Algarve

AHETA: «Ano Turístico teve saldo positivo e as perspetivas para 2015 são animadoras»

Em 2014, a taxa de ocupação média / quarto foi de 57,2 %, ou seja, mais 3% do que no ano anterior. Embora ainda longe das ocupações anteriores a 2008 (63,8% em 2007, 68,3% em 2000, 70,2% em 1999), este aumento é considerado bastante positivo, sobretudo se considerarmos que, em 2013, já se havia verificado um crescimento de 4,7%.

Sede da AHETA - Albufeira

Sede da AHETA – Albufeira

O volume de negócios aumentou 5,1% e os resultados líquidos das empresas melhoraram 5,2%. O aumento da procura permitiu aumentar os preços praticados em 3%, face ao ano anterior.

Neste contexto, o ano turístico de 2014 deixa antever que, no médio prazo, 4 a 5 anos, será possível alcançar níveis de ocupação e de receitas, indispensáveis para rentabilizar os investimentos, o que ainda não acontece e, deste modo, melhorar a rendibilidade das nossas empresas.

O Reino Unido (+3,9%), o mercado interno (+12,3%) e a Espanha (+14%) foram os mercados que mais contribuíram para o aumento verificado. Salienta-se o facto de alguns dos mercados externos mais importantes para o Algarve terem registado descidas relativamente a 2013. Assim, o mercado alemão (-3,5%), o holandês (‑2,7%) e o irlandês (-4,6%) encontram-se entre os mercados tradicionais que apresentaram as maiores descidas médias na procura durante o ano.

Os estabelecimentos hoteleiros e turísticos classificados oficialmente no Algarve receberam, durante o ano de 2014, 3,201 milhões de turistas, dos quais cerca de960 mil nacionais, representando um total de 16,875 milhões de dormidas. Destaca-se o facto de os nacionais terem representado cerca de 4 milhões de dormidas, o que representa um crescimento notável.

O grande aumento das dormidas que vem sendo divulgado publicamente por alguns organismos oficiais, não encontra correspondência no aumento das ocupações das unidades hoteleiras e turísticas do Algarve e, muito menos, nos resultados económicos das empresas.

Esta realidade fica a dever-se, essencialmente, às alterações legislativas que contribuíram para um aumento muito significativo das camas turísticas disponíveis, designadamente no que se refere ao facto do alojamento local ter passado a ser considerado como turístico.

Assim sendo, para efeitos estatísticos, a oferta classificada oficialmente subiu no último ano mais de 4 mil e quinhentas camas (+4,1%), enquanto nos últimos três anos aumentou cerca de 10 mil camas (+8,9%), o que justifica o elevado número de dormidas que vem sendo anunciado. Por outro lado, como é do conhecimento geral, os dados estatísticos oficiais são provisórios, sendo sempre, ou quase sempre, corrigidos em baixa, o que aliás já se verifica relativamente a alguns meses do ano de 2014.

Saliência especial para o aumento das vendas online, quer através dos chamados Operadores da NET (+4,5%), quer através dos sites dos empreendimentos hoteleiros e turísticos, (+46,1%), acompanhando o elevado ritmo de crescimento destes canais de comercialização e distribuição de férias nos últimos anos.

Em 2014, o RevPar, ou seja, o rendimento por quarto disponível, também melhorou, tendo passado de € 32,7 para € 35,1 a preços correntes. Acresce que o RevPar, a preços constantes, ainda se encontra abaixo dos valores de 2007.

O Golfe registou um aumento de 4,8%, registando mais de um milhão e cem mil voltas em todos os campos de golfe do Algarve, ou seja, uma média de29.755 voltas por campo.

As Marinas e Portos de Recreio apresentaram desempenhos superiores ao ano anterior, tal como o Turismo Residencial, cujas vendas cresceram acima do previsto.

Entre as principais razões para as subidas registadas destaca-se a desvalorização do euro face à Libra esterlina (-6,6%) e ao dólar (-12%), o que contribuiu, decisivamente, para o aumento dos fluxos turísticos do Reino Unido, nosso principal fornecedor de turistas, evitando, simultaneamente, a saída denacionais para destinos terceiros, uma vez que estes passaram a ser menos acessíveis em matéria de preços.

A aposta empresarial em novos canais de comercialização e distribuição, através, nomeadamente, do recurso às novas tecnologias de informação e ainstabilidade dos destinos concorrentes do sul do mediterrâneo, constituem outras razões para a melhoria da performance do turismo do Algarve em 2014.

Para 2015, os preços sobem, em média, 3,1%, esperando-se um aumento dastaxas de ocupação em 2,8% e uma melhoria dos resultados líquidos das empresas de 5%.

P.S A AHETA disponibiliza uma apresentação gráfica dos resultados turísticos, assim como a evolução durante os últimos 20 anos a todos os interessados.

Por: AHETA

Categorias:Algarve, Turismo

PlanetAlgarve

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s