Algarve

Novos postos de contagem de tráfego nas variantes de Faro e Lagos permitem o alargamento da base regional de monitorização

Indicadores do 1.º Trimestre de 2016 revelam um sustentado crescimento dos movimentos no Aeroporto Internacional de Faro e, de novo, a consolidação da retoma dos fluxos de tráfego nos principais eixos rodoviários (A22 e A2). Também os movimentos de passageiros nos modos ferroviário e rodoviário coletivo dos fluxos inter-regionais consolidam crescimentos, assim como o movimento de passageiros nas carreiras fluviais do Guadiana e da Ria Formosa.

Neste trimestre há ainda a destacar a entrada em funcionamento de 5 novos equipamentos de contagem de tráfego nas recentemente concluídas variantes de Faro e de Lagos, cujos valores (absolutos) são já disponibilizados no Portal http://mt.ccdr-alg.pt/.

O Aeroporto Internacional de Faro registou um total de 6.012 voos e de 1.765.771 passageiros (movimento comercial). Relativamente ao trimestre homólogo anterior, destaca-se o aumento de 28,1% quanto ao número de voos, enquanto o movimento de passageiros aumentou 30,3%. Este aumento do número de passageiros constitui a oitava variação trimestral homóloga positiva consecutiva (desde o 2º trimestre de 2014).

Neste trimestre, o A. I. de Faro movimentou um total de 58.500 passageiros com os restantes aeroportos do espaço nacional, valor que corresponde a 7,6 % do total do movimento de passageiros no trimestre. Comparativamente com o trimestre homólogo do ano anterior, há no entanto a destacar um decréscimo de 13,9% no movimento com os aeroportos nacionais.

Relativamente ao modo fluvial/marítimo, foi registado um movimento de 53.219 passageiros nas carreiras da Ria Formosa – o que corresponde a um aumento de 31,3% relativamente ao trimestre homólogo anterior –, e um movimento de 18.073 passageiros na carreira do Guadiana (Vila Real de Santo António / Ayamonte) – que corresponde a um significativo aumento de 33,2% relativamente ao trimestre homólogo anterior. Após anos sucessivos de perdas, quer nos totais anuais quer nas variações trimestrais homólogas, o movimento na carreira do Guadiana vem apresentando significativos sinais de recuperação e regista já a 4ª variação trimestral homóloga positiva consecutiva.

O serviço regional do modo ferroviário (Lagos – V. R. Santo António) movimentou um total de 392.082 passageiros, um ligeiríssimo acréscimo de 0,1% relativamente ao trimestre homólogo anterior. O serviço de Longo Curso (ligações dos serviços Alfa e Intercidades) movimentou um total de 143.257 passageiros, um acréscimo de 14,5% relativamente ao trimestre homólogo anterior. No caso do serviço regional, destaca-se a retoma das variações homólogas positivas; no caso do Longo Curso, releva-se o facto de este ser o décimo primeiro trimestre consecutivo de variações homólogas positivas (série iniciada no 3ºT 2013).

Quanto ao Tráfego Médio Diário (TMD) nos eixos rodoviários principais destaca-se, relativamente ao trimestre homólogo anterior: um aumento de 17,9% do TMD no troço da A2 “Almodôvar / S. B. Messines” (6.202 veículos) e um aumento de 29,1% do TMD na A22 (7.759 veículos). Relativamente ao tráfego na Ponte Internacional do Guadiana, não é ainda possível apresentar os respectivos TMD. De novo, e dando continuidade aos valores para os trimestres anteriores, destaca-se a consolidada retoma dos fluxos em ambas as vias estruturantes (A2 e A22), que registam já 11 trimestres de variações trimestrais homólogas positivas (desde o 3ºT 2013).

Nos eixos rodoviários secundários, há a destacar, em primeiro lugar, a entrada em funcionamento de 5 novos locais de contagem de tráfego na rede regional da Infraestruturas de Portugal, SA. Os equipamentos de contagem foram instalados nas recentemente concluídas variantes de Faro e de Lagos da N125. Por motivos que se prendem com a ausência de histórico para estes postos quanto aos valores para os TMD, não serão para já apresentados os valores absolutos e as inexistentes variações trimestrais, sendo que os primeiros já poderão ser consultados no Portal.

Quanto aos restantes, destaca-se: um decréscimo de 2,5% no troço do IC1 (S. B. de Messines / Tunes), paralelo à A2 (5.590 veículos); um decréscimo de 5,7% no troço da N125 (S. J. Venda / Faro – Nó W), com 34.455 veículos; um aumento de 1,9% no troço da N125 (Tavira / Olhão – Acesso à A22), com 13.773 veículos. Há ainda a registar, nos restantes dois pontos de contagem: um aumento de 11,5% no troço da N120 (Odeceixe / Aljezur), com 3.087 veículos; e um acréscimo de 3,7% no troço da R270 (S. B. de Alportel / Sta. C. Fonte do Bispo), com 2.481 veículos. Relativamente aos troços da N122 (Mértola / Sta. Marta) e da N125 (Odiáxere / Estômbar), a Infraestruturas de Portugal, SA informa que, por motivos de avaria dos equipamentos, não é possível apresentar valores.

Quanto ao movimento de passageiros no transporte colectivo rodoviário, destaca-se: um aumento de 0,7% no movimento das ligações urbanas (1.122.329 passageiros); uma diminuição de 1,1% no movimento das ligações inter-urbanas (1.431.379 passageiros); um aumento de 9,6% no movimento das ligações inter-regionais (146.534 passageiros); e um aumento de 16,8% no movimento das ligações internacionais (carreira Lagos – Sevilha), com 4.207 passageiros.

Como principal destaque neste modo de transporte há essencialmente a salientar: a) o regresso, embora com uma variação trimestral homóloga baixa, às variações positivas nas ligações urbanas; b) a terceira variação trimestral homóloga negativa consecutiva nas ligações interurbanas; c) a oitava variação trimestral homóloga positiva consecutiva no movimento das carreiras inter-regionais.

trafego

Categories: Algarve, Turismo