Loulé

LOULÉ | BE comentademissão do presidente da Assembleia Municipal

  • Um tiro no porta aviões
  • A demissão de Adriano Pimpão da presidência da Assembleia Municipal de Loulé

Durante a Assembleia Municipal de Loulé (AML) que decorreu na passada sexta-feira no Cine-Teatro Louletano, o presidente da Mesa, Adriano Pimpão anunciou a sua demissão do cargo depois de ter sido amiúde desconsiderado pelo líder da bancada do Partido Socialista, que interpelou de forma hostil o distinto Professor e ex-Reitor da Universidade do Algarve, por ter uma postura imparcial e democrática no exercício das funções paras as quais foi eleito.

Recordamos que Adriano Pimpão, pessoa de reconhecida competência e honestidade intelectual, foi eleito pela primeira vez para Presidente da AML em 2013, e pelo seu desempenho meritório foi reeleito em 2017, foi também reeleito presidente da Mesa da Assembleia Geral da AMAL, que congrega todos os municípios do Algarve.

Na origem deste conflito com o PS local esteve o desconforto com que o Grupo Parlamentar Socialista reagiu à forma exemplar com que procurou exercer as suas competências, assumindo plenamente as funções de órgão fiscalizador da atividade municipal, tornando-se por isso muito incómodo para o Executivo Municipal e o Partido Socialista de Loulé.

O Bloco de Esquerda manifesta a sua solidariedade para com o presidente da Assembleia Municipal demissionário, que sempre teve uma postura democrática e respeitadora da pluralidade de pontos de vista e agradece a grande disponibilidade e a isenção com que tratou todas as forças políticas representadas neste importante órgão de exercício da democracia local.

Com esta demissão perde a Democracia em Loulé , paira no ar a ameaça de partidarização da Mesa da Assembleia Municipal e o aumento da prepotência do Partido Socialista que convive mal com as críticas e com o pensamento divergente.

Em Loulé, como no país, as maiorias absolutas têm sido redutoras da participação democrática, do escrutínio político e do debate de ideias plural e profícuo.

O Bloco de Esquerda lamenta esta situação, que não enobrece o PS e reafirma a sua postura crítica e colaborativa, mantendo disponibilidade para ser o porta-voz dos louletanos e de lutar de forma objetiva pelo aprofundamento da Democracia Representativa e Participativa.

Continuaremos a resistir nesta fase difícil de combate à crise sanitária e à crise económica, defendendo o reforço do fundo de Emergência Municipal e programas nacionais e locais de apoio e proteção dos mais desfavorecidos.

NINGUÉM PODE FICAR PARA TRÁS!

EM DEFESA DA DEMOCRACIA CONTRA A PREPOTÊNCIA

A coordenadora Concelhia do Bloco de Esquerda

Categories: Loulé