Loulé

PSD Loulé faz balanço dos 3 anos de mandato de Vítor Aleixo: “Falta de gestão, capacidade e visão”

Temos a certeza que a inércia é algo que não deve ser festejado, mas quando se comemoram 3 anos do mandato socialista à frente da autarquia, lembrámo-nos de 3 palavras que estiveram ausentes e que resumem um certo deslumbre político: gestão, capacidade e visão.

Ao contrário do que tem sido afirmado pelo Presidente Vítor Aleixo e demais vereadores Socialistas, a Câmara Municipal de Loulé ao longo do presente mandato autárquico de 2013/17, nunca teve dificuldades financeiras.
Pelo contrário, existiu muito dinheiro. Só que foi dinheiro a mais e gestão a menos.

Nunca foi tão óbvia a falta de uma gestão proactiva. Usaram tudo aquilo que tiveram como herança, isto é, limitaram-se a concluir as obras em execução ou em concurso deixadas pelo Executivo Social-Democrata.

investimento_realizado

Quanto ao investimento, tão prometido quanto esquecido logo depois, no 1.º ano de mandato (2014), atingiu apenas os 18,3 Milhões de Euros, manteve-se em valores semelhantes no ano seguinte, tendo recuado neste último semestre (janeiro a junho de 2016) de 7,3 para 4,4 Milhões de Euros, comparativamente ao mesmo período homólogo.
Se compararmos estes valores de gestão corrente às disponibilidades financeiras da câmara nos mesmos períodos, onde a proporção de verbas existentes chega a quintuplicar face ao parco investimento, chegamos à conclusão óbvia de que a câmara não poupa, não tem é capacidade ou vontade de investir. Se a tivessem, e para isso bastaria ser coerente com tudo aquilo que prometeram durante a campanha eleitoral, jamais teriam perdido as oportunidades consecutivas de melhorar a vida dos louletanos, desde o litoral até ao interior do concelho.

Em conclusão, em 2014 o Executivo Socialista poderia ter realizado o dobro do que executou em obras; em 2015 o triplo; e em 2016 quatro a cinco vezes mais. Prova-se assim que apesar das disponibilidades financeiras crescentes da CML ao longo do mandato autárquico, a capacidade de desenvolvimento do concelho não aumentou, pelo contrário, diminuiu à medida que se foram esgotando as obras em curso deixadas pelo Executivo Social-Democrata.

disponibilidades_financeiras

Os 55 Milhões de Euros imobilizados na CML por incapacidade da gestão Socialista contrastam com o investimento realizado pelo Executivo anterior Social-Democrata, que investiu no período de 2002/13 mais de 410 Milhões de Euros em despesa de capital. Só na educação e ação social, na construção e ampliação/remodelação de escolas, construção de pré escolares, bem como, no apoio à construção de novos Lares para Idosos, Centros Comunitários e de Creches da responsabilidade das IPSS’s do Concelho, ascende a mais de 38 Milhões de Euros de investimento autárquico. Importa perguntar se tal como o Executivo Socialista, o anterior Executivo Social-Democrata, em vez de investir esses 38 Milhões de Euros na Educação e Ação Social se tivesse optado por aplicações Financeiras em bancos como faz o atual Executivo Socialista o que seria da Educação no Concelho e das respostas Sociais aos Jovens e Idosos?

A isto chama-se falta de visão, porque se bem conhecemos esta forma de governar, daqui até às eleições, não tardarão os desvarios financeiros de última hora, na ânsia torpe de enganar os munícipes do concelho de Loulé.
Recordemos os gráficos. Será que o Partido Socialista de Loulé e o Presidente Vítor Aleixo em particular, ainda sentirão vontade de festejar a sua vontade de não governar?

A Comissão Política de Secção do PSD/Loulé

Categories: Loulé