no site oficial da FPG).

“Foursomes” fundamentais

Os resultados das finais foram, em grande parte, ditados pelos “foursomes” (pares) da manhã, dado que ambas as equipas campeãs foram para os singulares da tarde a ganhar por 2-0. E como disse Joaquim Sequeira, o carismático treinador profissional de Vilamoura, «quem vai a perder por 2-0 para a tarde está morto. Não quer dizer que seja impossível recuperar, mas é extremamente complicado».

Ora, na final masculina, já se sabia que a dupla de João Carlota e Nathan Brader seria muito forte. Afinal, são dois dos três jogadores que integraram a equipa de Vilamoura que em dezembro se sagrou campeã europeia de clubes. Mesmo sabendo que no dia anterior este par tinha perdido, o treinador manteve a confiança neles e asseguraram o ponto para os algarvios, batendo os nortenhos Renato Ferreira e José Maria Cunha por 1 up.

«Não conhecia os miúdos, mas eles jogaram bem e deram-nos luta. Mostraram talvez alguma inexperiência nos buracos finais», disse o vice-campeão nacional amador, João Carlota.

Mais importante foi a vitória de Vítor Lopes e Francisco Oliveira sobre Tomás Bessa e Pedro Lencart Silva. Apesar de muito jovens, estes jogadores de Miramar complementam-se bem nos “foursomes”, pela potência de Tomás e o fino jogo curto de Pedro. No dia anterior bem tinham provado que um dia poderão ser um temível par na seleção nacional. Ora os algarvios venceram por 3-2 e isso praticamente garantiu o “tri” de Vilamoura logo de manhã.

«O Vítor não perdeu jogo nenhum neste campeonato e o Francisco jogou um golfe espetacular», elogiou Joaquim Sequeira, um treinador “duro”, que não costuma ser de grandes louvores.

Para os singulares da tarde, Miramar fez uma alteração na equipa, mas nem assim evitou a derrota. Aos 9 buracos, os algarvios venciam 3 dos 5 confrontos de singulares e só precisavam de 2 vitórias para serem campeões.

Ora Nathan Brader venceu Rui Mendes por 3-2, o mesmo resultado de Vítor Lopes sobre José Maria Cunha. Estavam encontrados os tricampeões nacionais e os capitães decidiram empatar os restantes três duelos, mas vale a pena referir que, nesses, só Pedro Lencart ia na frente por 1 diante de Francisco Oliveira. De resto, Vilamoura dominava os outros dois: Tomás Melo Gouveia liderava por 3 frente a Henrique Barros e João Carlota comandava por 2 face a Tomás Bessa.

De certa forma, foi pena não se concluir o grande embate do dia, entre os “bombardeiros” Tomás Bessa e João Carlota. «Foi um grande “match”. Nesta última semana tenho jogado “matches” de grande qualidade. Que semana esta», comentou Tomás Bessa, de 17 anos. «Estava a ser muito bom. O Tomás é mesmo jogador de “match play”, sempre ao ataque. Ele esteve a ganhar-me por 2 buracos, eu recuperei, depois andámos empatados ou na frente por 1 e no final eu liderava por 2», corroborou João Carlota, de 24 anos, que agora vai representar a seleção da Europa Continental do St. Andrews Trophy, ainda antes de rumar ao Japão para o Campeonato do Mundo Amador, o Eisenhower Trophy.

Duas notas importantes na equipa de Vilamoura: para Tomás Melo Gouveia, foi o seu primeiro título de campeão nacional de clubes. Todos os outros são “veteranos”. E a equipa dedicou a vitória ao capitão Jorge Batista, ausente por doença, daí ter entregado o cargo a Joaquim Sequeira. Logo depois da celebração, os jogadores telefonaram-lhe num momento emotivo. «Mandámos um grande abraço ao Jorge que está numa situação complicada a lutar para atirá-la para trás das costas», disse Joaquim Sequeira.

Miramar e o sonho de Susana Ribeiro

Na final feminina, a história não foi muito diferente. Miramar reforçou-se este ano e, da equipa que em 2013 perdera nas meias-finais com a Quinta do Peru, restava apenas a bicampeã nacional amadora, Susana Ribeiro. Leonor Bessa, Joana Silveira e Inês Santos são “rookies” nesta formação, que se sagrou campeã nacional sem contar com a campeã nacional de sub-18, Beatriz Themudo, que não pôde jogar.

