Loulé

Comunicado do Presidente da Câmara Municipal de Loulé sobre a Fonte de Boliqueime | Atentado à Memória Pública

Por estes dias, a empresa Infraestruturas de Portugal, IP deu uma péssima imagem do que deve ser a preservação de um património que assume sobretudo um carácter simbólico para as populações.

Vem isto a propósito das obras que estão a decorrer na EN 125 e em que aquele organismo público, não tendo consultado os órgãos autárquicos em devido tempo, apresentou como facto consumado o que agora se verifica com a destruição da Fonte/Poço de Boliqueime, que há muitas décadas vinha constituindo motivo de interesse e identificação dos naturais de Boliqueime e, naturalmente, do Município de Loulé.

A Câmara Municipal de Loulé não acompanha esta atitude destruidora e lesiva do património material e imaterial da população e vem demarcar-se totalmente da intervenção que está a ser realizada nessa localidade assim como das demais que estão a decorrer, nas quais se incluem as rotundas projetadas que ignoram os legítimos interesses dos particulares, desenhando soluções que, de todo em todo, comprometem o atravessamento da Via (EN 125), separando-o transversalmente e criando nesse sentido dificuldades à circulação dos peões.

A Câmara Municipal não se revê na política que está a ser seguida pela Infraestruturas de Portugal, assim como pela sua concessionária `Rotas do Algarve Litoral’, tanto mais que, necessitando de proceder à colocação da sua rede de saneamento básico para servir a população ao longo de toda esta área, não foi tida nem achada quanto aos prazos de execução nem as suas sugestões foram tidas em conta, pelo que as obras nesta via terão de se prolongar durante mais tempo e consequentemente com mais gasto de dinheiros públicos.

Este planeamento de geometria variável a que a Infraestruturas de Portugal nos vem habituando, que não atende às necessidades locais como é aliás bem notório em outros Municípios do Algarve, com o não prosseguimento de obras tão necessárias e que deixam uma enorme ferida na paisagem, está em plena rota de colisão com o que se pretende de uma via que se tem apregoado como alternativa à Via do Infante mas que cada vez está mais longe de o ser, mormente quando não se ouvem os municípios envolvidos, dando-lhes apenas a conhecer o facto consumado.

A Câmara Municipal de Loulé não só se insurge como denuncia publicamente esta situação e disso dará conhecimento à tutela governamental.

Loulé, 8 de fevereiro de 2016

O Presidente da Câmara Municipal

Vítor Aleixo

Categories: Loulé