Algarve

Demolições na Ria Formosa discutidas na Assembleia da República

A equipa do SOS Ria Formosa / Je Suis Ilhéu entregou ontem, dia 20 de janeiro, a petição contra as demolições ao vice-presidente da Assembleia da República, José de Matos Correia, que “nos recebeu amavelmente e conseguiu compreender que este é um assunto que nos toca profundamente porque, segundo ele, os nossos olhos brilhavam de forma diferente ao falarmos das nossas gentes e de todos os verdadeiros problemas relacionados com a Ria Formosa que não são de todo as habitações. Como a petição superou as 4000 assinaturas, comunicou-nos que iria existir uma comissão onde iríamos ser ouvidos, assim como, obrigatoriamente, este problema iria ser discutido em plenário”, adianta a SOS Ria Formosa / Je Suis Ilhéu.

sos_ria

Ainda segundo a equipa, “fizemos diversas reuniões com todos os grupos parlamentares, à exceção do PAN e do CDS/PP”, salientando que “houve bastante abertura por parte dos partidos que suportam este governo para se iniciar uma nova análise da situação das Ilhas Barreira e sensibilizar os decisores governamentais para que se possa chegar a uma solução diferente da que foi apresentada até ao momento. Viemos com o compromisso de que as autarquias também têm uma palavra a dizer, o que para nós faz todo o sentido, e assim esperamos que venha a acontecer”.

Por outro lado, “mencionámos por diversas vezes que não estamos contra a Sociedade Polis, estamos sim contra a politica de prioridades dessa mesma sociedade porque todos aqueles que vivem na Ria Formosa sabem que a poluição, através de esgotos que desaguam diretamente para a Ria e ETARs a não funcionarem é que provocam a calamidade nesta reserva natural”, acrescenta a equipa.

Assim sendo, “não aceitamos de todo o facto de utilizarem a questão do meio ambiente para demolirem habitações, porque o meio ambiente não são apenas flores e borboletas que tanto gostamos, o meio ambiente são as relações, a relação das pessoas com o meio que as envolve e os habitantes da ria formosa não podem ser descartados desse ecossistema como se dele nunca tivessem feito parte. Será ainda um caminho sinuoso e difícil mas as vontades políticas deverão conjugar uma nova realidade e essa foi a promessa que trouxemos”, finaliza a equipa do SOS Ria Formosa / Je Suis Ilhéu.

Categories: Algarve