A Quinta do Peru bateu-se galhardamente, mas era vital para as aspirações das campeãs de 2013 vencer pelo menos um dos “foursomes” da manhã. A grande aposta era na formação de Magda Carrilho e Marta Pinheiro, mas quando estas perderam por 2 buracos com Joana Silveira e Inês Santos, já se sabia que Miramar seria campeã nacional.

Susana Ribeiro e Leonor Bessa constituem um par forte e vergaram Sofia Câmara e Sara Pessoa por 4-2 num bom embate.

De tarde, bastava a Miramar triunfar num dos três singulares e quando Susana Ribeiro dobrou os primeiros 9 a liderar por 5 frente a Magda Carrilho, sabia-se que era uma questão de tempo. A bicampeã nacional amadora venceu por 5-3 e as capitãs decidiram empatar os restantes duelos de Joana Silveira-Sofia Câmara e Leonor Bessa-Sara Pessoa.

«Ganhar o Campeonato Nacional de Clubes por Miramar era um sonho de menina. Via as outras jogarem pela equipa e sonhava ser eu um dia a jogar e a vencer. Foi o primeiro Nacional que eu quis mesmo ganhar naquela idade», disse Susana Ribeiro, que somou o seu 4.º título de clubes, embora o primeiro por Miramar. «Os outros foram pelo Estela Golf», elucidou.

«Estou muito contente – declarou Benedita Mendes Ribeiro, mãe de Susana e capitã da equipa feminina – porque era algo que perseguíamos há muito, muito tempo. Eu joguei muitas vezes por Miramar e nunca fomos campeãs. Mas a equipa masculina de Miramar também está de parabéns porque está a fazer um grande trabalho, que já está a dar frutos e dará ainda mais».

Note-se que Susana Ribeiro e Leonor Bessa estão de partida na próxima semana para o Japão, para o Campeonato do Mundo Amador, o Espírito Santo Trophy.

Treinadores satisfeitos com as esquipas

Tanto Joaquim Sequeira, como Nelson Ribeiro manifestaram-se satisfeitos com as suas equipas:

Joaquim Sequeira (treinador e capitão de Vilamoura): «Vi bons jogos hoje de parte a parte. Não ganhámos ao calhas, foi com bons resultados de todos os jogadores. Somos uma equipa que trabalha muito durante todo o ano e isso viu-se neste campeonato, como foi importante, como foram premiadas as equipas que trabalham muito.

«Os meus jogadores foram algo generosos de manhã e tiveram de trabalhar muito para lá chegar ao 2-0, mas à tarde não facilitaram.

«Tenho de agradecer ao Oporto. Fomos muito bem recebidos, pela hospitalidade e pela oferta desportiva. Teria sido mais complicado se a final fosse com o Oporto porque estes miúdos de Miramar ainda não têm a rodagem dos meus. Mas atenção, eles subiram de estatuto neste campeonato. Para o ano já não virão de certeza com o objetivo de chegar às meias-finais. Dentro de dois ou três anos terão uma grande equipa e vão ser campeões nacionais um dia

«Ainda acredito que se tivéssemos terminado a manhã com 1-1 que a vantagem seria nossa para os singulares, mas a guerra deles connosco teria sido diferente e iriam fazer-nos sofrer».

Nelson Ribeiro (treinador de Miramar): «É, de facto, um momento histórico, por ser a primeira vez que ganhamos o torneio feminino e, sobretudo, por termos três jogadoras novas. Às vezes, a tradição pode limitar horizontes…

«Há algo que temos de distinguir nas minhas jogadoras: a idade delas e a idade de treino. Como treinam muito, ficam confiantes nestas situações (em que têm de lidar com o favoritismo desde o primeiro dia). Elas, sentir (a pressão do favoritismo), sentiram, mas abstraíram-se disso e souberam usar a pressão em seu favor.

«Gostei também da equipa masculina. Sei que todos eles deram o máximo dentro do campo e apesar da derrota ficou-lhes a vontade de fazer um pouco mais. Para o ano já regressaremos para manter e até conseguir mais».

Por: Assessoria de Media da Federação Portuguesa de Golfe

Categorias:Desporto, Quarteira

PlanetAlgarve

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s