Entrevistas

Entrevista com João Matos, promotor da mega exposição Lego patente em Quarteira

Depois de publicarmos a reportagem sobre a inauguração da Exposição de Legos no pavilhão gigante instalado na Feira de Verão de Quarteira, no Jardim Vereador Filipe Jonas, apresentamos agora a entrevista com o seu promotor e proprietário, João Matos.

João Matos começa por nos dizer que é da Lourinhã. Portanto, em vez de dinossauros, interessou-se por Legos. Depressa responde: “Por acaso a brincadeira até começou com os dinossauros. Tentar descobrir o que se podia fazer com Legos trabalhando com o Museu do Dinossauro. Tudo começou há 7 ou 8 anos. Ao fim deste tempo, deu para fazer tudo isto que está aqui à vista. Estou agora no processo de concorrer ao Guinness Book para registar o recorde do mundo. Aceitaram a minha candidatura, que paguei. Depois de pagar, abriram-me uma janela onde apresento provas e dados concretos. Concorri com 100m2 de área com uma cidade só de Lego, que é o critério do Guinness Book. Neste momento, já tenho uma área maior e o recorde a bater, segundo o que eles referiram, é de 17m2. Portanto, só falta mesmo o reconhecimento. Eu não fiz isto de ânimo leve. Contactei a empresa Lego e vários especialistas que correm o mundo inteiro atrás de exposições apoiadas pela Lego e disseram que não há ninguém no mundo que tenha a extensão de uma cidade como a minha. Como se vê, temos aqui o quotidiano de uma cidade. Há aqui um pouco de tudo. Não falta nada. É uma cidade viva”.

Supostamente, esta cidade tem vindo a crescer. “Sim, comecei há 8 anos. Nessa altura, não tinha nada e agora é o que se vê”.

A exposição tem passado por vários pontos do país. “Sim, faço 3 a 4 exposições por ano”. Só em Portugal ou já terão surgido convites do estrangeiro? “Só Portugal. Já apareceram outros convites mas uma exposição com estas características e dimensões, em termos logísticos é muito complicado. É um camião TIR a transportar o material e só a montagem são 4 dias”.

Portanto, “uma exposição destas nem sempre compensa mas vale pela satisfação pessoal e o mostrar o brinquedo porque nem todas as crianças têm acesso a ele nem à forma como ele é exposto”, sustenta o colecionador.

Quanto ao grau de aceitação das pessoas, “eu estou contente. Não tenho enchentes de 30 ou 40 mil pessoas num fim-de-semana”. Ainda não foi exposto no Altice Arena, dizemos nós. Logo João Matos responde: “Por acaso, o meu sponsor é a Altice e a exposição será montada no Altice Arena”.

Em termos dos aglomerados urbanos espalhados pela exposição, nota-se alguma arquitetura tradicional portuguesa, designadamente uma área que se assemelha à Ria de Aveiro. João Matos confirma: “Sim, por acaso isso foi outra ideia que eu tive. Estava na Nazaré, no ano passado, com uma exposição que lá levei e preocupei-me em fazer uma coisa diferente porque fui convidado e queria apresentar um trabalho para Aveiro. Foi feito de propósito para a incluir na proposta de exposição para lá”.

O que vai concorrer ao Guinness Book é apenas a parte central, a demonstração de uma cidade. No entanto, a exposição apresentada aqui, em Quarteira, vai muito mais para além disso, com áreas adjacentes. “Sim, o resto são alguns complementos. Não tenho aqui todos os motivos que a Lego mandou para o mercado mas estão aqui alguns. Os Technic, os Monumentos, tenho uma pequena brincadeira de Star Wars, alguns barcos, as figuras de coleção, uma parte dedicada à exploração do espaço, a encenação do Faroeste com cowboys e índios e, depois, uma miscelânea de outras construções”.

A exposição tem ainda uma parte Loja onde as pessoas podem adquirir produtos Lego e um espaço para os mais pequenos poderem brincar.

Para ver no pavilhão gigante instalado na Feira de Verão de Quarteira, no Jardim Vereador Filipe Jonas, até ao dia 2 de setembro. Imperdível.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categories: Entrevistas, Quarteira

1 reply »