Loulé

Cónego César Chantre no 23.º Encontro dos Cabo-verdianos: “Quarteira está a mandar aqui”

Os cabo-verdianos a viver no Algarve uma vez mais voltaram a reunir-se no dia 1 de maio para celebrar a fé e a cultura. O 23.º Encontro de Cabo-verdianos, que este ano teve lugar em Loulé, teve início com a celebração da eucaristia na Igreja Matriz, presidida pelo cónego Carlos César Chantre, vigário-geral da Diocese do Algarve, também ele natural de Cabo Verde, auxiliado pelo Padre Nelson, pároco de Loulé.

tudo começou há 23 anos atrás, quando, no Santuário da Mãe Soberana, se iniciou um convívio que se estendeu até aos dias de hoje. Atualmente, não são apenas participantes os cabo-verdianos. O grupo foi crescendo e a ele juntaram-se portugueses e outros povos africanos da Lusofonia.

Este 23.º Encontro ficou marcado pela grande comitiva de Quarteira, o que levou o cónego César Chantre a dizer: “Quarteira está a mandar aqui”, perguntando se o presidente da junta estaria presente. Informado da presença de sua mãe, o cónego César Chantre chamou-a, fazendo questão de a cumprimentar, dando ainda um forte abraço a outra quarteirense, Máxima Amador, pelos seus 90 anos de vida, deixando igualmente um cumprimento especial à comitiva de Mindelo, que veio expressamente da Ilha de S. Vicente, em Cabo Verde.

Dirigindo-se ao presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, o sacerdote sugeriu: “Nunca tenha receio de estimular tudo aquilo que for para as pessoas. Independentemente do credo de cada um, de acreditarmos ou não, este é o nosso povo. Não há outro”, acrescentando: “A câmara respeita todos os credos. Oxalá todos lhe sigam o exemplo”.

O sacerdote destacou a importância da interculturalidade. “Temos aqui um lindíssimo mosaico de cores. Há muitas culturas que não compreendem esta riqueza. É muito importante que os cristãos tenham consciência desta riqueza”, defendendo que são “os emigrantes que vão salvar a Europa” pela riqueza cultural que trazem.

A celebração contou com a participação especial do cantor Dino D’Santiago, também ele de origem cabo-verdiana, acompanhado pelos seus irmãos Lígia e Elísio Pereira, bem como com as Batuqueiras de Cabo Verde, inseridas no coro dirigido por Lígia Pereira.

Depois da eucaristia, seguiu-se o habitual almoço-convívio partilhado que teve lugar no Salão de Festas Municipal.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categorias:Loulé, Quarteira