Quarteira

PSD Quarteira: «A problemática da Ciclovia reforça a necessidade de uma Consulta Pública à População»

O PSD Quarteira não é contra a ciclovia, nem contra quaisquer outras medidas que visem a melhoria da qualidade de vida e mobilidade urbana dos cidadãos. Acreditamos na criação e implementação de medidas sustentáveis, estabelecidas por um trabalho prévio global a nível de inúmeras valências. Uma determinada medida não pode ser criada de forma desgarrada de outras, avulso e com objectivos pouco claros aos olhos dos cidadãos.

O tema da ciclovia tem provocado na sociedade civil Quarteirense, uma emergente confusão e contestação. Por isso, no dia 5 de Fevereiro no Auditório do Centro Autárquico, teve lugar uma das mais participadas Reunião de Executivo deste mandato, onde foram colocadas diversas questões sobre este projecto. Acreditamos que esta afluência foi motivada por não ter existido uma consulta pública por parte do órgão autárquico, aos munícipes desta Cidade de Quarteira.

Ora vejamos, a ciclovia surge como uma imposição deste executivo do PS, com a conduta que nos tem demonstrado ao longo destes 5 anos “eu quero, posso e mando”, foi assim, que sucedeu quanto à criação da “Feira de Verão” e a “expulsão dos Artesãos do Calçadão de Quarteira”, em que imperou somente a posição deste executivo, de facto, o seu lema é, “Primeiro impomos e depois educamos”. Face a mudanças drásticas deste género, primeiro perguntamos de forma geral à população e depois em concordância, educamos e aplicamos.

A criação de ciclovias em Quarteira implicaria o estudo e implementação prévio de medidas fundamentais, tais como: Reordenamento do trânsito em Quarteira (um grande promessa deste Executivo). Criação de parques de estacionamento em número e locais definidos. Implementação, em simultâneo com as ciclovias, de um sistema de partilha de bicicletas e/ou trotinetes (elétricas e não Eléctricas). Implementação de zonas de estacionamento de bicicletas e a criação de uma rede ampla e integrante de ciclovias.

A ciclovia actual começa no zero e acaba em nada, donde vêm e para onde vão os ciclistas? A ciclovia apresenta “erros” de projecto. Largura insuficiente não permitindo que um ciclista ultrapasse outro. Irregularidades no piso, tais como sarjetas e tampas de esgotos que não foram niveladas previamente à pintura e até passadeiras pintadas, ficando-se sem saber quem tem prioridade, a bicicleta ou o peão.

Os veículos estacionados abrem as portas invadindo a ciclovia podendo facilmente provocar acidentes. A faixa de rodagem de largura insuficiente principalmente para veículos pesados e de emergência. Nada concordante com a ciclovia já existente nesta freguesia em Vilamoura e que deveria ligar de forma harmoniosa a Quarteira.

O estacionamento não prevê zonas de carga e descarga. – Com a solução implementada prevê-se o aumento dos problemas de trânsito existentes, principalmente no verão, com o aumento das emissões de CO2 (para/arranca) contrária ao grande objectivo desta medida.

Sejamos claros, nas grandes Cidades a nível mundial, as zonas ribeirinhas ou até à beira-mar, em muito pela sua beleza e caractertísticas estéticas e paisagísticas, são zonas mais apetecíveis à implementação de ciclovias. Faria mais sentido a ligação proveniente de Vilamoura em direcção ao Passeio das Dunas seguindo pela Av. Infante de Sagres até ao Calçadão e depois novamente recuperando o troço em direcção à Fonte Santa, libertando a zona cobaia de contornos mais comerciais da pressão a que vai estar sujeita, sem contar como seria nos meses de Verão.

Tenhamos consciência da problemática que a Autarquia criou e que sejam os Quarteirenses por via de uma Consulta Pública a definir esta mudança drástica para as nossas vidas. O Poder Político tem limites e nestes casos temos que respeitar a vontade da população. 

A Comissão Política do Núcleo do PSD Quarteira

Categories: Quarteira