Algarve

António Cabecinha é o novo Administrador dos Serviços de Ação Social da UAlg

Na manhã de ontem, dia 2 de março, na Sala de Seminários da Reitoria, Campus de Gambelas, António Cabecinha tomou posse como Administrador dos Serviços de Ação Social (SAS) da Universidade do Algarve.

No seu discurso, o novo administrador dos SAS, que já havia coordenado a Unidade de Apoio à Investigação Científica (UAIC) da UAlg, referiu-se às dificuldades financeiras que muitas famílias portuguesas têm para suportar os custos com a educação, salientando que “as universidades têm uma responsabilidade social acrescida, sendo a função dos Serviços de Ação Social cada vez mais importante”.

Assumindo o seu gosto por desafios, António Cabecinha garante que este novo cargo é o seu “maior desafio profissional”, afirmando que “trabalho, empenho, irreverência, frontalidade, honestidade e lealdade” são os valores que a UAlg pode esperar de si enquanto administrador dos SAS.

O novo administrador dirigiu, ainda, algumas palavras de apreço ao administrador cessante, Amadeu Cardoso, agradecendo a sua disponibilidade para transmitir “os seus ensinamentos e a sua experiência”. António Cabecinha não esqueceu os colegas dos diversos setores dos SAS, afirmando que está convicto de que a experiência de todos os trabalhadores permite-lhe encarar “o futuro sem receios.” Para terminar o seu discurso, falou da relevância dos alunos no “aperfeiçoamento dos instrumentos de apoio social aos estudantes e na criação de condições de bem-estar e de qualidade de vida durante o período que frequentem a Universidade”.

António Branco também dedicou as suas primeiras palavras ao administrador cessante, que esteve na origem e dirigiu os Serviços de Ação Social nos últimos 30 anos, destacando a sua “extrema dedicação” a este setor tão importante da Universidade do Algarve.

Já no que se refere ao novo administrador, António Branco teceu uma apreciação muito positiva das qualidades humanas e profissionais de António Cabecinha, solicitando-lhe, no espaço mais curto possível, um programa estratégico orientado para o investimento na melhoria das condições do apoio prestado (residências, bares e cantinas e restantes serviços de apoio social).

O Reitor referiu-se ainda às oportunidades criadas pelos vários programas de financiamento europeu, incluindo os do CRESC Algarve 2020, para a identificação de programas a que os Serviços de Ação Social possam vir a candidatar-se para financiar o investimento e a modernização que considera prioritárias neste novo ciclo, realçando a larga experiência de António Cabecinha nesta vertente, o que será uma enorme vantagem, dado o conhecimento que tem dos mecanismos de financiamento europeu e a sua familiaridade com este tipo de programas.

António Branco defende que “a estratégia de internacionalização do ensino e da investigação também tem de passar pelos Serviços de Ação Social, não apenas na perspetiva da melhor resposta possível às solicitações, mas enquanto parceiro ativo dessa estratégia que tem por finalidade fazer da Universidade do Algarve um destino preferencial de um número cada vez maior de estudantes e investigadores estrangeiros”.

O Reitor salientou ainda que “os Serviços de Ação Social deverão, igualmente, ser a nossa primeira campainha de alarme para as situações de extrema carência, agindo de modo discreto, rápido e determinado para ajudar a minimizar o sofrimento humano, frequentemente envergonhado, que elas acarretam”. Contudo, o Reitor esclareceu que “os Serviços de Ação Social não dão nada a ninguém. Enquanto extensão de um organismo estatal, são, isso sim, responsáveis pela gestão rigorosa de bens públicos, de bens que são de todos, competindo-lhe estabelecer regras e critérios transparentes e justos e fazê-los cumprir, para que os cidadãos usufruam desses bens nas melhores condições possíveis”.

Sobre os Serviços de Ação Social:

Os SAS são um organismo de apoio aos estudantes que frequentam a UAlg, com a finalidade de promover a política de Ação Social Escolar no âmbito do Ensino Superior, tendo como objetivo a concessão de auxílios económicos (bolsas de estudo), bem como a prestação de vários serviços (11 residências, 6 cantinas /restaurantes, 7 bares, serviços médicos).

Por: UAlg

Categories: Algarve

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.