Ocorrências

Égua “Flecha” recolhida pela DGAV encontrada abandonada em Ferragudo

Artigo enviado às redações remetendo para a a página do Facebook http://animaisalgarve.wix.com/stopantoniofelix

No dia 29 de Outubro descobrimos a “Flecha”. A “Flecha” é a égua que foi “resgatada” pela DGAV no dia 4 de Setembro, entregue a um fiel depositário, amigo do Sr. António Félix, com uma exploração pecuária sita em Messines.
Supostamente, esta égua tem estado, desde o dia 4 de Setembro, sob a vigilância da DGAV!!!

De acordo com relatórios oficiais da GNR, esta égua foi retirada pelo próprio Sr. António Félix da referida exploração no dia 25 de Setembro.

Inicialmente, o Veterinário da DGAV, Dr. Pedro Serrano, terá dito que não tinha conhecimento oficial dessa retirada. Hoje, diz que tinha conhecimento e que foi por sua indicação que a égua saiu da exploração de São Bartolomeu de Messines…

O Sr. Félix até disse à GNR que a égua estava no Alentejo!!! E o que o Dr. Pedro Serrano a iria ver no dia 2 de Outubro…

Ora, certo é que esta égua foi encontrada no concelho de Lagoa… mais uma vez, sem acesso a água, comida ou abrigo!!!

Alegadamente, e conforme declarações prestadas ao Cabo Candeias Silva, do SEPNA/GNR de Faro, o Dr. Pedro Serrano afirmou que:
a) A égua está a ser acompanhada semanalmente por si, na qualidade de Médico Veterinário da DGAV do Algarve; e que,
b) A égua está a apresentar uma evolução positiva.

Note-se que esta NÃO é a égua encontrada em Agosto (a qual batizámos de Mary)!!! É outra!!! É a que foi resgatada pela DGAV! A tal que dissemos na altura, não estar tão mal como a primeira!!! E não estava… Agora está!

Depois de 2 meses (60 dias) sob a vigilância (SEMANAL) da DGAV e aos cuidados do Dr. Pedro Serrano, a égua estava, mais uma vez, num terreno, sem água, sem comida, sem abrigo… e está agora assim… como podem constatar!

A GNR recusou-se a resgatar a égua! Ainda que esta fosse, como é, objeto de um processo crime, em fase de inquérito (processo n.º 504/15.0T9SLV a correr termos no DIAP de Silves) e, portanto, prova no âmbito do mesmo.

Apresentado requerimento no DIAP de Silves para resgate da égua, solicitando-se que a mesma fosse entregue aos cuidados da Quinta Pedagógica do Município de Silves, foi proferido despacho pela Procuradora do MP e a mesma regressou à exploração pecuária de São Bartolomeu de Messines, aos cuidados do fiel depositário que, em claro incumprimento do termo de entrega, deixou levar a égua pelo Sr. António Félix… que nem o proprietário é, visto que o animal foi, pelo Dr. Pedro Serrano, registado em nome do filho, Pedro Jacinto Félix.

Os factos são mais que muitos que justifiquem que a DGAV condene o Sr. António Félix nas sanções acessórias previstas na lei que o impedem de exercer a atividade pecuária e que resgatem todos os animais na sua posse.

A DGAV claramente não está a conseguir assegurar o efetivo exercício das suas funções e competências!

Este Veterinário não pode continuar a acompanhar este processo!!!
Se está a acompanhar a égua semanalmente, como é que a égua está agora pior do que quando ele a resgatou???
E porque será que as testemunhas que estiveram ao lado da égua todos os dias desde que ela foi ali “depositada”, nunca ali viram Veterinário nenhum??? Que tipo de acompanhamento é que está alegadamente a ser feito??? Que medicação está a ser preceituada a este animal??? Quando é que é tomada???
O que é que se passa com os dirigentes das entidades competentes que não vêm os factos???

Para acompanhar mais pormenores, consultar a página do Facebook http://animaisalgarve.wix.com/stopantoniofelix

Categories: Ocorrências, Opinião