Consumidor

QUARTEIRA | Teresa Sancho falou da Dieta Mediterrânica e Saúde

A Academia do Saber – Quarteira promoveu uma palestra subordinada ao tema “Dieta Mediterrânica e Saúde”, pela doutora nutricionista Teresa Sancho, coordenadora do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da ARS Algarve, IP.

A palestra, que contou com a presença do presidente da Junta de Freguesia de Quarteira, Telmo Pinto, decorreu no Auditório do Centro Autárquico de Quarteira, bem composto, com uma assistência sempre atenta e interessada.

A palestrante foi apresentada por Valentina Tavares de Sousa, ex diretora regional de Saúde do Algarve.

Uma palestra muito reveladora com a partilha de conhecimentos surpreendentes sobre a Dieta Mediterrânica que também pode conhecer no VÍDEO 1 e no VÍDEO 2.

Recordamos que a Dieta Mediterrânica é Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO desde o dia 4 de dezembro de 2013 por inscrição de 7 Estados/Comunidades Representativas (Portugal/Tavira, Espanha/Soria, Itália/Cilento, Croácia/Hvar e Brac, Grécia/Koroni, Chipre/Agros e Marrocos/ Chefchaouen), escolhida porque “A dieta mediterrânea envolve um conjunto de habilidades, conhecimentos, rituais, símbolos e tradições relacionadas a colheitas, colheitas, pesca, criação de animais, conservação, processamento, culinária e particularmente o consumo de alimentos”.

A dieta mediterrânica, com origem no termo grego “daiata”, é um estilo de vida, um modelo de vida saudável transmitido de geração em geração, que abrange técnicas e práticas produtivas, nomeadamente de agricultura e pescas, formas de preparação, confeção e consumo dos alimentos, festividades, tradições orais e expressões artísticas.

Desde os anos 60 que a busca por um modelo de alimentação saudável tem despertado o interesse de especialistas e foi exatamente a partir desta altura que a Dieta Mediterrânica tem sido apontada como o modelo de alimentação saudável contribuindo para um estado de saúde favorável, uma melhor qualidade de vida e maior longevidade.

São diversos os estudos que demonstram que a adesão a esta Dieta aumenta a esperança de vida, reduz o risco de mortalidade por doenças cardiovasculares e reduz, ainda, o risco de doenças neuro degenerativas (Alzheimer e Parkinson).

Ancel Keys e a génese da Dieta Mediterrânica

Tudo começou nas décadas de 40 e 50 do Séc. XX, pela mão de Ancel Keys, biólogo e fisiólogo norte-americano, conhecido sobretudo pelos seus estudos sobre a epidemiologia das doenças cardiovasculares, o que o levou a formular hipóteses sobre a influência da alimentação nessas patologias e sobre os benefícios trazidos pela adoção da dieta mediterrânea (assim apelidada por si nessa altura), introduzida nos EUA pelos imigrantes da Bacia do Mediterrânico. Observando os seus pacientes, apercebeu-se que os imigrantes desta região adoeciam menos e viviam mais anos. Decide então vir viver para o local onde se encontrava a maior concentração de centenários do mundo, o sul da Itália, instalando-se na aldeia de Pioppi, no município de Pollica, localizado em Cilento, região da Campânia, onde fica com a sua mulher Margaret até ao final da sua vida, dedicando-se ao estudo dos benefícios da Dieta Mediterrânica na vida das pessoas.

Em Pioppi, existe um Ecomuseu da Dieta Mediterrânea dedicado à memória deste cientista americano.

Por: Jorge Matos Dias / PlanetAlgarve

Categorias:Consumidor, Quarteira, Saúde