Algarve

Grupo HPA faz balanço de um mês de pandemia |10.000 triagens e 20 internamentos covid

O Grupo HPA deu início, no dia 9 de março, à reorganização e reestruturação dos seus serviços, com vista a adaptar-se às extremas exigências da pandemia provocada pela Covid-19.

Desde essa altura, não passou um único dia onde não tenham sido tomadas decisões por forma a manter a organização preparada em termos de segurança e proteção. O Grupo HPA criou planos de contingência em todas as unidades, montou postos de triagem, abriu circuitos para doentes COVID e doentes Não COVID, reestruturou um hospital inteiro para alocar doentes infetados e disponibilizou um Drive-Thru para recolha e análise de testes ao novo coronavírus.

Desde o dia 17 de março que não entra ninguém numa unidade HPA que não seja avaliado com o questionário epidemiológico e com medição da temperatura, tendo sido já triadas mais de 10.000 pessoas só nas unidades do Algarve, dos quais cerca de 6% revelaram ser casos suspeitos.  Estas situações manifestaram-se predominantemente em mulheres, sendo que os sinais e sintomas têm vindo a alterar-se; se nos primeiros dias os doentes manifestavam sobretudo tosse e febre, nesta última semana têm-se observado também a presença de dificuldade respiratória. Fonte clínica do HPA alerta para o facto dos doentes crónicos respiratórios, cardiovasculares, entre outros, estarem a descurar a vigilância da sua saúde; estão a chegar-nos doentes com gravidade mais elevada que parecendo casos suspeitos COVID, são na verdade doentes descompensados das suas doenças crónicas. Este facto já tem sido alertado por várias entidades, podendo ter repercussões graves e irreversíveis em algumas situações.

Quanto aos internamentos COVID no Hospital de São Gonçalo, a maioria permaneceu em tratamento e vigilância na enfermaria, tendo sido só necessário recorrer aos cuidados intensivos numa situação.

Paralelamente, a atividade foi mantida no que respeita a atendimentos e cirurgias urgentes, bem como o acompanhamento no tratamento dos doentes oncológicos e ainda a realização de partos. Estas duas últimas situações manifestaram um incremento de atividade, tendo o número de nascimentos quase duplicado em relação ao período homólogo, atingindo cerca de uma centena. Apesar de ter sido sempre possível a consulta presencial, o Grupo ativou também a viabilidade da teleconsulta para a maioria das especialidades.

Por sua vez, o Drive-Thru em Sines, cuja recolha e realização dos testes é da responsabilidade da Clínica de Diagnósticos de Sines – CLÍDIS –, a maior unidade do Grupo HPA no Alentejo litoral, já testou mais de 500 pessoas, cujo resultado positivo ocorreu em cerca de 5%.

A Administração do Grupo HPA Saúde agradece e felicita o profissionalismo dos seus colaboradores, cujo empenho e dedicação têm sido formidáveis, permitindo o acompanhamento regular de todos os que recorrem às unidades HPA em segurança e proteção e, sobretudo assegurando que até ao momento não haja nenhum profissional infetado.

Categories: Algarve, Nacional, Saúde