Loulé

Parceiros da Rota Loulé Social visitam Associação In Loco, em S. Brás de Alportel

O Conselho Local de Ação Social da Rede Social de Loulé efetuou na sexta-feira, 2 de junho, uma visita à sede da Associação In Loco, em S. Brás de Alportel, uma ação que assume um papel impulsionador no fomento de uma articulação próxima entre as várias instituições que operam no Concelho.

Os parceiros sociais foram recebidos pelo presidente da In Loco, Artur Gregório e por Nelson Dias e Vânia Martins.

Artur Gregório transmitiu aos parceiros que “estamos disponíveis para criar parcerias, designadamente ao nível da alimentação saudável e acessível. A Associação In Loco está presente no Concelho de Loulé desde os anos 90, sobretudo na área da cidadania, designadamente através do Programa Escolhas. Mantém a sua presença no inferior do concelho, designadamente em Salir, Tôr e Querença para apoiar iniciativas empresariais no âmbito do Programa Leader. Iniciativas de desenvolvimento local de braço comunitário, tais como manutenção de explorações agrícolas e pequenas atividades familiares. A In Loco desenvolveu ainda no Concelho de Loulé o Programa Prove com cabazes biológicos”.

Artur Gregório disse ainda que “outra iniciativa da In Loco foi a criação das Feiras da Serra em S. Brás de Alportel, Loulé, Silves e Tavira para escoar produtos do interior às cidades mas também o desenvolvimento do ecossistema do vinho na Nave do Barão, na Tôr, e as Hortas Urbanas. Temos uma relação muito antiga com o Concelho de Loulé e por isso temos um Polo permanente em Salir, onde criámos pequenos grupos para prevenção de incêndios florestais no âmbito da Proteção Civil”.

Artur Gregório lembra ainda que foi a In Loco que desenvolveu os projetos “na área dos Orçamentos Participativos e o Plano de Integração de Imigrantes”.

Nelson Dias e Vânia Martins abordaram igualmente as ações que a In Loco tem vindo a desenvolver no Concelho de Loulé.

Sandra Vaz, chefe do Departamento de Ação Social da Câmara Municipal de Loulé, adiantou que “o Município acaba de criar 3 linhas de financiamento para as IPSS”, pelo que as mesmas se devem informar junto da autarquia no sentido de conhecerem melhor estas linhas de apoio e como se devem candidatar.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categorias:Loulé