Quarteira

QUARTEIRA | Semana Santa e Páscoa do Senhor no Centro Paroquial

28 de março a 03 de abril de 2021 e 04 de abril de 2021

«Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem» (Lucas 23:33,34)

Na religião cristã, a Semana Santa é vivida com devoção, celebrando a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, o Filho de Deus, tornado Homem, que oferece, a todos os Homens, a graça da salvação pelo martírio da cruz, na vitória sobre a morte.

A Semana Santa inicia-se no Domingo de Ramos, dia que evoca a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, aclamado com ramos de árvores que cobrem o chão por onde passa. Na Sexta-feira Santa (sexta-feira antes do domingo de Páscoa), os cristãos recordam o dia em Jesus morreu na cruz. Também conhecida como Sexta-feira da Paixão, cuja origem latina significa sofrimento. Tem o seu término no Domingo de Páscoa, com a Ressurreição de Cristo, sendo este considerado o dia santo mais importante da religião cristã. Do hebreu Peseach, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade.

Tempo de introspeção, recolhimento, oração, comunhão com o Pai, reunião e união com Deus e os Homens, celebrado com fervor entre os cristãos, através das mais diversas manifestações de fé. Este ano, mais e uma vez e por força das circunstâncias vivenciadas nestes tempos de incerteza, a fé foi celebrada dentro de portas, com os nossos e para os nossos idosos, unidos no amor de Cristo.

Durante toda a Semana Santa houve celebrações que permitiram vivenciar a fé, lembrando os sacrifícios que Jesus fez por todos nós. Semana intensa de oração, renovação da fé e o compromisso de viver de acordo com os ensinamentos de Cristo, foi pautada pela convivência entre utentes e funcionários, que tudo fizeram para minimizar o facto de os nossos idosos não poderem celebrar este dia com as suas respetivas famílias.

No Domingo de Ramos, houve conversa informal sobre o tema, onde cada um dos idosos, que quis e pôde participar, relembrou como era vivido este dia nas suas respetivas terras de origem. Folha de oliveira, romãzeira, espiga de trigo, videira, papoila, rosmaninho, alecrim, palma compõem os ramos que depois são benzidos na eucaristia.

Houve também lugar para o Sacramento da Confissão, tão importante nesta época Pascal, onde os idosos que o quiseram fazer, foram convidados à reconciliação, recebendo o perdão divino das faltas confessadas.

Na Sexta-feira Santa, em dois momentos diferentes, com cada um dos grupos de idosos, realizou-se a Via Sacra, como forma de meditação e oração pelo doloroso caminho que Jesus percorreu até à sua crucificação e morte na cruz. Ao longo de catorze estações, recordou-se os momentos mais difíceis dos últimos dias de Cristo, no seu caminho para o Calvário, meditando na sua misericórdia por nós, no gesto de amor incondicional de quem entregou a sua vida e carregou nos ombros todos os pecados da humanidade.

Durante toda a Semana Santa houve celebrações que permitiram vivenciar a fé, lembrando os sacrifícios que Jesus fez por todos nós. Semana intensa de oração, renovação da fé e o compromisso de viver de acordo com os ensinamentos de Cristo, foi pautada pela convivência entre utentes e funcionários, que tudo fizeram para minimizar o facto de os nossos idosos não poderem celebrar este dia com as suas respetivas famílias.

No Domingo de Ramos, houve conversa informal sobre o tema, onde cada um dos idosos, que quis e pôde participar, relembrou como era vivido este dia nas suas respetivas terras de origem. Folha de oliveira, romãzeira, espiga de trigo, videira, papoila, rosmaninho, alecrim, palma compõem os ramos que depois são benzidos na eucaristia.

Houve também lugar para o Sacramento da Confissão, tão importante nesta época Pascal, onde os idosos que o quiseram fazer, foram convidados à reconciliação, recebendo o perdão divino das faltas confessadas.

Na Sexta-feira Santa, em dois momentos diferentes, com cada um dos grupos de idosos, realizou-se a Via Sacra, como forma de meditação e oração pelo doloroso caminho que Jesus percorreu até à sua crucificação e morte na cruz. Ao longo de catorze estações, recordou-se os momentos mais difíceis dos últimos dias de Cristo, no seu caminho para o Calvário, meditando na sua misericórdia por nós, no gesto de amor incondicional de quem entregou a sua vida e carregou nos ombros todos os pecados da humanidade.

Cumprindo todas as normas do Plano de Contingência vigente, no Domingo de Páscoa foi celebrada Eucaristia, pelo Sr. Padre Joaquim, na qual se viveu com júbilo a Ressurreição do Senhor, anunciando com alegria que Cristo venceu a morte.

Esperamos, no próximo ano, viver estas celebrações de forma ainda mais entusiasta, na companhia de funcionários, utentes e respetivas famílias; com menos restrições, podendo celebrar com e na comunidade cristã.

Texto: Ana F. Pinheiro

Fotografia: Helga Pires e Lígia P. de Carvalho

Categories: Quarteira